Wednesday, September 22, 2021

A Pequena Luz | Peça infanto-juvenil inédita aborda abuso sexual infantil

Realizar um espetáculo infanto-juvenil que aborde a temática do abuso sexual de crianças e adolescentes é uma iniciativa que exige coragem e sensibilidade. Vista como polêmica por muitas pessoas, apresentar a questão em cena vai, além da denúncia, às consequências e desdobramentos que um ato cruel tem na vida de milhares de vítimas. A autora Thais Tomaz escreveu “A Pequena Luz”, montagem dirigida por Ricardo Rocha que faz curtíssima temporada nos dias 28 e 29 de Agosto, em sessão dupla diária às 14h e 17h no Teatro Armando Gonzaga. (Aliás, a bela foto de capa é de Vitor Granja).

A história apresenta Luméia e Lampo, dois vagalumes que iniciam uma jornada para ajudar a pequena Sofia a conseguir se comunicar com seus pais, e através disso, obter o apoio necessário para sair de uma situação de perigo e angústia. Neste encontro mágico entre pequenos seres da natureza e humanos, cheio de descobertas e desafios, a peça pretende abrir nossos olhos para o abuso na infância. Além disso, fala da necessidade de um canal de comunicação aberto sobre um tema tabu em muitas famílias, na esperança de prevenir esse tipo de violência.

“Sempre me preocupei em trazer uma certa leveza e poesia para o assunto, afinal, estamos falando com as crianças. É necessário que a aproximação seja suave para que o aprendizado seja no tempo delas. O desafio está em transformar o tema em algo que seja apreendido pelas crianças, como forma de experiência cênica, e compreendido pelos pais, como forma de um alerta”, explica o diretor Ricardo Rocha.

Ruídos na comunicação

A ideia surgiu do desejo de realizar um espetáculo infanto-juvenil com algo percebido com mais atenção em meio à pandemia de Covid-19: os ruídos na comunicação. Para ajudar a elucidar a questão no trato de um tema já delicado por si só, a equipe conta com valiosos aliados: a ludicidade da linguagem teatral e os elementos cênicos, que ajudam a explicitar sinais e sintomas característicos de uma agressão desse tipo, e a urgência de um diálogo aberto nesses casos.

“No palco podemos utilizar contrapontos que equilibrem a maneira como um assunto pode ser tratado. Através da música, da dança, da alegria e ludicidade do teatro infanto-juvenil, podemos trazer à luz um tema que é de fato, pesado e doloroso, de maneira educativa, denunciativa, sem perdermos momentos de leveza, risadas e, principalmente, esperança! Nos comprometemos a propagar a importância da comunicação entre pais e filhos, trazendo para a arte e para a cultura a missão de proteger e informar nossas crianças e jovens”, pondera Ricardo.

Os números atestam a importância da montagem: durante a quarentena, sem a rotina escolar e o escape de ambientes familiares disfuncionais e abusivos, houve um aumento exponencial de casos de abuso cometidos contra crianças e adolescentes. Dos 159 mil registros feitos pelo Disque Direitos Humanos em 2019, 86,8 mil são de violações de direitos de crianças e adolescentes. Além disso, 70% da violência sexual contra crianças e adolescentes ocorre dentro de casa.

Serviço:

“A PEQUENA LUZ”

Temporada: 28 e 29 de agosto

Horário: 14h e 17h (duas sessões por dia)

Onde: Teatro Armando Gonzaga

Av. General Osvaldo Cordeiro de Farias, 511 – Marechal Hermes

Tel.: (21) 2332-1040

Ingressos:

R$ 0,50 (inteira)

R$ 0,25 (meia-entrada)

Duração: 60 minutos

Classificação Indicativa: Livre

Gênero: Infanto-juvenil

Escreve o que achou!