Parque de Esculturas no Jardim de Glaziou | Mais de 20 artistas participam da segunda edição da mostra

A Casa de Petrópolis abre seus portões, entre os dias 30 de maio e 31 de julho, das 10h às 16h, para a segunda edição da exposição “Parque de Esculturas no Jardim de Glaziou”, uma mostra que conta com a participação de 26 artistas do Rio de Janeiro e de Petrópolis, na região serrana. Num dos jardins projetados pelo maior paisagista do período imperial, o francês Auguste François Marie Glaziou, os visitantes poderão contemplar esculturas contemporâneas em meio às mais variadas espécies de plantas e do lago que compõem a paisagem deste patrimônio histórico tombado, que também é conhecido como Mansão de Tavares da Guerra.

Sob curadoria de Marcelo Lago, o objetivo da exposição é proporcionar, de forma segura, uma experiência de intensidade plástica a céu aberto, numa atmosfera de cruzamentos espaço-temporais entre o Jardim Glaziou dos séculos XIX e XXI. A mostra, que teve sua primeira edição realizada no ano 2000 e que, neste ano, é viabilizada com recursos do Governo Federal, do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc, é uma forma de celebrar a escultura como uma das manifestações artísticas mais cultuadas ao redor do mundo.

Percurso circular

“Para esta segunda edição, convidei artistas do Rio e de Petrópolis. A escolha partiu da premissa de conhecer, de perto, o processo criativo de todos, alguns com suas poéticas definidas e que já fazem parte da história das artes plásticas do Brasil, e outros mais jovens, mas com trabalhos potentes e significativos. O que une esses artistas não são só questões que envolvem historicamente as três dimensões, da ocupação do espaço às suas nuances de fatura e escala, mas as relações que seus trabalhos terão com o ambiente natural. Alguns usam a própria natureza como parte de suas esculturas, outros seus elementos, mas todos, com certeza, a levaram em conta no momento em que pensaram suas propostas, com todas suas possíveis dificuldades e potencialidades”, explica Marcelo.

O curador ainda ressalta que a exposição é composta tanto por obras que necessitam de ambientes mais fechados e intimistas quanto por outras que se adequam perfeitamente, por exemplo, à grande área aberta central em frente à Casa. E, assim, através de um percurso circular, que começa na entrada do jardim, de onde se tem uma visão geral de todo o arranjo principal, o visitante irá percorrer e descobrir os pequenos recantos do espaço, com esculturas dispostas em locais específicos, de acordo com as suas diferentes dimensões.

A Casa de Petrópolis é uma das maiores atrações turísticas da cidade, tendo sido inclusive cenário para gravações de filmes e novelas. Erguida em 1884, foi residência da família do financista José Tavares Guerra, que também idealizou o projeto do imóvel, construído pelo engenheiro alemão Karl Spangenberger. Há de destacar ainda que esta foi a primeira construção petropolitana a utilizar a luz elétrica e a ter banheiros dentro de casa. O jardim, do paisagista e botânico Auguste Franços Marie Glaziou, o mesmo projetista dos jardins da Quinta da Boa Vista, ainda conserva seus traçados originais.

Serviço:

Data: 30 de maio a 31 de julho (4ª feira a domingo)

Horários: 10h às 16h

Local: Casa de Petrópolis

Endereço: Av. Ipiranga, 716 – Petrópolis / RJ

Entrada Gratuita

Facebook: https://www.facebook.com/parquedesculturas

Instagram: @parquedesculturas

Ademais, leia mais:

A Imagem da Tolerância | Conheça o documentário sobre um símbolo da benevolência
Casa do Triunfo | Livro aborda peregrinação e aparição de Nossa Senhora
Aparecida do Brasil | O documentário que é reportagem sobre a imagem da santa

 

Escreve o que achou!