Conecte-se conosco

Cinema

‘Águas do Pastaza’, da cineasta portuguesa Inês T. Alves, estreia em São Paulo e Rio de Janeiro

Publicado

em

Inês T. Alves é uma realizadora portuguesa, que fez Águas do Pastaza.

“Águas do Pastaza” é um longa-metragem com direção da cineasta portuguesa Inês T. Alves, com estreia prevista em São Paulo e Rio de Janeiro em 03/08. O documentário retrata a vida de uma comunidade de crianças isoladas na floresta amazônica, entre as águas do rio Pastaza e as copas das árvores.

Durante sua viagem pelo rio Pastaza, que atravessa o Equador e o Peru, a cineasta encontrou essas crianças e se surpreendeu com suas curiosidades e independência em atividades como pesca, culinária e artesanato. Sem ter a intenção inicial de fazer um filme, Inês T. Alves encontrou inspiração nessa experiência e criou este documentário de 61 minutos, que destaca a relação íntima das crianças com a natureza e seu forte senso de colaboração no dia a dia. Distribuído pela BRETZ FILMES, o filme proporciona uma perspectiva única sobre a vida dessas crianças em meio à exuberante paisagem amazônica.

Aliás, veja o trailer de “Águas do Pastaza”, e siga lendo:

“Em março de 2018 cheguei a Suwa, uma comunidade isolada de cerca de 80 habitantes na floresta amazônica equatoriana. Ali vivi 2 meses e desenvolvi uma relação muito próxima com as crianças, que me ensinaram e ajudaram em tudo o que é necessário para “sobreviver” naquele território. Assim, surgiu a ideia de um documentário que acompanhasse o dia a ia dessas crianças extremamente independentes, mostra sua íntima ligação com a natureza, assim como sua relação com as novas tecnologias, bastante recentes na comunidade.”, diz Inês.

Inês T. Alves é uma diretora portuguesa, nascida em 1987, com formação em Narrativas Culturais e Cinema Documental. Além de dirigir curtas-metragens exibidos em festivais nacionais e internacionais, também ministra workshops de cinema para várias comunidades e idades. Inês é uma das fundadoras do MOVIMENTO, um workshop de cinema colaborativo realizado anualmente em Portugal desde 2015. Seu documentário “AROUND CORNERS” ganhou o Prémio Cinema Novo no Festival Porto/Post/Doc. Seu primeiro longa-metragem é intitulado “JUUNT PASTAZA ENTSARI” (Águas de Pastaza).

“Num momento em que as comunidades indígenas da Amazônia estão sob forte ataque permanente, intenso desmatamento impulsionado por interesses econômicos externos, pareceu-me urgente dar-lhes alguma visibilidade. Partindo do universo bem específico das crianças, o filme chama a atenção para a importância de estabelecermos uma relação mais sustentável com o nosso meio ambiente.”, completou a diretora.

Ademais, leia mais:

Suraras do Tapajós | Grupo de mulheres indígenas lança álbum com vivências e musicalidade da floresta
Marabá | Novo filme de Valdsom Braga estreia em abril
Meu Sangue é Vermelho | Crítica

Anúncio
Clique para comentar

Escreve o que achou!

Cinema

‘NSYNC lança música após 20 anos

“Better Place” está na trilha sonora de “Trolls 3 – Juntos novamente”.

Publicado

em

Capa da trilha sonora do filme Trolls.

Quem é fã de ‘NSYNC e segue seus integrantes nas redes sociais já vinha vendo uma movimentação para algo feito em conjunto. Depois de Justin, JC, Lance, Joey e Chris apresentarem um dos prêmios do Video Music Awards 2023, os cinco começaram a mostrar vídeos dentro do estúdio. E até soltaram um pedaço da música “Better Place”. Pois a composição que reuniu a banda depois de 20 anos fará parte da trilha sonora do filme Trolls 3 – Juntos novamente. Justin Timberlake, que fez parte do ‘NSYNC por sete anos, participou da trilha dos filmes anteriores e dubla o personagem Tronco, na versão original, desde o primeiro Trolls.

Justin também retorna como produtor musical executivo da trilha sonora, ao lado do produtor/compositor ganhador do Grammy Mike Elizondo. Timberlake escreveu e performou novas músicas originais para o filme, que também inclui canções de artistas do elenco e grandes nomes da música, incluindo Kid Cudi, Camila Cabello, Troye Sivan, Anna Kendrick e muito mais. Através de uma coleção de 14 faixas, a trilha sonora permanece fiel à bomba de alegria psicodélica característica de Trolls, com sucessos novos e clássicos do pop.

Trilha sonora

A trilha sonora do filme dá sequência à trilha sonora de Trolls 2, que apresentava a faixa “The Other Side”, com Justin Timberlake e SZA. Ele também recebeu uma indicação ao American Music Award de “Trilha Sonora Favorita”. A trilha do primeiro filme inclui o grande sucesso “Can’t stop the feeling”, que se tornou a música mais vendida de 2016. Estreou em primeiro lugar na Billboard’s Hot 100, ganhou o Grammy de Melhor Canção para Mídia Visual e garantiu diversas indicações, incluindo um Oscar, um Globo de Ouro e muito mais. Se você quiser fazer o pré-save do álbum, é só clicar aqui.

Finalmente, ouça a nova música do ‘NSYNC:

Trolls 3 – Juntos novamente

Depois de dois filmes de amizade verdadeira e paquera implacável, Poppy e Tronco agora são oficialmente, finalmente, um casal. À medida que se aproximam, Poppy descobre que Tronco tem um passado secreto. Ele já fez parte do fenômeno de boyband favorito dela, BroZone, com seus quatro irmãos: Floyd, John Dory, Spruce e Clay. BroZone se separou quando Tronco ainda era um bebê, assim como a família, e Tronco não viu seus irmãos desde então.

Mas, quando o irmão de Tronco, Floyd, é sequestrado por causa de seus talentos musicais, por um par de vilões popstars nefastos – Velvet e Veneer – Tronco e Poppy embarcam em uma jornada angustiante e emocionante para reunir os outros irmãos e resgatar Floyd de um destino ainda pior do que a obscuridade da cultura pop.

Trolls 3 – Juntos Novamente é dirigido pelo diretor Walt Dohrn e pela produtora Gina Shay e é codirigido por Tim Heitz (Trolls 2). No original, Anna Kendrick e Justin Timberlake fazem as vozes de Poppy e Tronco. Já no Brasil, o casal é dublado por Jullie e Hugo Bonemer.

Para matar a curiosidade, assista ao trailer do filme:

Por fim, leia mais:

O retorno das penosas na Netflix: A fuga das galinhas – A ameaça dos nuggets

Xuxa volta aos cinemas com ‘Uma fada veio me visitar’

Convenção das bruxas | Remake traz representatividade como diferencial

Continue lendo
Anúncio
Anúncio

Cultura

Crítica

Séries

Literatura

Música

Anúncio

Tendências