Confluências Sonoras | Com artistas de MG e PE, documentário estreia dia 30 de março

O projeto Confluências Sonoras surgiu do desejo de estreitar distâncias artísticas entre Minas Gerais e Pernambuco pela música autoral contemporânea produzida nos dois estados. Sendo assim, o resultado foi uma imersão de seis músicos, 3 mineiros e 3 pernambucanos, ao longo de cinco meses. Em seguida, o desdobramento foi o documentário homônimo que ganha lançamento no próximo dia 30 de março. Contou com a direção de Rodrigo Piteco (Lava) em plataforma digital gratuita.

A princípio, o projeto reuniu 3 mineiros – Julia Branco, Sérgio Pererê e Juliana Floriano – e 3 pernambucanos – Juliano Holanda, Flaira Ferro e Almério – que trocaram experiências e compartilharam canções em meio à pandemia, traçando uma nova trajetória afetiva e musical. As interações entre os artistas transcorreram de forma tão coesa e orgânica que até mesmo uma nova composição surgiu, ultrapassando o escopo do projeto original. Julia Branco e Juliano Holanda criaram a canção “Luz e Lugar” ao longo de seus encontros em 2021.

Juliano Holanda, cantor, compositor e produtor musical de destaque em Pernambuco, é o responsável pela direção musical do projeto. Ele pondera: “O processo é o grande lance desse projeto. Não apenas o resultado. Eu compus uma música com a Julia Branco, que está no repertório do filme e tivemos a felicidade dessa música ter gravação por Titane, que já é um desdobramento dessa sinergia que aconteceu”.

Ponte BH-Recife

O projeto se desenvolveu da seguinte maneira: em um primeiro momento, os encontros aconteceram de forma virtual em 2020 e ao longo do primeiro semestre de 2021. As conversas e apresentações musicais proporcionaram momentos emocionantes e de muita potência nessas ocasiões e apontam o que estava por vir.

A seguir, no segundo semestre de 2021, vieram os encontros presenciais cujas performances e interações entre os artistas dão origem ao documentário. As gravações ocorreram tanto em Belo Horizonte quanto em Recife. “Confluências Sonoras” reúne imagens exclusivas das gravações dessas músicas, algumas conversas e depoimentos durante o processo em estúdio. “No estúdio vamos conseguir sentir a presença física do outro, da sua voz e de sua proposta” – reflete Juliana Floriano, artista idealizadora do projeto.

Enfim, uma prévia do intercâmbio entre os artistas e do documentário será realizada em formato de live pelo Instragram do projeto no próximo dia 24 de março (quinta-feira), às 19h. O encontro será um bate-papo descontraído com todos os músicos e com foco nos processos vivenciados nos encontros e curiosidades.

A saber, o Confluências Sonoras é uma iniciativa realizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte e tem patrocínio do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH).

Serviço

Lançamento do documentário “Confluências Sonoras”

Data: 30 de março de 2022, a partir das 19h

Plataforma a ser disponibilizada: Youtube https://bit.ly/3Jx0PuE

Acesso gratuito

Além disso, saiba mais sobre música nordestina:

Escreve o que achou!