Conecte-se conosco

Entrevistas

Emiliano D’Ávila | “Estou com um projeto de adaptação do livro de Ricardo Laurino sobre veganismo”

Publicado

em

O ator Emiliano D'Ávila fala sobre veganismo

O ator Emiliano D’Ávila, que interpreta o engraçadíssimo Máicol do seriado Vai Que Cola, do canal Multishow, cedeu uma entrevista para o Vivente Andante. Assim como sua namorada, a atriz Natália Rosa, Emiliano é vegano e ativista da causa animal. Emiliano Moraes D’Avila Melo nasceu na cidade de Feira de Santana, no estado da Bahia, Brasil. No Rio de Janeiro, fez parte da peça Clandestinos, que virou série na Rede Globo, em 2010. Em 2012, interpretou o personagem Lúcio na novela de grande sucesso Avenida Brasil. Posteriormente, começou a interpretar o Máicol, no programa humorístico Vai que Cola (2012-), do canal Multishow. Assim, estreou como ator de cinema em Vai que Cola: O Filme (2015) e foi protagonista em Ninguém Entra, Ninguém Sai (2017), de Hsu Chien Hsin.

Nessa entrevista, Emiliano fala um pouco sobre seu caminho no vegetarianismo e alguns novos projetos. Confira:

Alvaro Tallarico: Desde quando você é vegetariano? O que te levou a tomar essa decisão? Por exemplo, eu conversei com sua amiga Pérola Faria e para ela foi a meditação. Com você também foi por aí? Veio a partir de algo espiritual?

Emiliano D’Ávila: Sou vegano há três anos e ativista da causa animal. A minha mudança foi por causa da questão animal e da questão ambiental. Eu assisti alguns documentários. Sempre tive um amor muito profundo pelos animais, mas achava inevitável me alimentar deles. Achava que fazia parte. Quando eu descobri que não deveria, não precisava e nem deveria, mudei radicalmente. Isso foi há três anos atrás. Desde então sou vegano e não como mais nada de origem animal.

Alvaro Tallarico: E como você acha que isso influenciou no seu lado profissional? Ajuda a ter mais concentração, ou não tem nada a ver? Manda bem de qualquer jeito, seja carnista, vegetariano? Ajudou e ajuda na sua evolução?

Emiliano D’Ávila: Não, no sentido de atuação não. Mas mudou profissionalmente porque eu comecei a escrever e fazer uns esquetes com o Ricardo Laurino da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) pelo canal VegFlix, que ele tem. A gente já fez dois esquetes e estou com um projeto grande também de adaptação do livro dele que é sobre veganismo. A gente está adaptando para uma série. Ele tem dois livros “O Último Teste” e “A Última Morte”.

Alvaro Tallarico: E vocês vão adaptar os dois?

Emiliano D’Ávila: Os dois.

Alvaro Tallarico: Ao mesmo tempo? Vai ser numa sequência?

Emiliano D’Ávila: Sim. Para uma série de TV. A gente está começando esse processo aí. Algumas pessoas já sabem. Falamos sobre isso no VegFest (evento anual realizado pela SVB), mas a gente está começando esse processo agora. Um processo de adaptação, um processo longo, que depende de muitas associações com produtoras e como qualquer produto artístico precisa de grana para se montado. Então a gente está em um processo embrionário ainda de adaptação. Mas o objetivo final é uma série de televisão.

Leia

Pérola Faria | “As pessoas ficavam indignadas que eu não comia carne. Achavam que eu ia desmaiar.”
Feira Vegana Veg Borá apresenta os Melhores do Ano
Restaurante Vegano da Tijuca tem bom preço

Entrevistas

ONGs de proteção animal | Conheça e veja como colaborar

Publicado

em

ONGs de proteção animal puderam divulgar seu trabalho, conscientizar o público e se aproximar de voluntários durante a VegFest 2022, realizada pela Sociedade Vegetariana Brasileira, em São Paulo, no início do mês. Foi uma oportunidade de apresentar seu trabalho, conscientizar, conquistar novos voluntários e vender produtos, o que ajuda na manutenção desses espaços que resgatam e cuidam de diversas espécies. Confere nesta matéria as várias formas de colaborar com a causa.

Fundadores de organizações também marcaram presença no IX Congresso Vegetariano Brasileiro, integrado à feira, como palestrantes falando sobre a realidade e dificuldades encontradas no trabalho de resgate e proteção de diversas espécies. “O trabalho é árduo. Não temos tempo de nos render à nossa própria dor, porque temos que salvar vidas”, contextualizou Patricia Favano, do Santuário Vale da Rainha.

Simultaneamente, foi realizado o lançamento do primeiro livro do Santuário Rancho dos Gnomos, fundado em 1991 pelo casal Silvia Pompeu e Marcos Pompeu. “Clã dos Ursos” conta a história desses animais resgatados e sua nova rotina no santuário. “Estar aqui é uma oportunidade de conscientizar e também de mostrar o quanto é possível e maravilhoso o veganismo, pois a mudança só é possível pelo conhecimento”, concluiu Silvia.

