Meu Pai | Crítica de Gianelli

Antes de mais nada, The Father é uma adaptação da peça de teatro chamada Le Père, escrita pelo dramaturgo Florian Zeller, sucesso de público e crítica na França em 2014. Meu Pai tem data de estreia no Brasil para o dia 9 de abril pelas plataformas digitais, Now, Apple TV e Google Play e no final do mês também pela Sky Play e Vivo Play.

Além disso, este filme foi indicado a seis estatuetas do Oscar 2021, por Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante, Montagem, Design de Produção e Roteiro Adaptado. Dito isto, vamos ao que vi nas telas.

Emoção

Em contrapartida, é um filme que toca nas dores mais sensíveis do envelhecer e esvaecer; a velhice para qual poucos planejam, que não pode ser vivida em plenitude e é vista como um fardo para muitos. Você está ali, porém suas lembranças o traem, sua imaginação o engana e a realidade o confunde.

Portanto, prepare-se para internalizar este universo e, por alguns instantes, se imaginar vivendo uma vaga memória de quem você um dia foi. Se perdendo cada vez mais de si mesmo.

Exemplos

Além deste, outra referência no gênero é Para Sempre Alice, com Julianne Moore, lançado em 2014. Ambos tratam sobre a forma com que enfrentamos os desafios de uma doença degenerativa, seja a Demência em Meu Pai ou o Alzheimer em Para Sempre Alice.

Fica claro após assistir aos longas que é crucial para a qualidade de vida destas pessoas, durante o tempo em que conseguimos retardar os efeitos, receber  respeito e dignidade através de uma medicina paliativa aliada ao tratamento humanizado dos entes próximos. Embora essas doenças roubem fragmentos e trechos de suas vidas, não roubam sua essência e, principalmente, sua capacidade de sentir.

Veja o trailer:

Sentimentos

Em suma, estar totalmente exposto, sendo obrigado a confiar, acreditar e obedecer, sem ter total noção daquilo que se passa ao seu redor, seria o pesadelo de muitas pessoas, porém esta é a norma na vida de muitos idosos, doentes e deficientes cognitivos. A vida para estas pessoas não precisa ser uma prisão, mas para isso é necessário que aqueles a sua volta lhe forneçam recursos e compreensão. O anseio por amparo e carinho enfrentam de frente limites pessoais, despreparo emocional e a boa ou má qualidade das relações que o cercam.

Por fim, espero que se preparem hoje e permitam-se viver a fragilidade deste tempo que não tarda chegar. Este é nosso futuro e nosso presente. Seja gentil sempre que possível e torne existências mais leves e menos dolorosas. Nosso momento, se tudo caminhar bem, também irá chegar.

Ademais, veja mais:

Rosa e Momo | A busca para preencher a lacuna de afetos
Crítica | A saber, ‘Era Uma Vez Um Sonho’ é elegia caipira emocionante na Netflix
Todas as Canções de Amor | Crítica

 

1 Comment

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: