Conheça Sevana e seu indie reggae no EP Be Somebody

Na última década, o reggae jamaicano teve uma nova safra de artistas femininas que trouxeram um frescor para o gênero, que foi amplamente pulverizado mundo afora na voz lendária de Bob Marley.

A saber, a presença feminina no reggae era (re)conhecida através das vozes de base ou backing vocals. Porém, felizmente as artistas mulheres foram ganhando espaço e autonomia no estilo musical. Assim, podemos ver, atualmente, um novo expoente jovem como Jah9, Etana e Xana Romeo trazendo novidades e perpetuando o roots reggae para nova gerações.

Carreira em ascensão

Sevana faz parte desse novo expoente. Nascida em Savanna-la-Mar, Jamaica, sua carreira teve inicio em 2008, no grupo feminino SLR, após ter levado o 3º lugar no reality show Digicel Rising Stars, equivalente jamaicano de American Idol.

Contudo, com o fim do grupo em 2009, Sevana entrou num hiato artístico que teve seu fim em 2016, quando decidiu se dedicar à música por completo. Como resultado, surgiu seu primeiro EP solo intitulado Sevana. Com isso, a artista ganhou visibilidade internacional, rendendo sua primeira turnê solo pelo Europa.

EP Be Somebody 

Esse ano, Sevana trouxe novidade aos fãs lançando, em julho, seu segundo EP, Be Somebody. A obra é uma jornada intimista sobre autorreflexão, relacionamentos, amor e crescimento pessoal, explica a artista a uma entrevista cedida à revista digital Hypebae. Aliás, a última faixa, Set Me On Fire, é sua preferida, que foi escrita após o fim de um relacionamento abusivo.

O EP, lançado pela RCA jamaicana, conta com seis faixas e todas escritas por Sevana. A imersão musical começa com a envolvente Be Somebody, canção sobre autoafirmação, entoada pelos versos “I just wanna be somebody, doing my best, you see”. Em seguida, vem Phone A Friend, que versa sobre ela querer fugir de alguém.

O destaque vai para Mango, uma linda canção na qual ela utiliza a manga, uma fruta nacional jamaicana, como eufemismo para o amor e que tem um clipe esteticamente belíssimo, que você confere logo mais. Logo depois vem Blessed, um hino à gratidão e If You Only Know, que soa um pouco R&B e lembra a cantora inglesa Lianne La Havas.

Por fim, a capa do EP foi cuidadosamente pensada por Sevana, que quis transmitir uma mensagem de autoafirmação e autoamor. Em entrevista dada a Reggaeville, a artista fala: “Eu pedi pra ele(seu irmão) segurar meu cabelo. Ele está me segurando e isso é apenas para representar as pessoas, as vozes e bocas que gritam ‘não isso, não aquilo, não faça isso, não soe como aquilo…’, e eu estou apenas sentada, me abraçando, fazendo tudo o que eu quero.”

Afinal, confira o lindíssimo clipe Mango:

Ademais sobre Sevana, veja mais:

Confira a voz feminina representada em 7 HQs | Mulheres e Quadrinhos
Mais mulheres inspirando outras mulheres em 2020
A mulher negra e o autoamor | Por Pamella Lessa

 

2 Comments

Escreve o que achou!

%d blogueiros gostam disto: