Thursday, September 24, 2020

Zezé Burguer | Da depressão ao sucesso

Zezé Burguer surgiu de uma depressão e um calote. Foi isso que nos disse o empreendedor Lucas Talarico. Antes dessa hamburgueria que vem ganhando espaço na Tijuca, Rio de Janeiro, Lucas e sua mãe, Ivana Talarico, a Dona Zéza, eram sócios em uma outra hamburgueria. Porém, por divergências na direção do negócio e por conta de uma depressão da Dona Zéza, optaram por sair da sociedade. Parecia que os problemas acabariam dessa forma, contudo, não foi bem assim. Logo após a saída de Lucas, as vendas naquela loja começaram a cair, as contas começaram a atrasar e tudo estava no nome dele. Todos os contratos, seja de locação, conta de luz, água, telefone. Além disso, diversas compras a pagar feitas no cartão de crédito. Do Lucas e sua família.

“Imagina esse cenário: você não faz mais parte do negócio, mas só acumula dívidas que não suas, mas estão no seu nome. Além disso, em paralelo, minha mãe com depressão por diversos motivos pessoais. Nosso mundo estava caindo. Precisávamos fazer dinheiro pra pagar toda essa dívida, e, mais ainda, dar um sentido a mais na vida da minha mãe, e foi daí que surgiu a Zezé Burguer”, comenta Lucas.

A verdade é que tudo que aconteceu levou Lucas por um novo caminho. “Acredito que, de toda experiência ruim faz com que a gente cresça. Aprendemos muito nesse tempo que ficamos a frente do outro negócio, e, tudo que erramos lá serviu de aprendizado pra não repetir na Zezé. E também com toda dívida que contraímos, era impossível ficar na nossa zona de conforto. Isso com certeza foi algo que catalisou o processo”, diz Lucas.

Planejamento

Lucas Talarico é profissional de marketing digital e designer e possui uma empresa de consultoria voltada pra restaurantes, a Vida de Restaurante. Ele afirmou que nesses quase dez anos trabalhando com consultoria e marketing, muitos donos de restaurantes não sabem quanto lucram e muito nem o custo dos seus produtos. “Planejamos durante seis meses, nos mínimos detalhes, a Zezé. Esse foi um diferencial: planejamento! Já abrimos o negócio com tudo calculado, com tudo projetado e criamos uma marca realmente única. Detalhes fazem toda a diferença, e como fazem!”, afirma ele.

A Zezé Burguer liga para o cliente para saber se chegou tudo certo nas entregas, por exemplo. E busca, a partir dessas atitudes simples, mostrar carinho, cuidado e criar laços com os clientes. “E aqui entra o maior diferencial da Zezé: a Dona Zéza. Minha preocupação era ocupar a cabeça da minha mãe, era fazer com que ela se sentisse importante e amada por conta de tudo que ela passou”, fala Lucas. E assim criaram um personagem para ela.

“As pessoas amam ela! Hoje, minha mãe anda na rua e as pessoas a reconhecem. Postamos conteúdos com ela nas nossas redes sociais e o engajamento é absurdo! Temos clientes que vão a loja só pra dar um abraço nela e graças a Deus, hoje, está curada da depressão e voltou a ser quem ela sempre foi. Irradia alegria e energia! No auge dos seus 59 anos, trabalha e dá duro pelo nosso negócio”, comenta o filho orgulhoso. Assim, no terceiro mês do negócio, o faturamento do Zezé Burguer foi de mais de R$60.000. Em seguida, conseguiram quitar todas as dívidas. “Acredito muito que tudo na vida tem um porque e precisávamos passar por tudo isso, pra hoje, sermos quem somos”, diz um emocionado Lucas.

Tijuca

Lucas se considera um típico Tijucano Raiz. Ele e seus irmãos foram criados com idas ao Buxixo (Praça Varnhagem, um pólo gastronômico no bairro) com os amigos, ao shopping Tijuca, e frequentavam algumas danceterias que marcaram época como Terceiro Milênio e Raio de Sol. Eles amam o bairro, contudo, além disso, pesquisaram e descobriram que a Tijuca, na época que abriram o negócio, era o segundo bairro do Rio de Janeiro com maior demanda de delivery em um aplicativo de entregas. Em seguida, escolheram colocar a loja em um ponto estratégico que facilitasse os entregadores.  “É bem comum nossos clientes falarem que o lanche chegou em 20 minutos. Isso tudo foi estudado e planejado”, afirma Lucas.

Vida de Restaurante

Conversamos também sobre publicidade e o momento da pandemia. “Às vezes você nem está com fome, mas quando é impactado por uma propaganda, nosso subconsciente desperta a vontade de comer. Quando comecei as campanhas pra Zezé Burguer, patrocinava somente anúncios de nossas sobremesas. Além de ser um diferencial das demais hamburguerias, quando você coloca uma foto bonita de uma sobremesa, desperta um gatilho de saciedade. Açúcar gera isso. Chamava atenção das pessoas, e todas as outras vendas vinham como consequência. Éramos uma hamburgueria que somente vendia sobremesas (risos), não fazíamos propagandas de hambúrguer”, expõe Lucas.

A saber, clientes do Vida de Restaurante lançaram mais dois restaurantes em meio a pandemia, ambos na Tijuca. Segundo ele,  no primeiro mês de vida, ambos já faturaram mais de R$30.000. Ele ainda citou que durante a pandemia muitas pessoas estão trabalhando em casa e não gastam seus vale-refeições. Sendo que, na Zezé Burguer os pagamentos com vale-refeição significaram cerca de 45% de toda a receita durante a crise.

“A dica é: tenha uma marca afetiva, que realmente constrói laços com seus clientes. Esse é o caminho. Nossas marcas têm um vínculo afetivo com nossos clientes muito grande! E isso faz com que gere uma corrente do bem de ajuda. Somos muito gratos por todas as pessoas que compraram com a gente em meio a pandemia e fizeram com que os nossos negócios ficassem de pé”, explica Lucas Talarico.

Zezé Burguer
União afetiva

Mercado Vegano

Questionei sobre o mercado vegano e Lucas respondeu: “Eu digo que no futuro as pessoas se alimentarão somente com uma cápsula. Parece viagem, né? Mas temos que ter um olhar sempre um passo à frente. Tudo muda muito rápido. E hoje todos estão cada vez mais conscientes, se preocupam não somente com a alimentação, mas também com a forma que são produzidos. O futuro é esse!”

Lucas também viu um outro nicho, muitas vezes esquecido. Quando abriram a loja, não havia opções para crianças. Entretanto, ele percebeu que os pequenos não comiam hambúrguer da forma que os adultos. Então criaram um hambúrguer menor e específico pra eles. Assim como também não possuíam opções para vegetarianos e criaram o ZéGetariano.

O Zezé Burguer ainda não tem opção 100% Vegana, mas está em processo de elaboração. “O público da Tijuca se preocupa bastante com esse aspecto e tivemos que nos adaptar. Criamos o nosso cardápio baseado nas necessidades dos nossos clientes e precisamos ter um cardápio democrático, fazendo com que todos se sintam bem na nossa lojinha”, afirma Lucas Talarico.

Ademais, veja mais:

Porto dos Gatos | Beba um café com os felinos
A gastronomia africana de Dandara Batista, Afro Gourmet e o feminismo negro
Por fim, conheça um Restaurante Vegano na Tijuca com bom preço

1 Comment

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: