Semana Puccini no Met | Ópera de graça

Em mais uma semana temática, o Met apresenta essa semana uma programação dedicada ao mais querido compositor da casa: Giacomo Puccini! Em verdade, o italiano esteve presente na grande maioria das semanas. Mesmo tendo composto poucas óperas, praticamente todas suas obras são muito montadas e celebradas no mundo todo. A princípio, o Metropolitan Opera House tem grande carinho pelo compositor que teve uma estreia de ópera no teatro (La fanciulla del West). Além disso, é o compositor da ópera mais encenada na história do Teatro: La Bohéme.

Virada do século

Inicialmente, Puccini compôs na virada do século, no final do século XIX e início do século XX. Por isso, sua obra tem a marca do Verismo, um movimento literário com forte influência na ópera. Assim, em geral suas óperas possuíam temáticas realistas, fugindo dos épicos românticos. Sua obra é bem marcada pela virada do século, Porquê as temáticas são compatíveis com seu tempo, e a música mantém muito da tradição do século XIX. Em geral o compositor procurava temas “exóticos” para suas óperas. Por isso, teve óperas encenadas no Oeste americano, na China, no Japão. Além disso, suas obras costumam ter a marca da tragédia. Afinal, ele compôs apenas uma comédia, La rondine, que na verdade não é encenada com tanta frequência, se comparado às suas outras óperas.

Óperas da semana

A primeira ópera da semana é justamente a úncia ópera cômica do compositor: La rondine, a andorinha. Estreou em 1917 e a história se passa no meio do século XIX. A ópera não montada no Metropolitan há 70 anos voltou nessa montagem, por isso é uma ótima oportunidade para vê-la. Na terça é a vez de La Fanciulla del West, ópera que se passa no Velho oeste americano e teve estréia no próprio Metropollitan em 1910, assim, a ópera volta à sua casa.

Na Quarta feira é a vez de Manon Lescaut. A versão italiana apaixonada e intensa de Puccini para a já muito famosa e explorada história de Manon. Quinta será a vez de Madama Butterfly, ópera que se passa no Japão e encanta o público desde 1904, quando estreou no grandioso Teatro alla Scalla de Milão.

Final de semana de clássicos

Para o final de semana, o Met reservou 3 das obras mais celebradas do compositor. Logo, na sexta Tosca aparece, tragédia que estrou em 1900 e até hoje está presente todos os anos ao redor do mundo nos teatros. Sábado é o dia de Turandot, última ópera de Puccini, com a clássica ária Nessum Dorma, além disso, é celebrada pela crítica como melhor obra do compositor, tecnicamente falando. Domingo, fechando a semana de Puccini não poderia faltar a ópera que mais encenada na história do Met e que dispensa comentários: La Bohéme!

Programação

21/09 – Puccini – La Rondine

Estrelando Angela Gheorghiu, Lisette Oropesa, Roberto Alagna, Marius Brenciu e Samuel Ramey; regência de Marco Armiliato. 10 de janeiro de 2009.

22/09 – Puccini – La Fanciulla del West

Estrelando Deborah Voigt, Marcello Giordani e Lucio Gallo; regência de Nicola Luisotti. 8 de janeiro de 2011.

23/09 – Puccini – Manon Lescaut

Estrelando Kristine Opolais, Roberto Alagna, Massimo Cavalletti e Brindley Sherratt; regência de Fabio Luisi. 5 de março de 2016.

24/09 – Puccini – Madama Butterfly

Estrelando Patricia Racette, Maria Zifchak, Marcello Giordani e Dwayne Croft; regência de Patrick Summers. 7 de março de 2009.

25/09 – Puccini – Tosca

Estrelando Sonya Yoncheva, Vittorio Grigolo e Željko Lučić; regência de Emmanuel Villaume. 27 de janeiro de 2018.

26/09 – Puccini – Turandot

Estrelando Christine Goerke, Eleonora Buratto, Yusif Eyvazov e James Morris; regência de Yannick Nézet-Séguin.12 de outubro de 2019.

27/09 – Puccini – La Bohème

Estrelando Angela Gheorghiu, Ainhoa Arteta, Ramón Vargas, Ludovic Tézier, Quinn Kelsey, Oren Gradus e Paul Plishka; regência de Nicola Luisotti. 5 de abril de 2008.

Ademais, as óperas são disponibilizadas todos os dias no site do Met às 19h metopera.org . Além das óperas, encontra-se bastante material extra, com os programas e textos e vídeos complementares.

Ademais, veja mais:

O Leilão do Lote 49 | Conheça Thomas Pynchon e a paranoia pós moderna
Centenário de Charles Bukowski | O velho, o vô e pessoas que não são boas
Enfim, Philip Glass e “The Portrait Trilogy” | Einstein na praia e a revolução da ópera 

 

Escreve o que achou!