Tuesday, October 19, 2021

Venom: Tempo de Carnificina | Crítica

Venom volta as telonas para a continuação do primeiro filme, que foi bem criticado na época pelos críticos. Porém, fez certo sucesso com público. Com isso em mente, o anti-herói volta sem pretensão de mudar, a premissa dessa sequência “Venom: Tempo de Carnificina” é bem mais sólida, entretanto, sem tirar a diversão que é a alma do filme.

O relacionamento entre Eddie e Venom evolui, dessa forma, eles descobrem que ficam melhores juntos que separados. Por outro lado, Cletus Kasady (Woody Harrelson, bem demais) puxa a responsabilidade de ser o grande vilão do filme, e manda muito bem com isso. Todas as cenas dele são impactantes ou chamam atenção, algo que não acontece muito com Frances ( Naomie Harris) pois tem pouco tempo de tela e pouca explicação.

Venom é o puro suco do Guilty Pleasure (prazer culpado em tradução livre), ou seja, aquele filme que não se leva a sério, bobo às vezes, pastelão e até brega, mas que provavelmente fará você se divertir muito e dar boas risadas.

Diferente

Venom realmente não se parece com mais nenhum filme de herói que eu tenha visto. Tem pitadas de humor com toques muito específicos que só assistindo para entender o quão diferente da “zona Marvel” está essa obra.

Tom Hardy realmente entrou de cabeça quando virou roteirista e produtor do filme, e realmente mandou bem nisso, poucas vezes um filme que não se leva a sério conseguiu me chamar atenção dessa forma.

Inclusive pessoas que não gostaram do primeiro, podem ir a esse sem tanto medo, a crítica tem falado bem também e achado muito melhor que o anterior.

Ver Venom realmente é uma experiência, uma experiência de revisitar HQs antigas, de ver algo com sabor de brega, mas também de ver uma história legal e que recomendo demais, ver com a família no cinema ou em casa, com amigos, com certeza será um filme marcante e que trará momentos únicos.

Aliás, “Venom – Tempo de Carnificina” quebrou recordes de bilheteria em sua estreia internacional nos cinemas. O filme mostrou sua força nos dois primeiros territórios em que estreou. Na Rússia, o filme faturou mais de 15 milhões de dólares no fim de semana de estreia, se tornando a maior abertura da Sony no país. Além disso, o filme também se tornou a maior abertura da pandemia e é a 4ª maior abertura de todos os tempos no país.

Já nos Estados Unidos, o filme faturou 90 milhões de dólares em seu fim de semana de abertura, 10 milhões acima da estreia do primeiro filme, em 2018. “Venom – Tempo de Carnificina” se tornou a maior abertura da pandemia nos cinemas americanos.

“Venom – Tempo de Carnificina” estreia nos cinemas de toda a América Latina em 7 de outubro. Dirigido por Andy Serkis, com roteiro de Kelly Marcel e história escrita por Tom Hardy e Marcel, o filme também traz no elenco Michelle Williams.

Vai assistir, está ansioso? Já viu? Conta nos comentários o que achou ou o que espera!

Enfim, se liga no trailer:

Ademais, veja mais:

Zero | Netflix traz herói do Senegal para a Itália

‘Ninguém Sai Vivo’ na Netflix

Meu Sangue é Vermelho | Crítica

Escreve o que achou!