Entrevista com o escritor Juan Molina Hueso | ‘Ansiedade é pecado no sentido de falta de confiança, incredulidade’

No livro, “O Mestre das Perguntas”, Juan Molina Hueso escreve de forma simples e eficiente, presenteando o leitor com rico conteúdo teológico, em interpretações bíblicas positivas e pertinentes. Ele é médico especialista em diagnósticos por imagem. Além disso, tem formação em teologia e é pós-graduado em história das religiões. Casado e pai de três filhas, também escreveu “Morte: o maior dos medos” e “Quem é este?”, que aborda as controvérsias sobre Jesus Cristo ao longo da história.

Entrevistamos o autor com foco em seu último livro, confira:

Vivente Andante: A quantidade de citações na obra “O Mestre das Perguntas” é muito grande. São filósofos, escritores, psiquiatras. De onde veio essa ideia de misturar tantas referências visando responder alguns dos questionamentos de Jesus?

Juan Molina Hueso: Faz parte de meu estilo escrever trazendo contribuições relevantes de escritores e pensadores renomados. Além de enriquecer a obra, contribui para fortalecer meus argumentos. No fundo ninguém é original, e é saudável e seguro convidar tais personagens para respaldar minhas particulares considerações.

VA: Lutero, Agostinho, e muitos outros, porém, de todos os autores qual mais se conecta com o que você acredita? Quais mais lhe inspiraram a escrever esse livro?

JMH: Aprecio a literatura clássica. No escopo teológico, depois de Paulo, o apóstolo, ninguém superou Agostinho, tanto é que ele é unanimidade tanto de católicos como de protestantes. Sêneca é meu filósofo preferido. C.S. Lewis, o pensador cristão de minha preferência. Muitos escritores cristãos de vertente reformada fazem parte de minha biblioteca. Em particular nenhum deles em especial me motivou a escrever “O Mestre das Perguntas”, a não ser o próprio Mestre, Jesus de Nazaré.

Aliás, confira nossa resenha sobre o livro:

Resenha | ‘O Mestre das Perguntas’ busca responder questões de Jesus Cristo

VA: O capítulo sobre ansiedade foi um dos que mais me comoveu, pois é algo cada vez mais comum na sociedade atual. Fé é o melhor remédio para esse mal? Ansiedade é pecado?

JMH: O caminho que tenho trilhado para lidar com minhas ansiedades ancora-se nas recomendações das Escrituras Sagradas. Fé é o elemento central, e ela nos é dada graciosamente como um grão de mostarda. Necessita ser exercitada, já que ela é dinâmica e tem a possibilidade de se desenvolver. Sigo no processo de tal exercício por mais de 40 anos. Jesus nos convida em Mateus 6 ver a Deus como Pai, e assim, podemos estar certos que jamais falhará como Provedor e protetor de seus filhos. O Apóstolo Paulo, escrevendo aos filipenses, encoraja a levarmos diante de Deus em oração, com petições e ações de graça todas nossas inquietações. Falar com Deus a respeito de tudo é essencial para lidar com a ansiedade. Meditar na Palavra de Deus igualmente acalma a minha alma. Ansiedade é pecado no sentido de que manifesta falta de confiança, ou seja, incredulidade.

VA: O livro às vezes parece namorar com uma autobiografia, pois você fala muito de si. Por que?

JMH: Confesso que não percebi esse aspecto. Se é que há, não foi intencional.

VA: Somente existe uma verdade, um caminho?

JMH: Discorrer sobre a verdade exigiria um espaço muito maior. Muitas situações da vida humana podem ser catalogadas como falsas ou verdadeiras, não é mesmo? As notícias veiculadas nos meios de comunicação quando falsas ganharam o rótulo de Fake News. O conceito de verdade que aprecio encontrei no estudo da Bíblia, mais precisamente com o apóstolo João.

Ele nos apresenta a verdade em três perspectivas: 1. A verdade com respeito ao que somos como pessoas. Reconhecer nossas fraquezas e buscar uma vida de transparência diante de Deus e dos homens tem a ver com esse ponto. Admitir pecados e confessá-los. 2. A verdade como o conjunto de doutrinas ou crenças que formam a fé cristã, o ensino dos apóstolos e 3. A verdade é uma Pessoa, nesse sentido, Jesus Cristo é a Verdade. Todas as demais verdade são subalternas à Ele. Esse aspecto está mais ligado à experiência cristã, algo subjetivo: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8.32); “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (João 14.6).

VA: O livro “O Mestre das Perguntas” tem uma visão mais protestante do que católica, ou simplesmente cristão acima de tudo?

JMH: Acima de tudo, cristão.

VA: O que gostaria de dizer para aqueles que procuram e que chegaram até aqui?

Juan Molina Hueso: Conservem mentes e corações abertos, para que a Verdade possa encontrar a cada um dentro de seu contexto de vida. O que deu sentido à minha vida foi ser achado graciosamente por Jesus Cristo, meu Senhor e Salvador. Ele mesmo disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11.28).

Ademais, veja mais:

Resenha | ‘Coliseum’, um confinamento caótico nunca visto antes

Em seguida, confira 6 dicas de livros que levam esperança para 2021

Enfim, emocionante, ‘Turma da Mônica – Lições’ estreia nos cinemas dia 30 de dezembro

Escreve o que achou!