Friday, November 27, 2020

Semana especial de Mozart no Met | Ópera grátis

A ópera grátis essa semana será dedicada à Mozart e seu repertório. A princípio, Wolfgang Amadeus Mozart é provavelmente o compositor clássico mais famoso. Criança prodígio, Mozart começou a excursionar quando criança com seu pai, que era também seu professor. Por isso sua vida foi marcada por uma certa fama que o ajudou e o atrapalhou em sua carreira.

Amadeus

Aliás, muitas biografias foram escritas sobre o compositor, que deu origem a vários mitos e “fofocas históricas”. Sua “biografia” mais famosa é o fabuloso filme “Amadeus” do genial Milos Forman. Apesar de não ser tão apegado à realidade, retrata um Mozart magnífico, cativante e mágico. Porém, apesar de um lindo filme, não é uma biografia muito verídica, servindo apenas para uma ilustração do que seria a sociedade de cortes em que viveu o compositor.

Sociologia de um gênio

Por falar em sociedade de cortes, Mozart inspirou também livros de áreas diferentes da biografia. “Mozart: A sociologia de um gênio” é um fabuloso livro do grande intelectual Norbert Elias. Fã assumido do compositor clássico, Elias faz um estudo ao mesmo tempo preciso, rigoroso, mas também apaixonado. O livro é um belo exemplo da arte como objeto de estudo. Como a investigação pode ser divertida e ao mesmo tempo produtiva e esclarecedora.

No livro, Elias analisa o compositor e as circunstâncias da sociedade à sua volta. Em uma sociedade ainda marcada pela corte, Mozart tenta viver como um burguês, forma que pouco tempo depois seria muito possível, mas que naquele momento não era. Mozart viveu e marcou um limiar da era clássica para a romântica na música, e de certa forma teve dificuldades com seu tempo. O compositor morreu cedo enquanto compunha sua maravilhosa e inacabada missa de Réquiem, segundo alguns biógrafos desgostoso com a vida sem muita vontade de lutar para permanecer vivo.

Amor pela ópera

A saber, Amadeus foi prolífico, compôs muitas obras, muitas mesmo. Além disso, não foi só quantidade, mas qualidade, e além disso em vários formatos. Porém, acho que é seguro dizer que a ópera era sua forma favorita. Aliás, sua produção operística foi vastíssima. Produziu obras de muitos gêneros e formas, desde óperas com temática infantil , até tragédias, passando por dramas políticos, histórias recheadas de sexualidade e  de personagens desviantes sociais. Sua produção é tão significativa que é difícil alguma temporada não ter ao menos uma de suas óperas.

Lorenzo da Ponte

Essa semana o Met trará sua “trilogia” em parceria com o libretista Lorenzo da Ponte, que começa com as bodas de fígaro, passa pela polêmica, na época, e hoje celebrada Cosi Fan Tutti. Posteriormente, termina de forma magnífica com a aclamadíssima Don Giovanni, considerada por muitos a “melhor ópera já feita”. Le Nozze di Figaro terá inclusive duas apresentações, ambas com elencos espetaculares, porém destaca-se a gravação de 1998 com as divas Renée Fleming, Cecilia Bartoli.

A Flauta Mágica

A Flauta Mágica não poderia faltar em uma seleção de Mozart. Uma das óperas mais conhecidas e encenadas de todos os tempos, o clássico costuma agradar todos os públicos, trazendo os puristas, os fãs de montagens contemporâneas e até crianças para as casas de espetáculo. Afinal, na quinta-feira, teremos a oportunidade de vê-la do conforto de nossas casas.

Clemenza di Tito e Idomeneo

Fora as mais clássicas,  La Clemenza di Tito, é uma ópera séria, a penúltima de Mozart e que dá destaque às vozes femininas que interpretam papéis masculinos. Contudo, o Met trará também Idomeneo no domingo para fechar a semana. Trata-se de uma ópera-seria de três horas e meia de duração. A saber, foi composta em um momento que Mozart dedicava-se com mais afinco à música instrumental, e conta com corais impressionantes. Por fim, tornou-se mais encenada somente no meio do século XX, sendo hoje considerada uma ópera de grande importância.

Programação:

28/09 – Mozart – Le Nozze di Figaro

Estrelando Amanda Majeski, Marlis Petersen, Isabel Leonard, Peter Mattei e Ildar Abdrazakov. Maestro: James Levine. 18/10/2014.

29/09 – Mozart – Così fan tutte

Estrelando Susanna Phillips, Isabel Leonard, Danielle de Niese, Matthew Polenzani, Rodion Pogossov e Maurizio Muraro. Maestro: James Levine. 26/04/2014.

30/09 – Mozart –  La Clemenza di Tito

Estrelando Lucy Crowe, Barbara Frittoli, Elīna Garanča, Kate Lindsey, Giuseppe Filianoti e Oren Gradus. Maestro: Harry Bicket. 01/12/2012.

01/10 – Mozart – Die Zauberflöte

Estrelando Golda Schultz, Kathryn Lewek, Charles Castronovo, Markus Werba, Christian Van Horn e René Pape. Maestro: James Levine. 14/10/2017.

02/10 – Mozart – Don Giovanni

Estrelando Marina Rebeka, Barbara Frittoli, Mojca Erdmann, Ramón Vargas, Mariusz Kwiecień, Luca Pisaroni e Štefan Kocán. Maestro: Fabio Luisi. 29/10/2011.

03/10 – Mozart – Le Nozze di Figaro

Estrelando Renée Fleming, Cecilia Bartoli, Susanne Mentzer, Dwayne Croft e Bryn Terfel. Maestro: James Levine. 11/11/1998.

04/10 – Mozart – Idomeneo

Estrelando Elza van den Heever, Nadine Sierra, Alice Coote, Matthew Polenzani e Alan Opie. Maestro: James Levine. 25/03/2017.

Afinal, as óperas são disponibilizadas diariamente no site do Met: metopera.org, por volta das 19h. 

Ademais, veja mais:

O Leilão do Lote 49 | Conheça Thomas Pynchon e a paranoia pós moderna
Centenário de Charles Bukowski | O velho, o vô e pessoas que não são boas
Enfim, Philip Glass e “The Portrait Trilogy” | Einstein na praia e a revolução da ópera 

 

Escreve o que achou!