Saturday, February 4, 2023

VegFest Brasil | Feira vegana movimentou SP no fim de semana

Um dos maiores eventos veganos das Américas, o VegFest Brasil voltou à cidade de São Paulo no último fim de semana (8 a 11 de dezembro), após dois anos sem acontecer devido à pandemia. O evento organizado pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) reuniu veganos, vegetarianos e simpatizantes, em mais de 30 horas de palestras do IX Congresso Vegetariano Brasileiro.

Paralelamente e aberta ao público, a Feira Vegana ficou lotada. Os visitantes puderam usufruir de diversas atividades gratuitas, conhecer as ONGs de defesa e proteção dos animais, acompanhar o preparo de receitas na Cozinha Show e fazer muita degustação de alimentos à base de plantas.

Veja abaixo alguns destaques do IX Congresso Vegetariano Brasileiro, nos dois dias de cobertura que fiz para o Vivente Andante:

Transformação pessoal para gerar inspiração

Na tarde de sexta-feira (9 de dezembro), Alana Rox (empreendedora, autora e ativista vegana), Duda Lemos (Gerente de Certificação do Selo Vegano da SVB) e Patrícia Favano (Santuário Vale da Rainha), emocionaram o público com suas apresentações, ao falarem sobre propósito e transformação. “Mudamos o mundo quando mudamos o nosso próprio mundo. Ser e fazer é mais importante do que falar”, afirmou Alana, ao abrir a programação pós intervalo com o tema “Como ser Vegan num Mundo Não Vegano: Saúde, Propósito e Espiritualidade”.

Na sequência, Duda Lemos contou sua trajetória na carreira de engenheira de alimentos, de líder de controle de qualidade em frigorífico (3º maior exportador de carne do mundo) para o veganismo. A engenheira trouxe a reflexão da cultura da carne no país. “A carne ainda é sinônimo de ascensão social, devemos ter cuidado com a fala de imposição, pois existem realidades diferentes”, disse.

Finalmente, Patrícia Favano encerrou a sequência, no Auditório Elis Regina, com um chamamento para uma nova humanidade. “Que sejamos novos humanos que inspiram outros seres humanos. Deixo a reflexão: o que você precisa mudar para sua existência beneficiar outros seres?”, com esta e outras reflexões, Patrícia protagonizou um dos momentos mais emocionantes do Congresso, levando o público às lágrimas.

Nova geração no VegFest Brasil

Sob o mesmo ponto de vista, a apresentação “O futuro é vegano”, levou ao palco do Auditório 2 a história das adolescentes Clarinha e Brunna Sachs. Clarinha já nasceu vegana e nunca experimentou produtos de origem animal. Brunna, 13 anos, é vegana desde antes dos dois, quando começou a rejeitar qualquer produto de base animal.

Assim, a jovem Brunna pede transformação nas escolas. “É preciso ensinar às crianças que as proteínas vêm de outros alimentos, não só de animais”, e complementa pedindo opções veganas nas cantinas dos colégios.

Clarinha e Brunna – Foto: Paola Bittencourt

VegFest trouxe novidades e dados do mercado plant based no Brasil

Proteínas vegetais, dados de consumo e carne cultivada foram a temática das palestras de Gustavo Guadagnini (Diretor da organização The Good Food Institute no Brasil) e Carla Molento (pesquisadora da UFPR), no VegFest Brasil, também na sexta-feira.

“O Brasil tem capital intelectual, indústria e a maior biodiversidade do mundo, ou seja, tudo para poder exportar produtos plant based”, constata Guadagnini. O administrador apresentou dados de pesquisas sobre o consumidor deste mercado, a maioria não veganos, mas que buscam reduzir o consumo de produtos de origem animal preocupados com o impacto ambiental. “Esses consumidores buscam por sabor, disponibilidade e preço na hora da decisão de compra”, afirma.

Em seguida, Carla Molento, do Laboratório de Zootecnia Celular da Universidade Federal do Paraná (UFPR), apresentou os estudos sobre proteínas alternativas ao uso de animais na alimentação. Molento apresentou ao público o processo da carne celular, que deve começar a chegar ao mercado brasileiro em 2024. “É um conjunto de células primárias adaptadas a viver fora do organismo. A célula é coletada do animal e passa por processo de multiplicação, diferenciação para tecidos diversos e combinação para produtos (hambúrguer, cortes, etc)”, detalhou.

Consumo de peixe e geração de plástico

Ao passo que trazia dados sobre a situação atual dos oceanos, a Diretora Executiva da Sea Sheperd Brasil, Nathalie Gil, apresentava a relação do consumo de animais do mar com a poluição por plásticos. “Se você consome peixe está influenciando a geração de lixo plástico no oceano”, disse.

Segundo Gil, já há registros de material plástico na Fissura de Mariana, o local mais profundo do oceano. Sobre números, ela apresentou o cálculo de até 1 trilhão de animais mortos por ano quando se incluem os marítimos.

Guia de Nutrição Vegana para Adultos

Por fim, assisti à palestra de Marly Winckler (presidente honorária e fundadora da SVB e presidente da IVU (International Vegetarian Union)) e Eric Slywitch (médico, diretor do Departamento de Medicina e Nutrição da IVU e da SVB), em que apresentaram o Guia de Nutrição Vegana para Adultos, lançado no início deste ano.

Desenvolvido pelo Departamento de Medicina e Nutrição da IVU, o Guia está disponível para download no site da SVB. Atualmente, já foram feitos mais de 10 mil downloads do arquivo. O exemplar também disponibiliza mais de 100 vídeos que podem ser acessados pelos QR Codes em suas páginas.

Com muito bom humor, leveza e senso de realidade, os especialistas fizeram uma apresentação informativa sobre nutrição, que atraiu muitos estudantes da área de saúde.

Feira Vegana com atrações diversas e gratuitas lotou

De antemão, ainda no caminho para a van do VegFest Brasil, na saída do metrô, conheci a Katia Oliveira e o Miguel Angelo (10 anos) fomos juntos para o evento. Katia é vegetariana e adepta das feiras plant based em São Paulo. O Miguel ainda está no caminho do vegetarianismo e recebe o incentivo da mãe. “Sempre o levo a essas feiras. É a primeira vez que viemos ao VegFest e gostamos, tem bastante expositor e muita coisa para conhecer”, conclui Katia.

Com mais de 100 expositores, a feira promoveu o encontro do público com uma variedade de produtos (já conhecidos e outros lançamentos) de origem vegetal, como cosméticos, roupas, calçados, vinhos, e alimentação. Os visitantes puderam fazer degustação de milkshake, barrinhas de cereal, queijos, vinhos e muito mais.

Além disso, atrações simultâneas agradavam a todos, de desafios esportivos e torta na cara, no Palco, a brincadeiras, yoga e meditação, na quadra. Igualmente, o espaço da Cozinha Show não ficou vazio e teve receita para todos os paladares.

Definitivamente, foi bonito de ver tantas pessoas reunidas em busca de informação e alternativas para minimizar o impacto de suas vidas no meio ambiente e proteger os animais. Afinal, para além de veganismo e antiespecismo, vi e ouvi sobre amor, compaixão e respeito, e isso reverbera em mim até agora. Até 2023, VegFest Brasil!

 

Veja mais em:

Bandolim Vegan Cult Bar | Rio de Janeiro ganha novo restaurante e casa de cultura

Cachoeira do Arataca | Saiba como chegar nessa beleza de Macaé/RJ (viventeandante.com)

Oberom e o ‘Muco’ | Confira uma entrevista exclusiva sobre contradições na Índia (viventeandante.com)

4 Comments

Escreve o que achou!