Conecte-se conosco

Cinema

‘A Transformação de Canuto’, produção indígena brasileira, vence Melhor Filme no IDFA, maior festival de documentários do mundo

Publicado

em

A Transformação de Canuto - crédito Camila Freitas

A obra cinematográfica indígena brasileira ‘A Transformação de Canuto’, dirigida por Ariel Kuaray Ortega e Ernesto de Carvalho, alcançou o título de Melhor Filme na competição Envision do IDFA, o maior festival de documentários do mundo. O filme teve sua estreia mundial durante o evento em Amsterdam e também recebeu o reconhecimento de Contribuição Artística.

Este é o segundo longa-metragem tanto para Ariel Kuaray Ortega, cineasta indígena e líder Mbyá-Guarani, quanto para Ernesto de Carvalho, correalizador de ‘Martírio’. A trama se desenrola em uma pequena comunidade Mbyá-Guarani, entre Brasil e Argentina. Lá, a figura de Canuto, um homem que experimentou a mítica transformação em uma onça e encontrou um fim trágico, é conhecida por todos.

Dessa forma, o filme explora a narrativa de Canuto, misturando-a com a produção cinematográfica que busca contar sua história. Dessa forma, busca provocar reflexões sobre a natureza da transformação e as fronteiras entre o real e o encenado.

Singular

O júri do IDFA destacou a singularidade do filme, conferindo a ele os prêmios de Melhor Filme e Contribuição Artística, uma conquista inédita na história do festival. Elogiando o comprometimento de décadas dos diretores com a produção cinematográfica comunitária, o júri ressaltou o humor e a habilidade do filme em transitar entre diferentes mundos, enfatizando os muitos significados de transformação presentes na narrativa.

Além disso, os realizadores foram reconhecidos pela profunda abordagem ao cinema comunitário, onde cada pessoa redefine o conceito de ‘sujeito’. Esta vitória marca também a primeira vez que um filme brasileiro conquista a competição Envision do IDFA, conhecida por destacar produções inovadoras e provocativas que exploram questões sociais, políticas ou culturais contemporâneas de maneira criativa.

Produzido pela Enquadramento Produções de Leonardo Mecchi e pelo Vídeo nas Aldeias de Vincent Carelli e Olívia Sabino, ‘A Transformação de Canuto’ conta com o patrocínio do Funcultura do Governo de Pernambuco, além do apoio do Instituto de Artes Audiovisual da Província de Misiones, na Argentina, e da Mostra de Tiradentes, onde participou do WIP Brasil Cinemundi. O filme, cujas principais filmagens ocorreram entre julho e setembro de 2016, foi finalizado em 2023, fazendo sua estreia no IDFA. No entanto, ainda não há uma data para sua estreia no Brasil.

Ademais, leia mais:

Suraras do Tapajós | Grupo de mulheres indígenas lança álbum com vivências e musicalidade da floresta
Marabá | Novo filme de Valdsom Braga estreia em abril
Meu Sangue é Vermelho | Crítica

Cinema

Tá escrito | Filme com Larissa Manoela estreia em 14 de dezembro

Elenco e equipe contam, em coletiva de imprensa, detalhes sobre o filme.

Publicado

em

coletiva tá escrito

Tá escrito é o novo filme de Larissa Manoela, que estará nos cinemas em 14 de dezembro. O longa, que conta, também, com André Luiz Frambach, Karine Teles e Victor Lamoglia, é uma comédia com direção de Matheus Souza. A produção é da Paris Entretenimento em coprodução com a Globo Filmes e Globoplay, e tem distribuição da Paris Filmes.

A saber, a sinopse é a seguinte: Alice acha que os astros erraram com ela, até que um dia recebe um livro em branco, apenas com instruções que prometem que qualquer previsão astrológica escrita naquelas páginas se concretizará. Com o poder de influenciar a todos com as previsões que agora ela tem acesso, Alice se torna um fenômeno online, mas também deixa o mundo ao seu redor de cabeça para baixo.

Para exemplificar, fique com o trailer:

Astrologia

Na última segunda-feira (27), os atores Larissa Manoela, André Luiz Frambach e Karine Teles, e o diretor Matheus Souza participaram de uma coletiva de imprensa para falar um pouco sobre o filme. Além de falarem, claro, de sua ligação com astrologia. A protagonista, por exemplo, que é capricorniana, disse fazer sua revolução solar todos os anos. Já Frambach, aquariano, contou que não entendia muito sobre o assunto. Contudo, por causa do filme e por influência de Larissa Manoela, começou a conhecer.

