Tuesday, September 21, 2021

Meu Nome é Bagdá | Longa sobre menina skatista ganha pré-estreia no Festival do Rio

Lançado mundialmente no prestigioso Festival de Berlim de 2020, onde conquistou o prêmio de melhor filme da mostra Generation 14plus, o longa-metragem “Meu Nome é Bagdá” tem pré-estreia na programação da Première Brasil Especial, promovida pelo Festival do Rio de 5 a 15 de agosto.

A sessão, exclusiva para convidados, acontece em 10 de agosto, terça-feira, às 21h00, no Estação Net Botafogo (rua Voluntários da Pátria 88, Botafogo, Rio de Janeiro).

A diretora do filme, Caru Alves de Souza, teve seu longa de estreia, “De Menor”, eleito como melhor filme da Première Brasil de 2013, dividindo o prêmio com “O Lobo Atrás da Porta”.

Produzido por Rafaella Costa para a Manjericão Filmes, “Meu Nome é Bagdá” já foi selecionado para mais de 60 festivais internacionais, realizados na Europa, América do Norte, América Latina, Ásia e na África.

Prêmios

A obra acumula 14 premiações em eventos no exterior, entre elas a de melhor filme e melhor direção no Nordic International Film Festival, de Nova York; melhor filme pelo júri jovem do Gender Bender Festival, de Bolonha (Itália); melhor filme latino-americano no Festival de Cine Latinoamericano de La Plata (Argentina); prêmio do público no Cormorán Film Fest (Corunha, Espanha); e de melhor atriz – para Grace Orsato – e menção honrosa para o elenco feminino no Festival de Cine de Lima PucP (Peru).

A saber, no enredo do filme estão presentes temas como empoderamento feminino, assédio, preconceito a homossexuais e machismo. Bagdá, a personagem central do longa-metragem, é uma garota de 17 anos que vive na Freguesia do Ó, bairro da periferia da cidade de São Paulo. Ela anda de skate com um grupo de meninos e passa boa parte do tempo com sua família e as amigas de sua mãe. Juntas, elas formam um grupo de mulheres pouco convencionais. Quando Bagdá finalmente encontra um grupo de meninas skatistas, sua vida muda. Em seu cotidiano ela encontra apoio familiar e empoderamento feminino, mas também assédio sexual, preconceito a seus amigos homossexuais e machismo.

Por fim, “Meu Nome é Bagdá” tem distribuição no Brasil pela Pagu Pictures e, no exterior, pela empresa francesa Reel Suspects. Seu lançamento comercial em salas brasileiras de ocorrer nos próximos meses. Já na França, a previsão é para o mês de setembro.

Afinal, veja o trailer:

Ademais, leia mais:
‘Ricardo III’ é drama complexo no Belas Artes À La Carte | Crítica
A arte da felicidade | Filme italiano traz sabedoria e espiritualidade nos rumos de um taxista
Enfim, Cuba na telinha: Documentários mostram a Ilha pelos olhos de grandes cineastas

Escreve o que achou!