Saturday, December 3, 2022

Conheça os oito longas-metragens da Globo Filmes para 46ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Após passar pelo Festival do Rio 2022 com seis longas-metragens, a Globo Filmes chega à 46ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo com cinco documentários e três filmes de ficção.

A princípio, na Mostra Brasil: “Amazônia, a Nova Minamata?”, de Jorge Bodanzky; “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, de Pedro Bronz; “Biocêntricos”, de Fernanda Heinz Figueiredo e Ataliba Benaim; “Um Outro Francisco”, de Margarita Hernández, “Derrapada”, de Pedro Amorim; “Lilith”, de Bruno Safadi; e “Perlimps”, de Alê Abreu.

Por outro lado, na Competição Novos Diretores, “Votos”, de Ângela Patrícia Reiniger, concorre ao Prêmio do Júri junto com produções estrangeiras.

Dos documentários citados, três são inéditos e estreiam mundialmente na mostra. São eles: “Amazônia, a Nova Minamata?”, “Biocêntricos” e “Um Outro Francisco”. Com 231 filmes na programação, sendo 67 brasileiros, a mostra ocorre de 20 de outubro a 2 de novembro.

Em seguida, saiba mais sobre os de ficção:

“Derrapada”, de Pedro Amorim

Nanda Costa interpreta uma mãe que engravidou durante a adolescência em “Derrapada”, de Pedro Amorim. Agora, Samuca (Matheus Costa), seu filho skatista de 17 anos, se vê na mesma situação que ela ao descobrir que a namorada está grávida.

“Lilith”, de Bruno Safadi

Com direção de Bruno Safadi, “Lilith” é um épico experimental contemporâneo sobre a deusa que, de acordo com a mitologia, teria sido a primeira esposa de Adão, antes de Eva.

“Perlimps”, de Alê Abreu

A animação “Perlimps”, de Alê Abreu, se passa em uma floresta encantada, em que Claé e Bruô, agentes secretos de reinos rivais, precisam se unir contra os Perlimps, criaturas misteriosas capazes de salvar o mundo onde vivem. Em 2016, o cineasta foi indicado ao Oscar por “O Menino e o Mundo”.

A seguir, os documentários:

“Amazônia, a Nova Minamata?”, de Jorge Bodansky

Com direção e roteiro de Jorge Bodansky (“Iracema – uma transa amazônica”), o documentário “Amazônia, a Nova Minamata?” acompanha médicos e pesquisadores que investigam a contaminação de mercúrio na Amazônia, enquanto resgata a história de Minamata no Japão e revela o tamanho dessa ameaça para a floresta e seus habitantes.

“Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, de Pedro Bronz

A partir de imagens documentadas pela própria Beth Carvalho ao longo de 53 anos de carreira, “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, de Pedro Bronz, faz um recorte único sobre a trajetória desse símbolo cultural do Brasil.

“Biocêntricos”, de Fernanda Heinz Figueiredo e Eduardo Benaim

“Biocêntricos”, de Fernanda Heinz Figueiredo e Eduardo Benaim, é a primeira investigação audiovisual brasileira sobre a relação entre a ciência de alta tecnologia do século XXI e a natureza selvagem. O documentário acompanha sete projetos de múltiplas áreas do engenho humano, em que a biomimética (imitação da vida) é a grande estratégia de inovação.

“Um Outro Francisco”, de Margarita Hernández

O registro do processo criativo de dois fotógrafos italianos em um evento religioso no sertão do Ceará, na segunda maior festa franciscana do mundo, é o tema de “Um Outro Francisco”, de Margarita Hernández. Ao relacionar fotografia de reportagem e fotografia popular, o documentário levanta questionamentos sobre o conceito de “fotografia artística”.

“Votos”, de Ângela Patrícia Reiniger

“Votos”, de Ângela Patrícia Reiniger, investiga o que motiva as pessoas a fazerem votos de pobreza, obediência e castidade no século XXI, em que tudo é visto como descartável. Conhecidos como perpétuos, esses personagens vão na contramão da modernidade para buscar a própria essência.

Ademais, veja mais:

‘O Pastor e o Guerrilheiro’ no Festival do Rio | Crítica

Confira os vencedores do Festival do Rio 2022

Crítica | Floresta Vermelho Escuro: Monjas Budistas no Tibet

Escreve o que achou!