Saturday, December 3, 2022

A Mãe | Conheça um retrato da dor das mulheres nas periferias brasileiras

O rosto marcado pela dureza da vida, por poucos sorrisos e um ar de inocência é a marca de Maria, uma migrante nordestina e mãe solo, que embarca na luta solitária à procura de seu único filho, que pode ter sido morto pela polícia. A dor de Maria em A Mãe é a de muitas mulheres nas periferias brasileiras e tema central dessa história, que chega aos cinemas neste 10 de novembro.

O diretor Cristiano Burlan, com simplicidade, mostra o dia-a-dia na periferia de São Paulo. Dessa forma, levanta discussões sobre segurança, violência, impunidade, desigualdade social e preconceito. São diversas situações e diálogos bastante realistas, gerando incômodo e indignação em quem está do outro lado da tela.

Tudo isso serve de pano de fundo e a história se desenrola em torno da humanização e aproximação da dor da mãe que tem o filho desaparecido. Maria enfrenta um sistema cruel, indiferente e opressor, com a angústia estampada em seu rosto, numa atuação marcante, que rendeu à Marcélia Cartaxo o prêmio de Melhor Atriz, no Festival de Gramado.

Aliás, se liga no trailer, e siga lendo:

Com o desaparecimento do filho Valdo, Maria perde sonhos e mergulha numa realidade angustiante, de dor, sofrimento e questionamentos, de tal maneira que a levam a enfrentar a polícia e ameaçar a tranquilidade do tráfico no local.

A Mãe teve estreia mundial no 24º Festival de Málaga, na Espanha, em junho, onde venceu na categoria Melhor Atriz Coadjuvante (Debora Maria da Silva). No 50º Festival de Gramado foi vencedor nas categorias Melhor Atriz (Marcélia Cartaxo), Melhor Direção (Cristiano Burlan) e Melhor Desenho de Som (Ricardo Zollmer).

Um olhar de humanidade para a dor das periferias por Cristiano Burlan

A Mãe foi filmado em janeiro de 2020, em São Paulo, e dá sequência à obra do diretor Cristiano Burlan. Em 2003, ele fez o documentário Mataram Meu Irmão, dois anos após o assassinato do irmão pela polícia. Em 2017, ele lançou Elegia de Um Crime, cinco anos após sua mãe ter sido assassinada pelo namorado. Ele objetiva mostrar as pessoas transformadas em números pela mídia, pelo Governo, violência, impunidade e desigualdade social.

Ficha Técnica

A Mãe tem distribuição da Cup Filmes, codistribuição da Spcine e Secretaria Municipal de São Paulo, Patrocínio da Sabesp, Incentivo da São Paulo Film Comission, Prefeitura de São Paulo, Proac, Governo do Estado de São Paulo Investimento BRDE FSA ANCINE.

Por fim, A Mãe estreia nos cinemas brasileiros no dia 10 de novembro.

Ademais, veja mais:

Sociedade do Medo | Conheça o doc que é uma reflexão crítica sobre a humanidade atual

Joice Terra fala sobre o disco (De)Vagar em entrevista exclusiva

Crítica ‘Argentina, 1985’ | Enfim, um filme essencial

Escreve o que achou!