Thursday, October 6, 2022

OSB apresenta as Quatro Estações de Vivaldi e as Quatro Estações Portenhas de Piazzolla na Cidade das Artes

Dois famosos e marcantes compositores integram o programa que a Orquestra Sinfônica Brasileira apresenta no Concerto Especial Camerata OSB, dia 25 de setembro, no Teatro de Câmara da Cidade das Artes Bibi Ferreira.

São eles, Antonio Vivaldi, nome fundamental do barroco italiano; e Astor Piazzolla, figura elementar da música argentina do século XX. Ambos recriaram em música a sutil atmosfera das estações do tempo.

O concerto terá como solistas o acordeonista Pietro Roffi e a spalla da OSB, Priscila Rato, e propõe uma viagem sonora, intercalando as Estações Portenhas de Piazzolla com as Quatro Estações de Vivaldi.

Detalhes das estações

As chamadas Quatro Estações de Vivaldi são, na realidade, quatro fantásticos concertos para violino solista e pequena orquestra. As peças foram escritas em 1723 como parte de um ciclo maior composto por 12 concertos.

As Estações, no entanto, possuem uma peculiaridade bastante especial: cada um dos quatro concertos é acompanhado de um soneto. Esses textos – provavelmente escritos pelo próprio Vivaldi – amparam poeticamente a cintilância conteudística da obra, fornecendo um claro programa para a música que se ouve. Os quatro concertos, todos em três movimentos, são exemplos extraordinários da mestria de Vivaldi. Ali se encontram traços que marcam toda sua extensa produção: exuberante manejo orquestral, vivacidade rítmica, tratamento hábil do colorido solístico e orquestral. Quando o compositor morreu, em 1741, As Estações estavam praticamente esquecidas. Hoje, porém, elas figuram indiscutivelmente entre as obras mais populares de todos os tempos.

Piazzolla

O argentino Astor Piazzolla é uma das figuras mais originais da música sul-americana. Virtuose do bandoneón e discípulo de compositores como Alberto Ginastera e Nadia Boulanger, seu estilo de composição amalgama elementos do tango tradicional argentino com técnicas de composição da música de concerto: cromatismos, dissonâncias, contraponto vêm se enlaçar ao gênero dançante, resultando em uma música original, inventiva e altamente sofisticada.

A saber, as Quatro Estações Portenhas não foram originalmente escritas como um ciclo, mas tornou-se prática comum apresentá-las em conjunto, como movimentos de uma suíte. Embora não sejam quadros sonoros descritivos como os concertos de Vivaldi, cada uma das estações evoca, com o devido refinamento e fantasia, as atmosferas sazonais de Buenos Aires.

Por fim, saiba mais em www.osb.com.br

PROGRAMA:

Antonio Vivaldi – Concerto nº1 – “Primavera”

  1. Allegro

  2. Largo e pianissimo sempre

  3. Allegro pastorale

Astor Piazzolla – Verão Portenho

Antonio Vivaldi – Concerto nº2 – “Verão” (L’estate)

  1. Allegro non molto

  2. Adagio e piano – Presto e forte

  3. Presto

Astor Piazzolla – Outono Portenho

Antonio Vivaldi – Concerto nº3 – “Outono”

  1. Allegro

  2. Adagio molto

  3. Allegro

Astor Piazzolla – Inverno Portenho

Antonio Vivaldi – Concerto nº4 – “Inverno”

  1. Allegro non molto

  2. Largo

  3. Allegro

Astor Piazzolla – Primavera Portenha

Priscila Rato, violino – Quatro Estações de Vivaldi

Pietro Rofi, acordeon – Quatro estações Portenhas

SERVIÇO:

Concerto Especial Camerata OSB

Dia 25 de setembro de 2022 (domingo), às 11h

Ingressos: R$ 40,00 (R$20,00 meia)

Local: Cidade das Artes – Teatro de Câmara (Avenida das Américas, nº 5.300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro)

Ingressos à venda na bilheteria da Cidade das Artes e no site Sympla.

Ademais, veja mais:
Joice Terra apresenta show ao vivo do álbum ‘De(Vagar)’ gratuitamente no YouTube
Crítica | ‘Moonage Daydream’ é experiência cinematográfica musical e transcendental
Veja o novo clipe em animação do Kaialas | Preto de Azul

Escreve o que achou!