Wednesday, September 22, 2021

Deya Mota lançará clipe colaborativo baseado em tabu e ritual ancestral | Lua de Sangue

Deya Mota, cantora, compositora e atriz, lançará o videoclipe da canção “Lua de Sangue” durante a lua cheia de 1º de outubro de 2020. A saber, a temática do clipe e da canção é o ritual ancestral de devolver o sangue menstrual à terra, ou seja, “plantar a Lua”. O videoclipe conta com a direção de Sofia Teixeira. Além disso, o interessante é que foi feito a partir de colaboração voluntária de diversas pessoas que enviaram vídeos feitos em suas casas com celulares, em respeito ao isolamento social.
A ideia era trazer olhares diversos e naturalizar a menstruação, tema que ainda é tabu na nossa sociedade. A música é uma composição de Deya Mota e Beto Lemos, que assina o arranjo e direção musical. Ao fazer a letra da canção, Deya se inspirou na profecia das indígenas Lakotas e Andinas, a qual diz que quando as mulheres deixaram de devolver seu sangue à terra, os homens tiveram que começar a matar. Então, iniciou-se a matança de animais e as guerras para que o derramamento de sangue suprisse a necessidade de nutrientes. Porém, quando todas as mulheres voltarem a devolver o seu sangue à terra, a profecia diz que acabará a necessidade do sangue derramado pela violência.

Naturalizar

“A menstruação ainda é tida como um fardo pra muitas pessoas que menstruam porque culturalmente aprendemos que menstruar é sujo, doloroso, motivo de vergonha, etc. E tudo isso desconecta grande parte das pessoas que menstruam deste processo biológico tão importante pra saúde física e emocional. A ideia é naturalizar a menstruação para que cada pessoa tenha opção de cuidar do seu menstruar de forma adequada. Ter informações acessíveis sobre o assunto”, diz Deya Mota.
O áudio da música está disponível em seu canal no YouTube. Em breve, estará em todas as plataformas junto com o videoclipe. Aliás, ouça a música e veja como foi o chamado para o clipe colaborativo:

Intu.ir.som

Deya Mota é cantora, compositora e atriz. Como cantora lançou em 2018 a série de vídeos Intu.ir.som, gravada no atelier do artista plástico Rona Neves sobre a temática do fogo. Deya, interpreta músicas inéditas em duos com Pablo Arruda, Beto Lemos, Guilherme Pimenta e Pedro Amparo. Inclusive, interpretou Beth Carvalho no musical “Andança” com direção de Ernesto Piccolo, em maio de 2017, no teatro João Caetano, substituindo a atriz Barbara Fer.
Anteriormente, em julho de 2016, interpretou Clara Nunes no musical “O Mar Serenou um Conto de Clara”. Ainda atuou ao lado do ator e diretor Roberto Bomtempo no musical “Raul Fora da Lei”, de 2004 até 2015. Além disso, atuou no musical infantil “A Lenda do Valle da Lua”, com texto e direção de João das Neves, músicas de Chico Cesar e direção musical de Beto Lemos.
Entre 2016 e 2017, realizou a “Festa dos Ancestrais” show com um repertório de músicas brasileiras, afro-brasileiras e latino-americanas, juntamente com autorias próprias e de parceiros da nova cena musical como Luiz Nascimento, Alberto Americano e Sergio Pererê, além de releituras de Gilberto Gil e Lenine, entre outros. Lançou em 2014 o disco “Paisagem Invisível”, inspirado no poeta Manoel de Barros, com direção musical e arranjos de Victor Ribeiro. Deya gravou músicas inéditas próprias e de Thiago Amud, Marcelo Fedra e Renato Frazão, além de releituras. Paisagem Invisível originou do show teatral de mesmo nome dirigido em processo colaborativo com Alessandra Gelio. Com este circulou de 2012 a 2015, pelas fnac de Portugal e por teatros e casas de shows do Rio de Janeiro como Centro de Referência da música Carioca, Centro Cultural Carioca, entre outros.

Escreve o que achou!