Saturday, September 18, 2021

Duo Atalhos lança versão ao vivo da faixa “A Tentação do Fracasso”

O duo paulista Atalhos fecha, nesta quinta, dia 26, o projeto ao vivo Amplifiquintas, gravado no Teatro Paulo Eiró, em São Paulo, com a faixa “A Tentação do Fracasso”. Ao todo, foram três canções performadas pelos artistas junto à banda, incluindo “Te Encontrei em SP”, single mais recente que estará no próximo álbum; e “The Bell Jar”, do disco anterior, “Animais Feridos”. A apresentação foi online e levou a Atalhos de volta aos palcos, após o último show presencial realizado em março de 2020.

O “Amplifiquintas” é um projeto da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) de São Paulo, gravado em julho deste ano, e que trouxe bandas e artistas de selos independentes aos teatros da capital paulista em performances transmitidas ao vivo e com acesso gratuito.  Pelo selo musical Before Sunrise Records, a Atalhos se apresentou no Teatro Paulo Eiró, além da banda paulistana Ema Stoned e o norte-americano Bryson Cone.

“Não tínhamos planos de fazer shows neste momento, mas a ideia de subir ao palco após tanto tempo nos animou a aceitarmos de prontidão o convite. Obviamente não tinha público, toda a apresentação foi transmitida online. A experiência serviu para esquentar os motores e preparar a banda para a volta dos shows. Foi um gostinho especial sentir que nosso encontro com o público está cada vez mais perto”, comenta o vocalista Gabriel Soares.

Atalhos divulgará próximo álbum em breve

Atalhos se prepara para o lançamento do quarto álbum “A Tentação do Fracasso” previsto para janeiro de 2022. Previamente, já foram disponibilizados os singles “Mesmo Coração”, a faixa-título do disco e “Te Encontrei em SP”, em parceria com a cantora argentina Delfina Campos. O primeiro também ganhou duas versões remix, produzidas pelo chileno Ives Sepúlveda, do The Holydrug Couple, e americano Gordon Raphael, produtor musical do The Strokes.

Ademais, leia mais

L.O.C.A. | Comédia brasileira debate relacionamentos tóxicos

Sol Alegria | Crítica

Crítica | ‘Mudança Mortal’ é bom suspense na Netflix

Escreve o que achou!