Wednesday, September 22, 2021

Turismo no Japão | Seis maneiras de conhecer o Monte Fuji

Julho chegou e, com ele, o verão no Japão. A estação, caracterizada pelo clima quente e úmido, é muito aguardada pelos japoneses. A época é ideal para visitar as montanhas e aproveitar a natureza, e o Monte Fuji se destaca entre as diferentes atrações do país. A montanha mais alta do Japão oferece inúmeras atividades que permitem explorar sua área, se divertir e apreciar belas paisagens.

Sendo assim, a Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) seleciona uma lista de atividades que permitem conhecer o vulcão de maneiras e ângulos diferentes. Passeios tradicionais e inusitados na região para inspirar futuras viagens ao Japão.

Das alturas: pelas trilhas que levam ao topo

A princípio, o cartão postal mais famoso do Japão está localizado no sudeste da província de Yamanashi, próximo da divisa com Shizuoka. O vulcão tem mais de 3.500 metros de altura e é um Patrimônio Mundial da UNESCO. A maneira mais tradicional, no Japão, de explorar o Monte Fuji é por meio de suas trilhas que levam ao topo. A escalada já foi vista como uma peregrinação religiosa e, hoje, é conhecida por sua beleza natural e significado cultural.

Há quatro trilhas abertas ao público: Subashiri, Fujinomiya, Gotemba e Yoshida. Todas partem da mesma região, a Estação Shin-Fuji, em Shizuoka, que oferece transportes que levam os aventureiros. As trilhas abrem em julho e fecham no início de setembro. Cada uma delas tem suas peculiaridades e graus de dificuldade. Vale se aventurar por elas durante a madrugada, para vivenciar o nascer do sol deslumbrante das alturas. Não é preciso ser um profissional para escalar o Monte Fuji, mas é importante estar em boas condições físicas. Agências de viagens organizam excursões até o local, e há acomodações e infraestrutura nos caminhos para atender aos visitantes.

Mais informações sobre as trilhas: https://www.japan.travel/pt/fuji-guide/mt-fuji-climbing-guide/

De sua base: nos locais sagrados aos pés da montanha

Além disso, os praticantes do budismo e do xintoísmo costumam frequentar os notáveis templos e santuários na base do vulcão. Uma boa forma de conhecer o Fuji-san e compreender sua importância histórica e cultural é visitando um desses locais sagrados.

O Santuário Kitaguchi Hongu Fuji Sengen-jinja, em Yamanashi, guarda a histórica entrada para o Monte Fuji. O enorme portão (Fujisan Otorii) marca a passagem deste mundo e a chegada ao mundo sagrado xintoísta, e foi ponto de partida para as peregrinações no passado.

Aliás, o local é cercado por enormes e milenares cedros japoneses. As árvores gêmeas Taro e Jiro se destacam.

Mais informações sobre o santuário: https://www.japan.travel/pt/spot/1326/

Por dentro: explorando suas cavernas

O Monte Fuji é um grande vulcão que se formou há cerca de 100 mil anos. Como resultado da sobreposição de suas erupções, diversas cavernas se formaram. Algumas delas podem ser visitadas, como a Caverna de Gelo de Narusawa, no coração da Floresta de Aokigahara, no distrito de Minamitsuru, em Yamanashi.

A saber, o local tem 21 metros de profundidade e é um excelente refúgio gelado durante o verão, com temperaturas próximas ao zero grau Celsius. A caverna tem em seu interior estalactites e estalagmites de gelo, algumas com 30 metros de altura e uma trilha de caminhada conduz os visitantes em seu interior.

Mais informações sobre a caverna: https://www.japan.travel/pt/spot/201/

De ponta cabeça: se aventurando em um montanha-russa

Aos pés do imponente vulcão, na cidade de Fujiyoshida, em Yamanashi está o Fuji-Q Highland, um famoso parque temático que oferece, além de atrações radicais, vistas incríveis do Monte Fuji. O local é conhecido por suas impressionantes montanhas-russas, incluídas com frequência no Livro Guinness dos Recordes, como duas das montanhas-russas entre as mais velozes do mundo.

Para quem prefere economizar na adrenalina, há atrações mais calmas como brinquedos aquáticos, um labirinto, um carrossel clássico, xícaras giratórias e uma roda-gigante. A área do parque inclui um hotel, o Highland Resort & Spa, com quartos temáticos e vistas do Monte Fuji.

Mais informações sobre o parque de diversões: https://www.japan.travel/pt/spot/1332/

Na companhia de uma girafa em um safari

Na cidade de Susono, em Shizuoka, é possível admirar o Monte Fuji durante um passeio entre animais selvagens, criados em liberdade, no Parque Safári de Fuji. O local é um santuário com espécies do continente africano. Leões, girafas e elefantes vivem na grande área verde aos pés da montanha mais alta do Japão.

É possível fazer o passeio a pé, de carro próprio ou alugado no local, ou de ônibus. Há também opção de safári noturno no verão.

Mais informações sobre o parque: https://www.japan.travel/pt/spot/1307/

Em seguida, pela água, na região dos Cinco Lagos de Fuji

Por fim, ao norte do Monte Fuji está a região dos Cinco Lagos de Fuji, um destino popular para atividades ao ar livre. No verão, muitos visitam a área repleta de resorts e pousadas e oferecem muitas opções para a prática de esportes aquáticos e caminhadas.

Os lagos oferecem vistas de ângulos diferentes da montanha, e neles é possível fazer passeios de barco, pescar, praticar windsurfe ou esqui aquático e ao mesmo tempo contemplar o principal cartão postal do Japão.

Afinal, mais informações sobre a região: https://www.japan.travel/pt/destinations/tokai/yamanashi/fuji-five-lakes/

Ademais, leia mais:

Vai pra Cuba | Afinal, confira uma viagem pela ilha polêmica
Japão sem Escalas | O cinema japonês e a sua influência em Hollywood
Tóquio | Enfim, confira dicas e destaques da capital do Japão

Escreve o que achou!