Festival Frente Feminina seleciona artistas negras, cis ou trans, para residência artística com Marissa Lestrade

Em sua segunda edição, o Festival Frente Feminina (FFF) abre inscrições gratuitas até 24 de janeiro para a Residência Artística EnCena Preta: afetividades, ancestralidades e brasilidades em narrativas performáticas. A residência será realizada virtualmente, de 08 a 22 de fevereiro. Conta com o patrocínio do Programa Pontes, uma parceria do Oi Futuro e British Council que promove conexões e trocas com artistas do Reino Unido.

A princípio, o FFF nasceu em 2019 como um festival voltado para mulheres artistas e profissionais dos bastidores de Brasília. Contudo, com a pandemia o Frente se expandiu e inovou.

“E ainda assumindo este conceito que dialoga com a ideia do corpo negro no futuro. Queremos chegar às artistas das periferias, favelas, povos de terreiro, da floresta, comunidades quilombolas, assentadas da reforma agrária, em diferentes estados. Queremos mostrar a potência da cena artística negra do nosso país pelo olhar da mulher.”, explica Larissa Mauro, atriz, produtora e uma das idealizadoras do FFF.

Ao lado das atrizes Mariana Nunes e Shirley Cruz, Larissa forma o trio de curadoras da EnCena Preta.

A 1ª edição contou com seis dias de programação de espetáculos dirigidos e protagonizados somente por mulheres brasilienses, além de uma ficha técnica quase 80% feminina.  Desta vez, serão escolhidas 10 artistas de Brasília e mais 10 de outros estados do Brasil.

Aliás, a EnCena conta também com a artista londrina Marissa Lestrade, que tem um trabalho artístico engajado com meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade na África.

O resultado editado e finalizado de cada uma das artistas vai integrar a programação do 2º FFF, que acontecerá em quatro finais de semana de março (dias 06, 07, 13, 14, 20, 21, 27 e 28), mês de celebração da luta pelos direitos das mulheres.

Enfim, para saber mais e se inscrever, acesse: https://www.festivalfrentefeminina.com.br/

Ademais, veja mais:

Negra Jaque | “Rap é mão preta de interferência na sociedade”
Marcelo Monteiro | “Cosmogonia resgata e desperta a consciência do povo negro”
Além disso, a mulher negra e o autoamor | Por Pamella Lessa

Escreve o que achou!