Os Bambas | Art Popular relembra clássicos do samba

Na última quarta-feira, 2 de dezembro, chegou às plataformas digitais “Os Bambas”, novo álbum de releituras do grupo Art Popular. O musical foi pensado originalmente por Leandro Lehart, vocalista do grupo. Nesta obra de ficção todos os integrantes interpretam personagens do samba e revisitam 25 clássicos nacionais. Ao todo, foram oito meses de ensaio e a gravação aconteceu no auditório do Ibirapuera, em São Paulo, em agosto de 2019. 

Entre as obras relembradas pelo grupo estão: João Gilberto, Trio Mocotó, Agepê, Jair Rodrigues, Baden Powell, Demônios da Garoa, Jorge Ben, Olodum, Banda Raça Negra, entre outros. Todo o repertório, incluindo clássicos como “Canto de Amor”, “Canto de Ossanha”, “Aquarela Brasileira”, “Tristeza”, “Tiro ao Álvaro”, “Cheia de Mania” e “Moro Onde Não Mora Ninguém”, são tocados no ritmo consagrado pelo grupo Originais do Samba. Eles trazem instrumentos antigos como surdo, agogô e cuíca, mas também inclui o acompanhamento de bateria, piano e baixo acústico.

Cena do musical "Os Bambas"
Foto: Divulgação

“Os Bambas” chega com novidades

Para o grupo cuja familiaridade com os palcos existia apenas no campo musical, foi um desafio interpreta personagens e atuar para uma vasta plateia. Todos dizem ter encarado o desafio e se divertido muito participando, foi uma maneira de sair da zona de conforto e se reinventar depois de tantos anos juntos. “Pra mim ‘Os Bambas’ é um presente, eu sempre quis atuar em alguma coisa. ‘Os Bambas’ não é só um musical, o Art Popular também tá fazendo dramaturgia. Isso se resume a uma grande felicidade, estou muito feliz”, disse Evandro Soares. 

Os fãs do grupo também poderão aguardar as surpresas que surgirão em breve. Os integrantes adiantaram algumas novidades durante uma conversa aberta à imprensa e convidados. É possível que haja uma série de Vinil, CD e DVD do musical “Os Bambas” para colecionadores. Além disso, o Art Popular já prometeu duas grandes lives ao seu público, sendo uma prevista para o Natal e outra no Carnaval. Afinal de contas, carnaval sem samba não é uma característica do maior espetáculo da terra, né? 

Essa inclusão no mundo digital tem sido um dos pilares do grupo que percebeu a importância de estar inserido não só para a divulgação do trabalho, mas também com o intuito de manter uma próximidade com os seus fãs. O start surgiu quando notaram que o nome “Art Popular” possui mais de seis milhões de buscas no Google e isso fez com que o grupo mudasse o olhar para as redes e outros meios da Internet. 

Leci Brandão e Anderson Leonardo participam do álbum

Participam do novo álbum a sambista Leci Brandão, cantando “Zé do Caroço”, e Anderson Leonardo, integrante do grupo Molejo. Leci é a madrinha do grupo e todos possuem grande carinho pela compositora. A canção, inclusive, foi regravada pela primeira vez justamente pelo Art Popular.

“O Anderson é um irmão de muitos anos e tem uma cultura muito vasta no samba. Tem um vídeo dele na Internet que me chamou muita atenção onde ele está bem pequenininho com o Cacique de Ramos cantando Roberto Carlos. Pensei: “O Anderson tem que está com a gente”. E a Leci, me veio à mente o número dela cantando “Zé do Caroço”, ela diz que foi o número mais importante que gravou. Compôs no trânsito e compôs do jeito que a gente fez em “Os Bambas”. Na semana em que a gente gravou com a Leci Brandão no auditório do Ibirapuera ela tinha perdido a mãe e cancelou todos os shows porque estava sem condições emocionais, mas resolveu estar com a gente para fazer uma homenagem para a mãe. Foi um momento antológico”, conta Leandro. 

40 anos sem Cartola

Há 40 anos perdemos um grande nome do samba, Agenor de Oliveira, popularmente conhecido como Cartola. Perguntei ao grupo a relação deles com um dos maiores sambistas cariocas e Leandro Learht respondeu saudoso:

“As rosas não falam iria estar no nosso repertório, mas a gente resolveu deixar pra outra oportunidade porque o Cartola é um compositor que ao mesmo tempo nasceu no morro da Mangueira e fundou a Estação Primeira de Mangueira, ele é um compositor muito refinado. Quem quer entender de música brasileira e quer conhecer grandes destaques da música  brasileira tem que ouvir Cartola. Existe uma gravação muito importante da Beth Carvalho de “As Rosas Não Falam”, “O Mundo é Um Moinho” também é uma música muito especial pra gente e tem várias músicas legais do cartola. Nós queremos saudá-lo, que é uma das grandes referências. Como compositor, ele é um dos grandes ídolos a serem estudados”, concluiu. 

Durante a conversa, o grupo deixou aberta a possibilidade de uma nova versão do álbum “Os Bambas”, ou seja, de repente os fãs que já estão curtindo o musical nas plataformas digitais poderão escutar a continuidade desse musical em breve. Aliás, há também grandes chances de acontecer o espetáculo presencial em 2021. O Art Popular está estudando para que tudo possa ser feito dentro dos protocolos de saúde necessários para a prevenção do Covid-19.

Ademais, veja mais:

Torto Arado | Romance de Itamar Vieira Junior vence Prêmio Jabuti

Museu Itamar Assumpção | A vida e a obra do artista que marcou gerações

Sorriso Rei | Mahmundi homenageia Jovelina Pérola Negra e Gil em novo projeto

2 Comments

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: