Wednesday, September 22, 2021

Lamento | Filme indicado a Melhor Filme Estrangeiro do Festival de Burbank está nos cinemas

Após sessões bem-sucedidas nos festivais de Brasília, Nashville e Cairo, desde 26 de agosto está nas telas brasileiras o longa-metragem “Lamento”, filme de estreia dos diretores Diego Lopes e Claudio Bitencourt, estrelado por Marco Ricca e Thaila Ayala. O filme foi indicado também a Melhor Filme Estrangeiro do Festival de Burbank.

Estamos sempre prestes a tomar decisões que definem quem somos e o que enfrentamos no nosso dia a dia. Elder (Marco Ricca) administra o hotel herdado de seu pai. Em suas mãos, o hotel passou de um resort de luxo para um à beira da falência. Ele é a epítome da pessoa cuja vida foi fácil, mas no auge dos cinquenta anos ele enfrenta as consequências de uma vida excessiva, com um vício errático em álcool e cocaína. O fracasso de sua vida profissional reflete em seu casamento, que está em ruínas e sem perspectivas de melhoria. No limite de seu equilíbrio emocional, Elder coloca tudo em risco ao enfrentar seus demônios e as consequências de suas decisões. Uma história que tem nuances dramáticas particulares a muitos núcleos familiares brasileiros.

“O Elder está em um momento delicado da vida, com vários problemas financeiros e emocionais e ele tenta enfrentá-los, dentro das impossibilidades que ele tem como ser humano, meio frágil, meio falho. Você assiste à trajetória desse personagem indo por um movimento totalmente vertiginoso em relação à vida dele. Você nunca tem muita certeza de se o que ele está vivendo é real ou está num mundo próprio dele. É um cara que está em constante abstinência, com todas as dores que isso traz – enfrentando uma separação e enfrentando também a perda de algo que é importantíssimo para ele, que é o hotel que herdou do pai e do qual ele não conseguiu fazer algo rentável”, diz Marco Ricca sobre seu personagem.

Devaneios

Além disso, figura central dos devaneios de Elder, a garota de programa Letícia (Thaila Ayala) aparece na vida do protagonista e logo some, misteriosamente. “A personagem trata de uma garota de programa com uma personalidade enigmática, nada decifrável, que desaparece de forma bem misteriosa. Ela é muito intensa, com uma personalidade de muitas camadas, de leitura difícil. Uma hora ela é uma coisa, outra hora ela é outra. Essa é a grande curiosidade sobre ela é o que me levou a me apaixonar pela personagem. Foi um trabalho muito desafiador, tudo muito denso, tenso e intenso”, diz Thaila sobre sua personagem.

Aliás, um ponto importante em “Lamento” é o hotel, propriedade do Elder. Mais do que uma locação, o hotel é um personagem dentro da história e por isso de grande importância para a narrativa do filme. Um desafia da produção foi conciliar o orçamento do projeto com o que era viável produzir de fato e a solução foi usar um hotel em operação e que possuía um andar inteiro com a decoração original e que permitisse ter um ponto de partida nas intervenções necessárias.

“A nossa direção de arte modificamos completamente o térreo e o primeiro andar do hotel para adequá-lo ao que queríamos. A equipe trabalhou majestosamente integrada e harmonicamente alcançando um resultado incrível. Arte, fotografia, produção, todos se esforçaram para atingir uma qualidade absurda e acaba sendo um momento que reflete o trabalho de todos no filme. Um esforço coletivo, feito com muito amor ao cinema e que reflete no resultado”, finaliza o diretor Diego Lopes. “Lamento” tem distribuição da Moro Filmes e está em cartaz.

Aliás, veja o trailer:

Ademais, leia mais

L.O.C.A. | Comédia brasileira debate relacionamentos tóxicos

Sol Alegria | Crítica

Crítica | ‘Mudança Mortal’ é bom suspense na Netflix

Escreve o que achou!