Candango: Memórias do Festival | Crítica

Mais do que um documentário, Candango: Memórias do Festival é uma carta de amor. Aliás, um amor profundo que se revela através de inúmeras entrevistas, relatos e memórias do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Dessa forma, não é necessário dizer o quanto esse filme é excitante pra alguém que ama o cinema e a cena social que cerca esse universo. Candango: Memórias do Festival foi exibido na 44º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e ainda está disponível aqui, e, melhor ainda, de graça.

Além de ser uma retrospectiva emocionada, Candango: Memórias do Festival é o diretor Lino Meireles dizendo: “olha isso tudo, olha a riqueza de obras que o Brasil oferece”. Curiosamente, mesmo quem não está familiarizado a esse universo de festivais acaba sentindo uma emoção ao ver o filme. Este documentário acende uma chama dentro da audiência que é extremamente bem vinda. Seja agora em tempos de censura velada (ao contrário de explícita de outrora) ou em qualquer outro momento, uma sacudida vem muito à calhar.

O Amor pela liberdade

Assim, além da exaltação do festival, vemos uma conclamação de defesa à arte nacional. Candango: Memórias do Festival é um chamado à luta, um exemplo do que devemos proteger e preservar. O Festival de Brasília sofreu numerosos ataques antes, foi de um dos eventos mais importantes do calendário cinematográfico até praticamente não ter o que exibir, mas sobreviveu. Hoje estamos passando por problemas tão ou ainda mais pesados, o que revela apenas um fato universal: sem resistência não tem como ganhar.

Afora alguns pequenos problemas de montagem e uma atenção mais que especial ao período dos anos 90 (imagino que seja a época em que Meireles começou a frequentar o Festival), Candango: Memórias do Festival é um documentário interessantíssimo e ultra atual. Finalmente, aproveite enquanto ainda está disponível e relaxe acompanhando grandes nomes do cinema nacional falando sobre uma das maiores festas da cinematografia brasileira. Só não se choque com a nudez, ou tire as crianças da sala.

Ademais, leia mais:

O Começo da Vida 2: Lá Fora | Documentário explora a relação entre criança e meio ambiente

Uma Máquina para Habitar | Documentário usa ficção-científica para contar a história de Brasília

Malmkrog e Dias | Paralelos díspares na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

 

7.5
Candango: Memórias do Festival

Uma bela retrospectiva do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro regada de histórias apaixonadas e irreverentes

5 Comments

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: