Quarta Autoral apresenta novos artistas

Conhece a Quarta Autoral? E você já se perguntou de onde surgiu o sarau? Pois bem, sarau é um tipo de evento possivelmente originado durante o século XIX, onde pessoas se reuniam com o propósito de realizar e assistir apresentações artísticas e culturais, além de ter um momento de convívio social. A nossa famosa “resenha” do século XXI.

Com o advento da tecnologia e tudo ao alcance das mãos, a prática de consumir arte ao vivo tem ficado cada vez mais escassa. Além disso, nota-se no cenário independente brasileiro, mais especificamente no musical, uma grande dificuldade de expor trabalhos autorais quando ainda não se tem um público consistente que já conheça e acompanhe o artista durante os shows.
Pensando nessa problemática, e com uma imensa vontade de dar espaço a músicos em início de caminhada, o produtor Bruno Portinho, dono do Mundeco Bar, no Leme, criou a Quarta Autoral.

Durante o evento, em média, de sete a oito artistas apresentam algumas de suas composições em voz e violão. Aliás, muitas vezes, acaba sendo a primeira oportunidade de mostrá-las ao público. E o clima do evento remete aos saraus, às reuniões entre amigos dispostos a conhecer e apoiar o trabalho do outro. A sensação que se tem no Mundeco, nas noites de Quarta Autoral, é que as pessoas presentes realmente fazem parte uma grande família que se diverte junta.

Fomentando o cenário cultural

A primeira edição deste ano aconteceu no dia 08 de janeiro. Contou com Hugo Mello, Susanne Stersi, Lucas Marques, entre outros artistas que estão lançando suas carreiras nas plataformas de streaming e consolidando seu público aos poucos. Há participantes que são prata da casa, como Henrique Ciryllo, que já até conhece os frequentadores mais assíduos. Em geral, os cantores discorrem sobre a vida cotidiana, os amores, as desilusões, e trazem consigo a forte influência da MPB. As músicas executadas em voz e violão valorizam ainda mais a proposta intimista do evento.

Entretanto, não é só a música popular brasileira que tem espaço no Mundeco. A Banda Lowd, um power trio de rock com pegada de metal, apresentou suas composições de maneira acústica, com guitarra, baixo e cajón, e cativou o público que vibrou com o show de talento que os meninos deram. Não há dúvida de que o trabalho apresentado por todos é feito com muito amor e verdade. Essa é a receita para o sucesso e que talvez só precise de uma oportunidade para despontar.

Enfim, iniciativas como essas, principalmente as que resgatam a ideia do sarau, são fundamentais para fomentar o cenário cultural brasileiro. Empresários com a visão de colaborar para que trabalhos musicais se tornem populares por meios alternativos aos das grandes gravadoras são raros e merecem o respeito dos apreciadores da primeira arte. O Mundeco Bar é um lugar excelente para o happy hour depois do trabalho. Cardápio democrático, e doses duplas de bebidas nos dias de Quarta Autoral, são algumas das estratégias para ajudar a conquistar o público para as apresentações.

*inclusive, acompanhe as andanças de Miss Indie no @missindieporaí

Ademais, leia mais:

Grupo Filhos de Sá | “A persistência acompanha os valentes”
Entrevista com Juliana Linhares, do Pietá. A cantora solta o verbo!
Dançarina Ana Catão | “Nossa missão é trazer essa história que foi varrida para debaixo do tapete”

Escreve o que achou!