Sunday, February 28, 2021

Conheça o Santuário do Caraça, uma das Sete Maravilhas da Estrada Real

O Santuário do Caraça (Estrada do Caraça, KM9 – entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara) é uma boa opção para os viajantes que gostam de riqueza ambiental, histórica, cultural e gastronomia mineira. O local tem tranquilidade e ao mesmo tempo convivência direta com a natureza. Todavia, nesse período de fim de ano, o local fica ainda mais concorrido e, em virtude da pandemia, o número de hóspedes e visitantes é restrito.

O Complexo do Caraça possui enorme diversidade de fauna e flora, com raridades de animais e plantas no meio ambiente. Na ampla diversidade de sua fauna, há 386 espécies de aves, 42 espécies de répteis, 12 espécies de peixes e 76 espécies de mamíferos.

A Reserva Particular do Patrimônio Natural do Santuário do Caraça faz parte de duas importantes reservas ecológicas, as Reservas da Biosfera da Serra do Espinhaço Sul e a da Mata Atlântica, onde há diversas espécies de flora e fauna, algumas encontradas somente no Complexo do Santuário do Caraça, que fica na transição entre Mata Atlântica e Cerrado, onde também há campos rupestres. Em suas srras há nascentes, ribeirões e lagos que possuem águas de coloração escura, que carreiam material orgânico em suspensão.

São 12.500 hectares de Mata Atlântica, Campos Rupestres e Cerrado. Além disso, diversas trilhas, das mais curtas até as que duram horas por paisagens e cachoeiras. Os visitantes podem contemplar as maravilhas da biodiversidade caracense, que abriga espécies da flora endêmicas, muitas ameaçadas de extinção.

A hora do lobo

Um dos grandes atrativos do Santuário do Caraça é a famosa hora do lobo. A tradição de aguardar a visita do lobo todos os dias à noite começou no Caraça em maio de 1982, quando algumas lixeiras começaram a aparecer derrubadas e reviradas. Num primeiro momento pensou-se que isto poderia ser causado por cachorros. Começou-se a observar e se descobriu que o grande cachorro que revirava as lixeiras do Santuário era na verdade o Chrysocyon brachyurus, que quer dizer “animal dourado de rabo curto”. É chamado Guará porque em tupi-guarani, na língua dos indígenas, guará significa “vermelho”.

Desde então, começaram a colocar bandejas de carne nos dois portões da frente da casa e aos poucos os lobos se aproximaram da escada da igreja. Hoje, a bandeja é colocada no adro da igreja, onde têm ido comer, além do lobo-guará, cachorros-do-mato e uma anta.

A prática de alimentar esses animais ali na Casa só persiste até os dias atuais porque o seu hábito de caça não foi comprometido. Por este motivo o lobo-guará não tem hora de aparecer. O tempo de espera da aparição do animal é conhecido como “hora do lobo”, a partir das 18h30. Enquanto o lobo não vem, o Caraça proporciona aos hóspedes um tempo da informação, a educação ambiental.

Fonte de conhecimento

O Caraça é uma estrutura cultural em constante formação. Começou por volta de 1770, quando o Irmão Lourenço de Nossa Senhora iniciou a construção do ‘hospício’, como então era chamada a hospedaria para acolher peregrinos, e uma ermida – capela barroca, dedicada a Nossa Senhora Mãe dos Homens. Posteriormente, a instituição transformou-se em Colégio e Seminário. Atualmente o lugar mantém a sua essência, proporcionando às pessoas a chance de interagir com sua história.

O complexo é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e Estadual. Foi escolhido como uma das Sete Maravilhas da Estrada Real. Aliás, o Santuário do Caraça é a primeira igreja neogótica do Brasil, construída sem mão-de-obra escrava e toda com material regional: pedra-sabão (retirada de perto da Cascatona), mármore (das proximidades de Mariana e Itabirito, Gandarela) e quartzito (da região do Caraça e vizinhanças), unidas com produtos de base de cal, pó de pedra e óleo.

Seu solo é rico em minérios, explorados nos séculos anteriores, e com grande concentração de quartzito ou rocha metamórfica. Desde 2011, passou a ser preservado contra exploração comercial. O clima tem baixas temperaturas e elevada umidade do ar, comuns em ambientes de mata.

O território do Complexo do Caraça integra a Área de Proteção Ambiental ao Sul da Região Metropolitana de BH, onde começam duas grandes bacias hidrográficas, a do rio São Francisco e a do rio Doce, que abastecem aproximadamente 70% da população de Belo Horizonte e 50% da população de sua região metropolitana.

Serviço:

Local: Estrada do Caraça, KM9 – Entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara – CEP 35969-000

Fácil acesso pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do charmoso acesso por trem (Estação Dois Irmãos – Barão de Cocais/MG)

Horário de Funcionamento para visitação: Todos os dias, das 8h às 17h

Valores de visitação: a partir de R$ 14,00

Reservas: centraldereservas@santuariodocaraca.com.br

Mais informações: www.santuariodocaraca.com.br

Ademais, leia mais sobre turismo:

Enfim, siga um filme pelo Caminho de Santiago de Compostela
Conheça quatro viagens para curtir natureza e exercício
FLIP 2019 – Faculdade Literária ou Festa Literária Internacional de Paraty?

1 Comment

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: