15ª CineOP | Estão abertas as inscrições gratuitas para oficinas

A 15ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, a ser realizada de 3 a 7 de setembro de 2020, está com inscrições abertas para seu Programa de Formação Audiovisual. Devido à pandemia de Covid-19, todas as atividades do evento serão realizadas em ambiente digital, mantendo o mesmo propósito e conceito das edições realizadas presencialmente. Essa mostra é o único evento no circuito de mostras e festivais audiovisuais a enfocar a preservação audiovisual, memória, história e a tratar o cinema como patrimônio.

Para esta edição, a CineOP promove quatro oficinas com oferta de 140 vagas a serem preenchidas por ordem de inscrição. É permitida apenas uma inscrição por pessoa. Os interessados podem se inscrever até 21 de agosto, sexta-feira, ou até se esgotarem as vagas. Tudo pelo site oficial do evento (www.cineop.com.br). Porém, é necessário escolher uma entre as seguintes modalidades: as oficinas “Como educar as crianças no mundo das telas?”, “Realização Audiovisual para Web”, “A Criação de Mundos em Roteiros Audiovisuais para Multiplataforma” e “Planejamento de Produção de Séries”.

Detalhes das oficinas da CineOP

De 4 a 7 de setembro de 2020, das 10 às 13 horas, a produtora e consultora Mariana Brasil será a responsável pela oficina “Planejamento de Produção de Séries”. A oferta é de 30 vagas, para interessados a partir de 18 anos. A atividade tem como objetivo apresentar de forma prática um “pensamento de produção”. Ou seja, a partir de um roteiro, projeto, mostra como preparar seu orçamento e cronograma de execução. O foco será uma série de tv de ficção simples. Contudo, servirá como base para a construção do raciocínio de produção e servirá para produções de séries de documentário e variedades também.

Também nos dias 4 a 7 de setembro de 2020, das 16 às 18 horas, o cineasta, documentarista, diretor de produção e de séries de TV, Sérgio Rossini, será responsável pela oficina “Realização Audiovisual para Web”. A oferta é de 50 vagas, para interessados de 16 a 25 anos. A oficina online abrirá o horizonte profissional dos jovens em formação, desenvolver a sensibilidade e exercitar a criatividade dos alunos. O objetivo é de prepará-los para criarem, produzirem e difundirem seus próprios conteúdos na internet (Youtube, Vimeo ou outras plataformas), gerando receita de monetização e anúncios ou patrocínio. Posteriormente, fazendo desse mecanismo um negócio, uma vitrine e uma fonte de renda, mas também um objeto de realização e desenvolvimento pessoal.

Roteiro

Na mesma data, das 14 às 16 horas, o roteirista, consultor e professor universitário Gustavo Padovani ministrará a oficina “A Criação de Mundos em Roteiros Audiovisuais para Multiplataforma”. Serão oferecidas 30 vagas, para participantes a partir de 18 anos. O objetivo da oficina é trabalhar com análises das obras audiovisuais e seus mundos narrativos multiplataforma. Assim como desenvolver modelos e práticas de escrita para que seus participantes possam criar roteiros audiovisuais inovadores e integrados. A oficina propõe reconfigurações entre os mais diversos objetos da audiovisual por meio da criação. Ao abordar também a viabilidade financeira dos projetos audiovisuais, a oficina tem o intuito de demonstrar que a prática da criação de mundos abarca roteiros com orçamentos muitos distintos, assim como pode ser trabalhada em uma grande diversidade de gêneros narrativos e dentro de uma dimensão ficcional ou não-ficcional.

A oficina “Como educar as crianças no mundo das telas?”, será ministrada pelo educador audiovisual, artista transmídia e diretor de filmes Igor Amin. Nesta opção, serão oferecidas 30 vagas para maiores de 18 anos. A atividade será realizada entre os dias 4 a 6 de setembro de 2020 – sexta a domingo, das 17 às 20 horas. A oficina busca apresentar ferramentas digitais para a promoção de uma relação saudável das infâncias com as telas diante o esforço de nos tornarmos pais, mães e professores educados audiovisualmente. Serão apresentadas quais habilidades e atitudes podemos desenvolver para que o audiovisual seja utilizado de forma eficiente em prol da conscientização, do desenvolvimento socioemocional e interpessoal. Além disso, como promover processos de ensino-aprendizagem na escola, em casa ou na sociedade ao utilizarmos as telas como meio para a emancipação do olhar de quem somos e o que podemos fazer pelo mundo.

.

Ademais, veja mais:

 

O cinema brasileiro independente pede passagem
“Fora de Casa” homenageia profissionais que não podem se isolar | Assista
Nódulo | Nova animação brasileira retrata mundo em isolamento

 

Escreve o que achou!