Tuesday, January 19, 2021

Socorro,Virei uma garota! é clichê que faz rir

Lembra de um dos maiores sucessos do cinema nacional? E Se Eu Fosse Você teve uma ótima bilheteria, foi uma comédia divertida que agradou grande parte do público brasileiro. Então, Socorro, Virei uma Garota! bebe dessa fonte, porém voltado para um público mais adolescente. Tem até algumas cenas bem semelhantes e classicamente clichê como o caminhar desajeitado de salto alto do homem em corpo de mulher. A verdade é que reaproveita um conceito que já foi utilizado muitas vezes por um enorme número de produções norte-americanas (Um Dia Muito Louco; Vice-Versa; De Volta aos 18; Tal Pai, Tal Filho; Sexta-feira Muito Louca). Contudo, dessa vez, é uma comédia adolescente brasileira, e, se o principal objetivo for fazer rir, deu certo. Durante a exibição para imprensa que participei, as risadas ecoavam.

Neste filme bem dirigido por Leandro Neri – que chega aos cinemas de Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Belo Horizonte em 22 de agosto – conhecemos Júlio, um garoto tímido e zoado pelos colegas de escola, nerd estereotipado típico, ótimo em matemática e péssimo em relacionamentos. O personagem ganha vida com desenvoltura por Victor Lamoglia.

Depois de passar uma grande vergonha, Júlio, ao ver uma estrela cadente, faz um pedido desejando com força: ser a pessoa mais popular e descolada da escola. Logo, acorda como uma garota, Júlia (Thati Lopes), youtuber de maquiagem, conhecida e admirada. Para aprender como viver com o novo corpo feminino, ainda precisa lidar com a amizade de Melina (Manu Gavassi), a garota por quem é apaixonado.

Thati Lopes

No geral, Thati Lopes segura o filme, cheia de carisma e talento. A garota diverte e atua bem. Aliás, todo o elenco de coadjuvantes, com destaque para o Cabeça (feito simpaticamente por Leo Bahia) realiza um bom trabalho. Douglas (Lippy Adler) é outro personagem que fornece risos, um playboy crossfiteiro, fã de suplementos. A atriz Lua Blanco faz Renata, irmã do Cabeça, toda estilosa. É um show de estereótipos, mas a ironia cai bem em várias situações.

Nelson Freitas faz o pai de Júlio/Júlia em ótima atuação. Ator tarimbado em especial no gênero comédia, é responsável por bons momentos, como que apresentando essa galera nova para um público maior. Muitos deles são bem conhecidos pelos mais jovens por seus trabalhos na internet.

A trilha sonora é um personagem à parte, encaixando perfeitamente com as cenas, dando o tom da comédia e sendo um ótimo complemento para algumas boas gargalhadas. Especialmente, uma cena em que ouvimos a cantora Ana Carolina.

Roteiro

Uma das graças de Socorro,Virei uma garota! são as muitas referências a diversos outros filmes, séries, super-heróis. Star Wars é um dos mais presentes, mas tem também Jornada nas Estrelas, e outros.

O filme realça estereótipos? Sim, como no próprio Se Eu Fosse Você, isso acontece. Ao mesmo tempo, existe um esforço para desconstruir alguma coisa. Sem muito sucesso, o clichê prevalece. No final, o que ocorre é que o menino precisa virar menina, vivenciar estar em corpo de mulher, para finalmente amadurecer, se amar, e ter confiança.

Achei engraçado e existe a tentativa de ser didático e passar boas mensagens. Ok, ressalto uma vez mais que tem bastante clichê… um festival. Só que alcança o objetivo de fazer rir, utilizando essa nova geração de atores brasileiros e sugerindo bons ensinamentos sobre aceitação.

Afinal, o roteiro de Paulo Cursino está longe de ser um primor, mas consegue trazer emoção (além das muitas risadas) em momentos específicos. O longa ainda conta com supervisão artística de Roberto Santucci, com produção bem feita da Camisa Listrada, coprodução da Paramount Pictures e Panorama Filmes e distribuição da Downtown Filmes.

Enfim, o trailer:

*Crítica publicada primeiramente no site Ultraverso

 

Escreve o que achou!