Por falar em conhecer, Matheus Souza, o diretor, assim como André Luiz, conhecia o básico sobre astrologia. Porém, para escrever o filme (ele também é um dos roteiristas), estudou bastante em livros, vídeos e até conversando com pessoas ligadas à astrologia, estudiosas ou apenas amantes do assunto. Segundo ele, a escolha de conversar também com quem gosta do tema era para possibilitar o entendimento sobre astrologia para todos, e não somente apenas para quem entende profundamente. “É um filme identificável e diferente do que se vê hoje em dia.”, afirmou.

Karine Teles, leonina como o diretor, contou gostar muito de astrologia. Inclusive, disse fazer mapa astral anualmente há muito tempo. “Acho que é um jeito maravilhoso de a gente se conhecer, pensar a respeito da gente mesmo, das nossas relações, dos nossos familiares, dos nossos amores.”, disse a atriz.

poster ta escrito
Imagem: Divulgação.

Comédia para refletir

Tá escrito é declaradamente uma comédia. Todavia, Matheus Souza se preocupou, também, em levar uma mistura de gêneros para o longa. “É um filme que é um evento, porque há uma mistura de gêneros. Foi um esforço para resgatar o público para ir ao cinema assistir filme nacional.”, afirmou o diretor.

Karine Teles, que geralmente não faz comédias no cinema e na televisão, agradeceu por ter sido convidada a fazer esse filme, já que é fã do gênero. Segundo ela, a comédia é um canal de debate. “É um filme que vai trazer muitas reflexões. Acho que rir é um jeito muito bom de pensar sobre a vida, sobre o mundo.”, disse.

Além disso, a atriz ainda disse que é um filme que fará rir pessoas de todas as idades. Inclusive, ela contou que um dos motivos de entrar nesse projeto foram seus filhos, Artur e Francisco. Além de ser um filme que, finalmente, os dois poderão assistir, que já muitos dos trabalhos que faz não são para a idade dos gêmeos, os meninos deram força para a mãe quando ela contou que Larissa estaria no elenco. “A gente já tinha assistido outros filmes da Larissa juntos e quando falei que fui chamada para fazer um filme com ela, eles falaram: ‘Mãe, você tem que fazer’.”, contou.

Larissa Manoela

Sobre a estrela do filme, Karine ainda disse que ficou muito feliz em ver o nível de profissionalismo da atriz. Segundo a atriz, que interpreta a mãe virginiana de Larissa em Tá escrito, Larissa Manoela é muito profissional, séria e dedicada. Além disso, contou Karine, a jovem atriz também é muito comprometida com o trabalho e com as pessoas. Por isso gostou muito de trabalhar com Larissa.

Quem também ficou feliz de trabalhar com a atriz foi André Luiz Frambach. Noivo de Larissa na “vida real”, o ator, que já dividiu a tela com Larissa em Modo avião, conta que adorou a experiência. “É incrível trabalhar com o que a gente ama, que é a arte. E é mais incrível ainda trabalhar com o que a gente ama com quem a gente ama.”, afirmou.

Para Larissa também foi muito especial estar com André Luiz em cena. E, assim como os outros presentes na coletiva, a atriz está muito feliz com o resultado e ansiosa para que as pessoas vejam o filme, que traz diversos aspectos da vida que todas as pessoas passam.

Ficha técnica

TÁ ESCRITO

Brasil | 14 de dezembro de 2023

Direção: Matheus Souza 

Roteiro: Matheus Souza, Thuany Parente e Mariana Zatz

Elenco: Larissa Manoela, André Luiz Frambach, Caroline Dallaros, Victor Lamoglia, Kevin Vechiatto, Richard Abelha, Hamilton Dias, Emira Sophia, Vittoria Tosi , Thuany Parente.

Participações especiais: Karine Teles e Cazé Pecini.

Produção: Paris Entretenimento 

Coprodução: Globo Filmes e Globoplay

Distribuição: Paris Filmes

Por fim, leia mais:

Quais são os quatro medos que nos impedem de viver? Novo livro da Principium ajuda a identificar e compreender

Xuxa é a artista homenageada da 10ª edição da CCXP 2023

Panini promove sessão de autógrafos e muito mais na CCXP 2023

Continue lendo
Anúncio
Anúncio

Cultura

Crítica

Séries

Literatura

Música

Anúncio

Tendências