Las Pelancas | Espetáculo viaja pela terceira idade

Em cena, quatro personagens, os velhinhos, com suas manias, memórias e relações em um espaço de convivência. Entre os dias 23 e 25 de abril o espetáculo “Las Pelancas” apresenta com humor e reflexão os aspectos presentes na vida daqueles que chegam à terceira idade. O público poderá assistir à peça, ao vivo, em cinco sessões, exibidas online com venda de ingressos a R$ 5 pelo site www.even3.com.br/laspelancas .

Na direção, coreografia e interpretação, os artistas Mery Horta, Saulo Eduardo, Taísa Magno e Yasmin Coelho formam, desde 2011, o Coletivo Projeto Cia. A princípio, a montagem começou como uma célula coreográfica que foi apresentada no Festival Internacional Panorama de Dança, em 2011, e no Festival Auteurs de Troubles, em Lyon, na França, no ano seguinte. Desde então, o grupo desenvolve a pesquisa do gesto mínimo, que desencadeou na criação de “Las Pelancas”, apresentado diversas vezes e contemplado, em 2015, com o prêmio Viva o Talento! da Secretaria Municipal de Cultura da cidade do Rio de Janeiro.

Idosos

Patrocinado pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc, o espetáculo é uma oportunidade de celebrar os idosos que estão próximos de nós ou que podem ser nossos desconhecidos.

“Vemos os idosos, os quais chamamos carinhosamente de velhinhos, como aqueles que acumulam sabedoria e podem nos ensinar muito sobre a vida, mas que também possuem defeitos e qualidades, que amam, sofrem, que muitas vezes se sentem só, porém dão risadas e enfrentam a vida. Nosso espetáculo é uma singela homenagem a essas pessoas que nos inspiraram e também aos velhinhos que desejamos ser no futuro, pois sabemos que, com as precárias condições sociais que temos, envelhecer é um privilégio no Brasil”, reforça Saulo Eduardo, diretor, coreógrafo e intérprete do espetáculo.

Por fim, o público poderá se divertir com as manias, implicâncias, deboches, carinhos, lembranças, algumas das situações vividas por essas personagens. São paixões, desavenças, mágoas, sentem saudade e vivem, como qualquer outro ser humano, de qualquer idade.

“Algumas pessoas não conseguem visualizar nos idosos suas especificidades que é o que torna essa fase da vida única. Isso é reforçado por vivermos em uma sociedade que é altamente produtivista na qual o corpo que não produz mais em relação ao que essa sociedade entende como produtivo, é desconsiderado. ‘Las Pelancas’ joga luz nesse mundo que as pessoas não querem ver e traz, de forma poética, os afetos, as manias, as potências desse período da vida, desse corpo que através de gestos mínimos expressa seus desejos e anseios. Em resumo, falamos aqui de um direito ao amor e à vida”, completa Mery Horta, também diretora, coreógrafa e intérprete.

Serviço:

LAS PELANCAS

Quando: 23, 24 e 25 de abril

Sexta – 19h30 / Sábado – 17h e 19h30 / Domingo – 17h e 19h30

Ingressos: R$ 5

Compras pelo sitewww.even3.com.br/laspelancas

Duração: 45 minutos + 30 minutos de bate-papo com o público

Link para visualização do teaser do espetáculo:

https://www.youtube.com/watch?v=vqNVeLgYlsw&t=3s

Site: https://coletivoprojetocia.wixsite.com/laspelancas

Todavia, leia mais:

Isto é um Negro | CRÍTICA
Tântrica Santina, por fim, teatro, política e resistência
Enfim, Marcélli Oliveira usa o teatro para falar sobre suicídio | “A arte é tão essencial como a educação”

Escreve o que achou!