Saturday, February 4, 2023

Cello Dance homenageia Elza Soares no boulevard do Theatro Municipal do Rio | Gratuito

Com entrada gratuita, edição especial do Cello Dance para homenagear Elza Soares vai reunir feras da música, como David Chew (cello), Blas Rivera (sax) e a cantora Alma Thomas, dentre outros, com um seleto corpo de bailarinos e coreógrafos.

O evento acontece no próximo dia 7 de dezembro, quarta-feira, às 17h, no boulevard do Theatro Municipal do Rio de Janeiro ficará pequeno para a realização de um tributo a Elza Soares.

Com produção executiva, curadoria e coordenação geral de Mariana Chew, direção musical de Muralhex, arranjos de Blas Rivera e direção de movimento de Danilo D’Alma a edição deste ano do Cello Dance promete uma robusta festa em memória à diva da música negra brasileira, com entrada franca.

Dança, música e mais

Apresentando um programa que abrange diferentes fases da carreira da cantora, um naipe de músicos renomados se juntará a um seleto grupo de bailarinos. Juntos, os violoncelistas David Chew e Lisiane de Los Santos, o multi-instrumentista Muralhex, o violinista Thiago Teixeira, as cantoras Alma Thomas e Maria Ma, os saxofonistas Blas Rivera, Eduardo Barbosa e Felipe Barbosa, com o percussionista Murilo O’ Reilly, apresentarão alguns de seus clássicos, que ganharão movimento, solidez, leveza e sensibilidade através dos bailarinos de Danilo D’ Alma, Elton Sacramento, Gabriela Luiz, Pamela Sobral.

“Elza é referência para muitas gerações de mulheres… ela é o poder da mulher negra brasileira, aquela que toma a direção da própria vida”, destaca a produtora Mariana Chew.

A saber, Elza havia conhecido uma edição do Cello Dance, do qual já era entusiasta e abriu sua casa para o primeiro ensaio de um projeto iniciado dentro do Festival chamado Frequência Modulada.

SERVIÇO:

7/12, quarta-feira – Cello Dance promove Tributo a Elza Soares

Local: boulevard do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Horário: 17h

Endereço: Pça Floriano, s/n, Centro – Rio de Janeiro

Entrada Franca

Ademais, veja mais:

Antônio e Comitiva caminhando com São Benedito pela música e a fé
Aliás, Isto é um Negro | CRÍTICA
Jair Rodrigues Deixa que Digam | Enfim, uma ode merecida ao rei negro

Escreve o que achou!