Da mesma forma, esteve representado na VegFest foi o Santuário Animal Sente, que mantém sob tutela cerca de 300 animais de diversas espécies, provenientes de situações de maus-tratos, abandono e exploração. “A gente precisa de apoio sempre e estar aqui nos dá mais visibilidade, o que ajuda para que a gente tenha mais apoio e possa melhorar a qualidade de vida dos animais que mantemos”, comentou Diego Naropa, vice-presidente e chefe de cuidados do santuário.

Veja mais informações sobre os Santuários

Santuário Vale da Rainha – Fundado em 2010 pelo casal Patricia e Vitor, na zona rural de Camanducaia, MG, abriga mais de 100 mestres animais entre bois, porcos, cavalos, jumentos, cabras, ovelhas, cães e gatos resgatados de maus-tratos. Para manter a alimentação, tratamentos, instalações e manejo dos animais, o santuário faz parcerias, promove vivências, aulas de yoga e meditação, comercializa produtos e livros autorais e recebe doações.

Santuário Rancho dos Gnomos – Fundado em 1991, em Cotia, SP, resgata e abriga animais exóticos, silvestres e domésticos, vítimas de crimes e maus-tratos, oriundos de circos, tráfico, rinhas, indústria da pele, desmatamento, queimada e abandono. Promove campanhas de conscientização ambiental e do veganismo. Para colaborar, há opções de voluntariado, doações e compra de produtos. O santuário não é aberto à visitação.

Santuário Animal Sente – Localizado em Cotia, SP, abriga cerca de 300 animais de diversas espécies e portes. Promove experiências e vivências para a conscientização sobre o veganismo e a proteção das espécies. Mantém suas atividades com doações, vendas de produtos de arte feitos por Nana Indigo (presidente) e Diego Naropa (vice-presidente) e com renda obtida no restaurante Lovegan Bistrô, em São Paulo.

Outras organizações presentes na VegFest

Ampara Animal – OSCIP sem fins lucrativos, fundada em 2010, que ajuda abrigos e protetores independentes. Conta com mais de 450 integrantes, protegendo e amparando mais de 100 mil animais por ano, com doação de ração, medicamentos e vacinas, castração e campanhas de doação. Interessados em ajudar podem fazer doação de valores financeiros, fornecer lar temporário ou adotar um animal.

Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal – A entidade começou a ser estruturada em 1998, para proteger animais, sem distinção de espécie em todo o país. Organiza ações e campanhas e mantém presença no Congresso Nacional, Assembleias Legislativas para influenciar o desenvolvimento de políticas públicas em favor dos animais. Possui a maior rede de organizações afiliadas, sendo 140 espalhadas pelo Brasil. Para se cadastrar como voluntário ou doador acesse o site.

Mercy For Animals – A MFA trabalha para proteger animais explorados para consumo. Atua com investigações secretas, em políticas corporativas em empresas alimentícias, está presente em fóruns sociais e tribunais de justiça, promove campanhas, capacita voluntários e busca o engajamento público. Para participar como doador, membro ou voluntário acesse: Seja voluntário(a) com a Mercy For Animals – Mercy For Animals.

ONG ARA – Amor e Respeito Animal – Foi fundada em 2011 e atua com resgate e cuidado com animais exóticos e de grande porte. É a organização responsável por mais de 1000 búfalas resgatadas em novembro de 2021, no caso conhecido como as Búfalas de Brotas, considerado o maior caso de abandono e maus tratos do Brasil. Para doações e voluntariado acesse o site.

Sinergia Animal – Organização Internacional com atuação sudeste asiático e América Latina, trabalha pelo fim das piores prática na pecuária industrial e pela diminuição de consumo de produtos de origem animal. Desde 2018 segue sendo reconhecida como uma das ONGs de proteção animal mais eficazes do mundo pela instituição Animal Charity Evaluators (ACE). É membro da Open Wing Alliance para criar uma frente unificada para liberar as galinhas poedeiras das gaiolas. Pelo site é possível fazer doações e se cadastrar para ações de ativismo (presencial ou online).

Sea Sheperd – É uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1977, para defender, conservar e proteger a vida marinha e ecossistemas marinhos. Promove ações diretas para investigar, documentar e agir contra atividades ilegais nos oceanos. Pelo site e possível conhecer as campanhas da Sea Sheperd, tornar-se voluntário, patrono, doador ou embaixador.

*Foto de capa: site do Santuário Vale da Rainha

Veja mais em:

VegFest Brasil | Feira vegana movimentou SP no fim de semana VegFest Brasil (viventeandante.com)

Oberom e o ‘Muco’ | Confira uma entrevista exclusiva sobre contradições na Índia (viventeandante.com)

Entenda os benefícios de uma alimentação vegana de qualidade (viventeandante.com)

Continue lendo
Anúncio
Anúncio

Cultura

Crítica

Séries

Literatura

Música

Anúncio

Tendências