Monday, November 28, 2022

Crítica | ‘Adão Negro’ tem lutas competentes

Pelo trailer, Adão Negro parecia mais um filme de ação genérico com Dwayne Johnson mantendo o papel de The Rock, que parece ser o único que ele consegue interpretar. E realmente temos mais um filme da DC que não chega a ser dos piores, mas vai ser facilmente esquecido em alguns dias. É incrível como os filmes de heróis parecem ter se esgotado de boas ideias mesmo que eles não tenham explorado nem 1/10 das mais impactantes histórias dos quadrinhos.

No longa, Teth-Adam é liberto de sua prisão após milênios e encontra sua terra natal, Kahndaq, totalmente diferente e tomada por uma facção criminosa chamada Intergangue. Enquanto ele começa a se livrar dos vilões a Sociedade da Justiça é acionada para subjugar esse ser superpoderoso e prendê-lo novamente.

O diretor Jaume Collet-Serra entrega uma aventura que mal para e com uma estética muito semelhante à do Snyder. Isso gera um filme que não explora de forma satisfatória nenhum dos assuntos que ele aborda e com uma ação visualmente carregada que cansa de assistir e ainda tem muitos problemas com o fundo verde que fica gritante em muitas cenas.

Questões políticas e éticas

Desde o desaparecimento do campeão de Kahndaq, o país sofre com tiranias e atualmente é a Intergangue que controla as fronteiras. Eles usam o minério mágico encontrado lá para produzir poderosas armas e veículos. Mesmo com tantos heróis, o povo de lá fica indefeso até Teth-Adam ressurgir e começar a eliminar os criminosos. Mas a real ameaça para Amanda Waller é o herói do povo e ela envia o Gavião Negro, Senhor Destino, Esmaga Átomo e Ciclone.

A primeira pergunta que pode vir na cabeça do público é por que a Sociedade da Justiça nunca ajudou o país? E a personagem que representa o povo rebelde, Ísis (Sarah Shashi), questiona isso, mas não há respostas e essa discussão morre aí. Os heróis questionam os métodos de Adam dizendo que um verdadeiro herói não matava, mas ele não se vê como um herói e esse debate segue pelo filme todo. Quando se unem essa questão gera até boas piadas e ela até tem uma resolução no final do filme, que obviamente não será mantida pois o Adão Negro precisa enfrentar mais supers.

Personalidades

Dwayne Johnson interpretando The Rock ainda passa como um Adão Negro. Talvez não o ideal que é muito mais vilão do que anti herói, mas o suficiente para um filme que deseja ser blockbuster. Teth-Adam é vingativo e vamos entender o motivo durante os 3 flashbacks que revelam seu verdadeiro passado. O carisma do ator vai ser suficiente para o grande público então não deixa de ser um acerto.

O destaque acaba ficando para o Gavião (Aldis Hodge) e Senhor Destino (Pierce Brosnan). A amizade de longa data entre os personagens os mantém simpáticos ao público mesmo que estejam se contrapondo ao protagonista boa parte do filme. Hodge entrega um personagem muito interessante que merece destaque futuro, pois aqui não sabemos nada de sua história e o Gavião Negro tem muita coisa interessante a ser abordada. Cabe à DC parar de querer fazer filmes focados em pura pancadaria.

Não há muito o que falar do atrapalhado Esmaga-Átomo e da adolescente gênia Ciclone, são bons suportes e nada muito além. Assim como o núcleo do povo de Kahndaq, são personagens que ajudam a mover a trama e são mais estereotipados como o jovem esperançoso, a mãe guerreira e o tio engraçado.

Mas e a pancadaria, vale?

Geralmente quem quer ver filme de herói tá mais interessado nisso não é mesmo? Se considerar como Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa foi aclamado mesmo com um roteiro estúpido, é fácil dizer que Adão Negro também irá bem. As brigas são competentes, nada muito extraordinário, mas no nível mais básico que se espera de um filme de ação.

É um pouco decepcionante ver um Senhor Destino com menos firulas que o Dr Estranho da Marvel, mas ainda passa. Os fãs de Velozes e Furiosos e Transformers vão amar as cenas do Adão Negro acabando com a raça dos vilões. É muito veículo explodindo e solados buchas sendo jogados de um lado a outro. E é bem capaz dos fãs da Marvel também amarem, aguardam tanto por um Mephisto e aqui temos um diabão genérico para sair no soco com geral.

Quem se encaixa nos grupos descritos pode ir ao cinema feliz com suas camisas da DC e gritar “SHAZAM!” juntos no cinema. Quem já está cansado de filme de herói e só sairia de casa para ver algum que vá além dos efeitos especiais e histeria, fique em casa.

Adão Negro estreia hoje nos cinemas, fiquem com o trailer:

Ademais, leia mais:
Crítica | ‘Cesária Évora’ evoca a saudade no Festival do Rio
Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul | Veja filmes de graça no RJ
Cabo Verde + Brasil: veja o novo clipe em animação do Kaialas | Preto de Azul

1 Comment

Escreve o que achou!