Thursday, August 11, 2022

Crítica | ‘Leonora, Adeus’ é dois em um, humor e melancolia

Paolo Taviani entrega dois em um em seu último filme: Leonora, Adeus (Leonora Addio). Luigi Pirandello, escritor italiano é a figura homenageada, juntamente com Vittorio Taviani, irmão de Paolo. Eles dirigiram filmes juntos desde a década de 50 até Vittorio falecer em 2018. Aliás, Leonora Addio é o nome de um conto de Pirandello, que morreu em 1936.

No longa há cenas de Rossellini, Antonioni, Lattuada e outros, que servem para evocar a época da Segunda Guerra Mundial. O filme de 1984 dos Tavianis, Chaos, baseado em cinco contos de Pirandello, também aparece.

A primeira parte do filme é magnífica. O início contextualiza a época e mostra cenas reais de Pirandello ganhando o Prêmio Nobel de Literatura de 1934. O preto e branco em seguida é lindo com seu jogo de sombras e uma fotografia de alto contraste.

Cultura italiana

Diversos símbolos da cultura italiana estão presentes como o humor, certa insolência, o catolicismo. Destaco acima de tudo nesse, digamos, primeiro filme, o humor que ironiza o jeito de italiano de ser, enquanto as cinzas do escritor seguem sua jornada até Agrigento, na  Sicília, sul da Itália.

Os inconvenientes que vão surgindo são muitos. É um humor gostoso, sarcástico, teatral e sutil. A viagem de trem proporciona um retrato da vida italiana pós-Segunda Guerra Mundial, tem uma homenagem as aventuras piratas de Il Corsaro Nero e um rápido vislumbre de um romance de um italiano com sua noiva alemã, a qual conheceu enquanto prisioneiro de guerra. Marcas.

A forma como Paolo faz as transições é belo, sempre com uma lentidão artística que transforma as cenas em pinturas enquanto a mudança ocorre. Uma delas é quando o filme ganha cores, louvando o mar em um azul espetacular.

Então, vem a sequência baseada no conto O Prego, o segundo filme, sobre um menino italiano que é forçado a emigrar para os Estados Unidos e mata uma menina. Parece não haver conexão entre as histórias além de terem Pirandello como inspiração, mas há, ambos falam da morte e maneiras de homenagens. Entretanto, enquanto a primeira parte viaja pelo humor, a segunda é melancólica, com uma trilha sonora épica e bela.

Por fim, Paolo traça um caminho nostálgico revisitando a própria carreira para se despedir de seu irmão com o objeto o qual eles trabalharam tão bem juntos: a Sétima Arte.

Leonora, Adeus é um dos filmes da 8 ½ Festa do Cinema Italiano 2022 que ocorre em 20 cidades brasileiras de 28 de julho a 10 de agosto.

Ademais, veja mais:

‘Silvio e os Outros’ é sobre um demônio real, sedutor e patético
Crítica | De Volta Para Casa (Tornare)
A arte da felicidade | Filme italiano traz sabedoria e espiritualidade nos rumos de um taxista

Escreve o que achou!