Pela Natureza | Greta Thunberg destaca os graves danos dos atuais sistemas de produção alimentar

Mercy For Animals anunciou neste sábado (22) um novo vídeo intitulado “Pela Natureza”. Conta com a ativista climática e ambiental sueca Greta Thunberg, destacando as ligações entre as crises climática e ecológica e a pandemia da COVID-19. Greta apela ao público para deixar a carne de fora do prato para ajudar a combater as alterações climáticas.

Falando de Estocolmo com o seu cão, Roxy, Greta ajuda o público a ligar os pontos entre o aumento de novas doenças causadas pela nossa relação com os animais. Alpem disso, o rápido declínio da biodiversidade e a crise climática causada em parte pelo aumento das emissões de carbono vindo de sistemas alimentares. Greta realizou esse filme para ajudar o público a compreender as ligações entre esses problemas e as suas soluções. “Sejamos francos, se não mudarmos, estamos f*****”, afirma a ativista de forma franca. “Mas nós podemos mudar”, ela assegura. Apesar de inúmeras estatísticas preocupantes, Greta Thunberg traz otimismo ao filme.

“A crise climática é apenas um sintoma da crise de sustentabilidade que enfrentamos. Temos industrializado a vida na Terra e deteriorado a nossa relação com a natureza”, diz Greta. “Pandemias mais frequentes e devastadoras, perda de biodiversidade e a crise climática estão todas ligadas a essa causa raiz. É por isso que precisamos repensar a forma como valorizamos e tratamos a natureza, a fim de assegurar as condições futuras e presentes para a vida na Terra. Todos nós, naturalmente, temos diferentes oportunidades e responsabilidades, mas a maioria de nós pode pelo menos fazer algo — mesmo que seja pouco.”

Consumo humano

A criação de animais explorados para consumo humano é uma das principais causas de desmatamento, degradação do solo, poluição da água e perda de biodiversidade. Ainda por cima, tais fatores consomem intensivamente os recursos naturais para sustentar o crescente aumento da população. Usamos uma extensão enorme de terras valiosas para cultivar soja, milho e trigo, alimentos que poderiam usar para alimentar os seres humanos diretamente; em vez disso, usamos esses grãos, em uma conversão absurda, como ração para alimentar poucos animais e transformá-los em carne para consumo humano. A exploração de animais para alimentação utiliza cerca de 30% da terra do planeta e a produção de rações ocupa 33% da terra de cultivo do mundo.

“A Mercy for Animals orgulha-se de se associar à Greta Thunberg para aumentar a conscientização sobre a interligação de todos os seres do nosso planeta. Cada um de nós pode fazer parte da transformação do nosso sistema alimentar e reparar a nossa relação com a natureza. Nós, que temos como fazer escolhas alimentares, podemos comer como se o nosso mundo dependesse disso”, disse John Seber, vice-presidente sênior de Advocacy da Mercy For Animals.

Greta Thunberg pediu ao premiado cineasta britânico Tom Mustill para criar o filme. Seu trabalho com a BBC, estrelando David Attenborough e outras figuras de renome da ciência e conservação, ganhou mais de 30 prêmios internacionais, incluindo dois Webbys, um Panda Widescreen e dois Prêmios Jackson Wild. O trabalho de Tom também foi nomeado para um Emmy em horário nobre e exibido nas Nações Unidas e no Parlamento Europeu.

Para assistir ao vídeo, visite: https://pelanatureza.org/

Para mais informações sobre a organização, acesse www.mercyforanimals.org.br

Fontes usadas na matéria:

  • A exploração de animais para alimentação utiliza cerca de 30% da terra sem gelo do planeta – Steinfeld et al., Livestock’s Long Shadow, 4.
  • A produção de rações ocupa 33% da terra de cultivo do mundo – Food and Agriculture Organization of the United Nations, Livestock and Landscapes (FAO, 2012), 1.

 Fontes usadas no filme:

  • Até 75% de todas as novas doenças vêm de outros animais – “3 em cada 4 doenças infecciosas novas ou emergentes em humanos vêm de animais” CDC Julho 2017 https://www.cdc.gov/onehealth/basics/zoonotic-diseases.html
  • 83% das terras agrícolas do mundo são utilizadas para alimentar gado -“carne, aquicultura, ovos e laticínios ~83% da terra agrícola mundial ”. Science, 1 de Junho de 2018, Poore & Nemecek https://science.sciencemag.org/content/360/6392/987
  • No entanto, o gado fornece apenas 18% das nossas calorias – “apesar de representar apenas 37% das nossas proteínas e 18% das nossas calorias” Science, 1 de junho de 2018, Poore & Nemecek https://science.sciencemag.org/content/360/6392/987
  • A área de terra utilizada para produção de carne e laticínios equivale à área das Américas do Norte e do Sul juntas – “a necessidade de terra para a produção de carne e derivados de leite é o equivalente a uma área do tamanho das Américas, abrangendo desde o Alasca até a Terra do Fogo”. Our World in Data, 4 de março de 2021, Hannah Ritchie – stats from UN FAO https://ourworldindata.org/land-use-diets
  • Mas a agricultura e o uso da terra em conjunto correspondem a cerca de ¼ das nossas emissões – “A cadeia produtiva de alimentos gera ~13.7 bilhões de toneladas por metro de dióxido de carbono (CO2eq), 26% das emissões de GHG causadas por humanos.” Science, 1 de junho de 2018, Poore & Nemecek https://science.sciencemag.org/content/360/6392/987
  • Se mudarmos para uma dieta à base de plantas, poderíamos poupar até 8 bilhões de toneladas de CO2, todos os anos – “Até 2050, as mudanças alimentares poderiam liberar vários milhões de quilômetros quadrados de terra, e reduzir as emissões globais de CO2 até oito bilhões de toneladas por ano, em relação à situação normal, estimam os cientistas”. Nature, 8 de agosto de 2019. https://www.nature.com/articles/d41586-019-02409-7
  • 25 vezes todas as emissões vulcânicas – “O CO2 liberado na atmosfera e oceanos atualmente vem de vulcões e outras regiões magneticamente ativas, estimados em 280 a 360 milhões de toneladas (0,28 a 0,36 Gt) por ano, incluindo a quantidade liberada nos oceanos a partir dos vulcões abaixo do nível do mar” (utilizamos a parte inferior da estimativa por questões de segurança). Deep Carbon Observatory, 2019.
  • Nós poderíamos nos alimentar utilizando menos terra [76%] “Mudar as dietas atuais para uma dieta que exclui os produtos de origem animal… tem um potencial transformador, reduzindo o uso da terra para cultivo de alimentos em 3,1 (2,8 a 3,3) bilhões de hectares (uma redução de 76%)” Science, 1 de junho de 2018, Poore & Nemecek https://science.sciencemag.org/content/360/6392/987
  • Todos os anos matamos cerca de 60 bilhões de animais – UN FAO via Our World In Data https://ourworldindata.org/grapher/animals-slaughtered-for-meat?country=~OWID_WRL
  • Mais de 70% dos animais vivem em fazendas industriais. Nos Estados Unidos, esse número chega a 99% – “Mais de 70% dos animais no mundo são explorados para consumo, incluindo uma estimativa de 99% nos Estados Unidos.” Farm Animal Investment Risk and Return, 2016. https://cdn.fairr.org/2019/01/09115647/FAIRR_Report_Factory_Farming_Assessing_Investment_Risks.pdf

Escreve o que achou!