Saturday, February 4, 2023

Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho | Crítica

Sábado à noite e minha vontade era chegar numa roda de samba, fechar os olhos e deixar meu corpo ser levado pelo som dos clássicos eternizados pela madrinha do pagode. Assim me senti ao assistir ao “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, documentário que chega aos cinemas no dia 2 de fevereiro.

De antemão, aviso aos amantes do samba nascidos nas décadas de 1970/1980, assim como eu, memórias afetivas e emoção vêm à tona, “Andança” me levou de volta à infância e aos melhores encontros familiares. Também vêm os sorrisos, motivados pelo riso largo e iluminado da cantora, e a vontade de cantar junto com Beth, sua voz potente, seus afilhados e os maiores nomes do gênero musical nascido nos subúrbios cariocas.

Dá pra se sentir inserido e envolvido naquele ambiente agregador e alegre, pelo tom intimista que trazem as imagens de arquivos da época, muitos deles da própria cantora. “Eu moro dentro de um arquivo”, bem disse Beth, que documentou ilustres encontros ao longo dos 53 anos de palcos e pagode com nomes da grandeza de Cartola, Monarco, Arlindo Cruz e tantos outros.

Sendo assim, graças à veia de arquivista, o espectador verá ainda a Beth mãe, a madrinha de talentosos compositores e a mulher politizada que, para além de levar o samba do morro para a elite do Rio de Janeiro e do Brasil, ainda se posicionava politicamente e falava sobre negritude e brasilidade.

Enfim, “Andança” estreia em 2 de fevereiro, nos cinemas do Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Salvador e Porto Alegre. Vá, assista, se delicie com esse recorte da vida e carreira de Beth Carvalho, e depois aproveite um samba bem ao estilo carioca.

“Andança” emocionou público em festivais

O documentário teve sua primeira exibição lotada no Festival do Rio, na sequência foi selecionado para a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e conquistou o prêmio de Melhor Filme pelo júri popular, no 17º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro (João Pessoa/PB). Neste fim de semana que precede a estreia nos cinemas, o longa segue em exibição no Festival de Tiradentes/MG.

Em breve, entrevista com Pedro Bronz (diretor) e Leo Ribeiro (roteirista).

 

Ficha técnica  

Direção e Montagem: Pedro Bronz  

Produção: Roberto Berliner e Leo Ribeiro  

Produção Executiva: Leo Ribeiro, Sabrina Garcia e Anna Julia Werneck 

Roteiro: Pedro Bronz e Leonardo Bruno  

Coordenação Executiva: Fernanda Calábria 

Coordenação de Pós-produção: Nat Mizher e Cel Mattos

Mixagem: Denilson Campos 

Coloristas: Hebert Marmo e Anuar Marmo 

Assistente de Edição: Mel Cunha 

Produção: TvZero   

Coprodução: Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil

Distribuição: TvZero

Produtora associada: Cineclube Pela Madrugada e Luana Carvalho 

Patrocínio: Antarctica 

Incentivo: Governo do Estado do Rio de Janeiro/ Secretaria de Cultura e Economia Criativa 

Classificação: Livre 

Ademais, leia mais sobre grandes cantoras:

Reza | MARIANA canta como sereia em single doce

Iuna Falcão chega com EP de transe envolvente

1 Comment

Escreve o que achou!