A. Night Ayala e O Crepúsculo do Caçador | “Fazer o certo ou fazer o mais prático?”

Nascido como André Luis Alves da Silva Leite, o escritor em construção A. Night Ayala optou por fazer como em uma de suas muitas estórias e assumir um nome que significasse mais para ele do que aquele com o qual nasceu. Ou seja, um nome que misturasse um pouco de si, representado pelo A., um pouco de como as pessoas o conhecem, representado pelo Night, que é um apelido antigo de jogos online, e um pouco de algo novo, representado pelo Ayala, sobrenome árabe de sua avó materna que, por questões familiares fora de sua alçada, nunca chegou a herdar.

Ele nasceu em Petrópolis, mas foi criado na cidade do Rio de Janeiro, ele já fez de tudo um pouco, trabalhando como estoquista, corretor de imóveis e até mesmo como barman em um bar que chegou a ter com um amigo. A única paixão que se manteve inalterada em si desde sua infância é a cultura geek, consumindo tudo desse meio, desde jogos online, jogos de tabuleiro, HQs e é claro, o que o inspirou a escrever, Role Playing Games, ou como é mais popularmente conhecido, R.P.G.

Diversão

A maior e única intenção de Night ao escrever “Caçadores”, título de sua saga, é a mesma que o moveu a criar tantas outras aventuras com seus amigos nas tardes e noites de finais de semana e a mesma que ele tenta ensinar a seu filho, diversão. É claro que toda grande história tem uma lição a se aprender e ensinamentos a passar, não é diferente com esta obra. Porém, o que realmente move Night e o faz querer continuar escrevendo é o pensamento de que, seja por alguns minutos no caminho para o trabalho ou em algumas horas vagas durante um dia tedioso, alguém, em algum lugar, vai estar lendo suas estórias e através delas conseguirão, pelo tempo que seja, se ver livre dos pesos que a rotina diária impõe a todos nós.

Sergio Menezes: Como começou seu interesse em escrever?

Night: Eu e meus amigos sempre gostamos de jogar RPG. Muitas vezes eu era o narrador, por conta disso sempre estava criando histórias para mundos diferentes, então acho que tudo começou aí.

A Night Ayala. Caçadores.

SM – Você começou como mestre em RPG, isso influenciou na sua escrita? Como é a experiência?

Night: Sim. Eu tento inclusive escrever como se fosse uma cena narrada de uma aventura de R.P.G. Exatamente por conta disso. É uma experiência diferente porque, enquanto você narra, grande parte da aventura depende de como os outros vão agir, na verdade acho que essa é a primeira vez que eu escolho como minha estória vai acabar (risos).

SM – Qual a ideia por trás do seu primeiro livro, e como começou a desenvolvê-lo?

Night: Esse livro é uma aventura que eu criei, mas nunca tive a oportunidade de narrar. Então depois de muita insistência de vários dos meus amigos decidi transformar uma das minha das minhas aventuras em livro e, como essa nunca tinha sido jogada, escolhi ela. A ideia desse primeiro livro é apresentar os personagens e o mundo com um dilema: fazer o certo ou fazer o mais prático?

SM – Você o publicou no Wattppad, como foi a resposta? Como descobriu a ferramenta? Como ela funciona?

Night: Eu tenho um amigo que já escrevia lá há um tempo e ver como o livro dele foi bem recebido me ajudou a tomar coragem de escrever lá também. A resposta foi ótima, ainda que a maioria das pessoas não comentem muito no livro você observa o número de visualizações que seu livro vai ganhando e isso, para mim, é um ótimo incentivo por que você sente que tem pessoas realmente interessadas em saber como a história termina.

SM – Quais seus próximos passos como escritor? Já tem um próximo livro no forno?

Night: Meu próximo grande passo é participar do concurso Wattys 2020 na categoria Paranormal, que é a principal temática do meu livro. Mas eu tenho sim mais coisas já no forno. Na verdade mais dois livros para fechar essa história que teve início em “Caçadores: O Crepúsculo do Caçador”.

SM – Para os que querem começar a escrever, quais dicas daria?

Night: Apenas comece. Por experiência própria eu digo que quanto mais você pensa e se questiona se vai dar certo, se as pessoas vão gostar e etc, mais difícil se torna você de fato começar. Comece de forma pequena, organize as ideias que você tem, qual vai ser a temática, quais os personagens principais, os vilões, como você quer que a história se desenvolva e termine. E aí depois, quando tiver tudo isso já escrito, escreva uma sinopse, como aquelas que nós encontramos nas orelhas das capas de livros. Depois que fizer isso vai ficar bem mais fácil começar a escrever sua história. Porque você já terá um norte para seguir, a partir daí é só botar no papel o que você tem já em mente e ver como o seu mundo toma forma conforme você escreve ele.

Afinal, se liga no instagram do autor: @a.night.ayala  e no user do Wattpad: @NightAyala

Por fim, o link do livro: https://my.w.tt/tho9juLHz8

Ademais, veja mais:

World of Wine no Porto e as uvas europeias no nordeste brasileiro
Porto dos Gatos | Beba um café com os felinos
Philip Glass e “The Portrait Trilogy” | Einstein na praia e a revolução da ópera no século XX

2 Comments

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: