A Febre de Kuru | Conheça a história do primeiro serial killer brasileiro

Em 1868, quatro anos após sua prisão, a húngara Catarina Palse faz um misterioso diário chegar às mãos do recém-empossado chefe de polícia de Porto Alegre, Gervásio Campello. A princípio, a promessa era de revelar toda a verdade sobre os crimes cometidos por seu ex-companheiro, José Ramos. Esse é o ponto de partida da história contada no podcast “A Febre de Kuru”, estrelada por Cleo e Silvero Pereira.

O enredo tem ares de ficção, mas na verdade retrata os crimes reais daquele que é considerado por historiadores como o primeiro assassino em série brasileiro da história. O clima de suspense e investigação permeia todos os episódios. Ao longo deles é possível ir desvendando os desfechos inesperados da série de eventos que ficaram conhecidos como Crimes Do Arvoredo, entre 1863 e 1864, antes mesmo da definição oficial do termo “serial killer”.

Imaginação

Com direção de Toni Sader, o título marca a estreia de Cleo na produção executiva de séries em áudio, em parceria com o estúdio de criação de conteúdo Bicho e a produtora artística Uno Criativo. A atriz também dá voz à jovem Catarina Palse, estrelando ao lado de grandes nomes como Silvero Pereira, Reginaldo Faria, Lucélia Santos, Negra Li, Sérgio Mamberti e Arlindo Bezerra.

“Nós trabalhamos muito para desenvolver um conteúdo que fosse completo, real, interessante e que conseguisse retratar e transmitir toda a história para os ouvintes apenas com áudio. Acredito que esse foi o maior desafio, já que precisamos passar e mostrar tudo por meio da voz”, explica Cleo.

O diretor e roteirista Toni Sader destaca que os episódios de “A Febre de Kuru” visam estimular a imaginação. “Fizemos uma narrativa para prender a atenção dos ouvintes e deixá-los curiosos, especialmente por se tratar de uma história real, que aconteceu aqui no Brasil”.

Mais uma vez inovando e ampliando o portfólio, a produção é uma série original e exclusiva da Orelo. É um aplicativo de conteúdo em áudio que oferece podcasts originais, um catálogo global com mais de 700 mil títulos, além de conteúdos ao vivo.

Aliás, para Luiz Felipe Marques, fundador da plataforma, o principal objetivo é “continuar a trazer boas produções em áudio, com temas e abordagens diversos, para cada vez mais popularizar o formato no país”.

Enfim, os primeiros episódios já estão disponíveis e podem ser ouvidos com exclusividade na Orelo, disponível gratuitamente na Apple Store e Google Play. Os episódios finais poderão ser ouvidos a partir de 25 de junho.

Ademais, ouça abaixo e depois leia mais sobre podcasts:

Vai pra Cuba | Confira um podcast pela ilha polêmica
Além disso, podcast com Marcelo Monteiro falando de Cosmogonia Africana
Por fim, podcast com Ana Catão fala sobre dança afro

Escreve o que achou!