Saturday, January 16, 2021

Canário | Filme sul-africano fala de apartheid, cultura pop e descoberta sexual

O filme Canário é do segmento LGBTQIA + e mostra alguns conflitos vividos pelo jovem Johan, protagonista da trama. Ele passa junto com seus amigos por períodos de descobertas e desafios em virtude de sua personalidade e sexualidade. A trama sustenta alguns assuntos de polêmicas religiosas, sexuais, racistas, dos vários tipos de assédio ao abuso de poder.

Em sua temática o longa carrega alguns questionamentos e obrigações de um jovem comum, como alistamento nas forças armadas, o relacionamento entre parentes, a relação com amigos de mesmo gênero e de gêneros opostos, submissão a autoridades hierárquicas, retomadas a questões do passado para tentar entender ou se situar no presente e por aí vai…

Como o canário, o nome do filme é bem sugestivo por se tratar de jovens recrutas que irão passar a compor o quadro de coristas do corpo militar. O filme traz grandes surpresas e tem a música como pano de fundo a fim de trazer algumas questões sociais à tona. Utilizaram da arte presente na música como forma de compor um espaço em segundo plano, porém carregado de características e possibilidades libertárias, tentando assim, dar sentido ou construir alguns pensamentos com características e ideais futuristas em novos estilos.

Na Base

Daí você tem a música como base para a temática e que criará possibilidades de socialização entre indivíduos que tenham ela como algo em comum. E ainda com um suave discurso libertário, utilizando o militarismo como um palco para as possibilidades de construções de relacionamentos entre iguais, sejam eles por amizades ou por algo a mais, que se assemelhe a desejos e atrações pelo mesmo sexo.

Há características que fazem alusão ao Apartheid, período histórico vivido na África do Sul no ano de 1948, onde houve grade segregação racial. As raças não mais se misturavam por conta de políticas raciais separatistas. Negros conviviam com negros e brancos apenas se relacionavam com brancos. E dentro disso, alguns ataques originaram guerras civis desencadeadas por haver opiniões contrárias à medida adotada e que governavam a localidade. Sem falar do auto índice de ataques contra os negros por quem era a favor da medida.

Com isso, muitos negros foram bruscamente violentados físico e moralmente. Trazer esse assunto à tona, nesse filme, achei super pertinente, já que não se vê uma quantidade ,mínima que seja, de negros nas turmas convocadas, ou se existiram, foram mantidos em isolamento com outros negros.

Chama bastante atenção a formação de uma turma militar dentro do continente africano, sem ser composta por negros, daí origina-se vários questionamentos que dão tema ao racismo vivido na época.

A saber, Canário estreou no dia 17/12 nas principais plataformas digitais.

Enfim, o trailer:

Ademais, leia ainda:

Visibilidade bissexual | Conheça 5 séries com personagens bissexuais

I may destroy you | Entenda porque é a melhor série do ano

Além disso, Indianara | Filme sobre militante transgênera vence 9a Mostra Ecofalante

Escreve o que achou!