Espetáculo Cosmogonia Africana tem exibições gratuitas em Niterói

Os povos africanos têm em sua tradição a oralidade que remonta histórias familiares, de civilizações e também do surgimento de todas as formas de vida, ou seja, a criação do universo. Dessa forma, pensando em fomentar a cultura afro-brasileira que o espetáculo Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá foi idealizado pela professora e bailarina, Aninha Catão. Aliás, por onde passa, o trabalho desperta a curiosidade do público em conhecer a versão afro para o mito do surgimento do mundo, conferir as danças e músicas entoadas durante os vários atos marcantes presentes na apresentação. Após uma longa turnê pelos bairros do Rio, agora o Cosmogonia chega à Niterói e entra em cartaz no famoso Teatro Popular Oscar Niemeyer, nos dias 15 e 16 de fevereiro.

Enfim, durante essas datas, niteroienses e visitantes terão a oportunidade de conferir o trabalho realizado pelo grupo artístico Tambor de Cumba, liderado por Aninha. Ao lado de sete bailarinos, a artista desperta no imaginário dos espectadores como aconteceram as primeiras formas de vida, a partir da ótica dos iorubás – povos ancestrais da Nigéria e do Benin. Ao som de tambores, coreografias explicam o papel e a importância dos elementos da natureza, como o fogo, a terra, o ar e a água, assim como os ancestrais iorubás – os orixás. A saber, Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá é baseado no importante trabalho, homônimo à iniciativa, desenvolvido por Marcelo Monteiro. Inclusive, ouça acima a entrevista com ele.

História ancestral

“A grande importância de assistir o Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá é essa oportunidade de aprender sobre a história ancestral dos africanos escravizados aqui no Brasil. Esta é a chance de conhecer um pouco sobre nós mesmos, a nossa origem e a nossa cultura. Então, o espetáculo tem o papel de evidenciar a existência de uma riqueza cultural magnífica, no Brasil, herdada do continente africano, em especial, do povo iorubá. Este espetáculo tem alcançado o público da forma mais democrática possível, por meio da gestualidade mitológica, não apenas entretendo-o, como também informando. Além disso, também propomos a desconstrução da marginalização da cultura negra, destacando o protagonismo do negro e das suas formas de recriar a sua própria existência, com símbolos, formas e reconhecimento”, afirma Aninha Catão. Clique aqui e ouça a entrevista com ela!

Aninha Catão idealizou
Ana Catão como a Orixá Oxum (foto: Amanda Cavalcanti)

Para além do espetáculo

Ainda por cima, o público poderá participar de uma oficina oferecida pelo Cosmogonia Africana. A aula ministrada por Aninha Catão e inspirada no espetáculo acontecerá no dia 14 de fevereiro. Por fim, para mais informações podem ser conferidas nas páginas: https://www.facebook.com/cosmogonia.tambor/https://www.instagram.com/cosmogoniaafricana/ .

Ficha Técnica:

Pesquisa: Marcelo Monteiro

Direção: Aninha Catão

Direção artística: Aninha Catão

Coreografia: Aninha Catão

Bailarinos: Aninha Catão, Lucimar Brito, Ety Faria, Layza Soares, Marcos Cotta, Matheus Mello, Maurício Souza e Kauê Itabacema

Músicos: André Aladê, Dinho Santiago, Marcelo Monteiro e Alexandre Munrha

Produção Executiva: Aninha Catão

Produção: Chris Mendonça e Joyce Lima

Preparação de elenco: Ledjane Motta

Figurino e acessórios: Carol Moupa

Maquiagem: Rayanne Monteiro

Iluminação: Junior Martins

Som: Rodrigo Rocha

Assessoria de imprensa: Joyce Lima

Serviço:

Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá

Entrada: Gratuita + 1 kg de alimento não perecível. Bilheteria aberta de terça a sexta, de 13h às 18h | Sábados, domingos e feriados  abre três horas antes do espetáculo.

Local: Teatro Popular Oscar Niemeyer

Endereço: Avenida Visconde do Rio Branco, s/n° – Centro, Niterói

Telefone: (21) 2613-2734

Datas: 15 e 16 de fevereiro de 2020

Horário:  20h

Classificação: 10 anos

Duração: 2 horas

Ademais, veja mais:

Negra Jaque | “Rap é mão preta de interferência na sociedade”
Ana Catão | “Nossa missão é trazer essa história que foi varrida para debaixo do tapete”
Josafá Neves apresenta exposição gratuita com ícones da cultura afro-brasileira
Anúncios
Show More

Escreve o que achou!

Instagram