Thursday, October 29, 2020

Natália Rosa | “Eu não realizava que aquele pedaço de carne no meu prato era um cadáver”

A atriz Natália Rosa, da série Magnífica 70, da HBO, bateu um papo com o Vivente Andante durante a Feira Vegana Veg Borá. Ela é vegana e ativista pela causa animal, nasceu em São Paulo e cresceu frequentando o litoral paulista. Foi atleta por muitos anos da ginástica artística.  É fã de esportes e natureza.

Alvaro Tallarico: Natália Rosa, nesse momento aqui com um sorvete vegano.

Natália Rosa: Maravilhoso!

Alvaro Tallarico: Primeiramente, como é esse sorvete vegano, você sente muita diferença para o comum? Sente falta?

Natália Rosa: Olha, eu sou a maluca do doce, desde sempre (risos). Quando me tornei vegana, há quatro anos, achei que fosse sentir muita falta de um doce bom. A maioria dos doces leva leite, ovos, mel, enfim. Cara, o sabor… a comida vegana, o sabor fica muito mais vivo. Então não sinto falta de nada, pelo contrário, gosto muito mais dos doces hoje do que antes.

Alvaro Tallarico: Você namora o Emiliano D’Ávila. Virou vegetariana/vegana antes dele ou depois?

Natália Rosa: Eu converti ele. Ele não disse isso?

Alvaro Tallarico: Não (risos).

Natália Rosa: Fui eu.

Alvaro Tallarico: Mas por que você virou? O que te deu esse start?

Natália Rosa: Sempre tive uma conexão muito forte com os animais, mas eu não realizava, assim como a grande maioria da população, que aquele pedaço de carne no meu prato era um cadáver. Um bicho que já foi vivo algum dia, que sofreu, foi encarcerado, estuprado, enfim. Eu não sabia disso. Até assistir o primeiro documentário que foi Cowspiracy, que é leve nesse quesito do sofrimento, né? Não expõe muito. Mas para mim foi arrebatador.

Naquele momento, naquelas quase duas horas de documentário foi o momento que me tornei vegana. A partir daquele documentário eu nunca mais consumi nada, não comprei mais nada que tivesse origem animal. E me tornei ativista da causa. Quis gritar para o mundo. Porque lá o que a gente fica sabendo, que desperta… A gente é nocauteado, arrebatado. E eu que sou muito passional… Tipo “não, peraí, vocês não estão entendendo o que está acontecendo aqui?”, e ir para rua e militar a favor da causa.

Alvaro Tallarico: E Emiliano me falou sobre os projetos dele que tem a ver com isso.

Natália Rosa: A gente trabalha muito junto em várias coisas. Então de uma forma ou de outra, ou dando palpite, ou sendo assistente dele em alguma coisa, estamos sempre juntos. Mas aconteceu uma coisa legal comigo esse ano. Fiz uma série na Netflix. E, na série, por conta da atriz vegana, eles desenvolveram um sangue… É uma série sobre zumbis, então tinha muito sangue, pedaços de corpos, enfim. Então, eles desenvolveram um sangue vegano, que originalmente, nas produções, é feito com mel, e desenvolveram um vegano por causa da atriz vegana. Então acho que foi uma coisa bacana, porque o set todo, o filme todo usou esse sangue vegano.

Ademais, leia mais:

Pérola Faria | “As pessoas ficavam indignadas que eu não comia carne. Achavam que eu ia desmaiar”
Feira Vegana Veg Borá apresenta os Melhores do Ano
Emiliano D’Ávila | “Estou com um projeto de adaptação do livro de Ricardo Laurino sobre veganismo”

 

Escreve o que achou!