Tuesday, January 31, 2023

Avatar – O Caminho da Água | Filme traz reflexões sobre família e o trato com os animais

Em uma noite, resolvi assistir ao filme Avatar – O Caminho da Água, que retrata a história da família Sully. A sessão terminava tarde e pensei que seria chato, cansativo, até já tinha aceitado (me sentindo culpada) uma eventual cabeçada de sono… porém, me surpreendi. Não era só o colorido que encantava, era a emoção dos personagens que estava tão palpável que me prendeu, emocionou e me faz dividir essas reflexões.

Aparentemente é só uma animação, uma continuação da história de uma década atrás (Avatar, de 2009, leia aqui a crítica)… mas achei tão adulto (ou é a maturidade vindo?)!

Enxerguei a necessidade que há nos filhos em serem admirados pelos pais, como se fosse obrigatório fazer algo elogiável para ser amado, quando não precisava de nada disso… Também vi o quanto cumprir regras pode ser válido, mas quebrar alguma pode ser uma benção e até uma proteção divina.

Egoísmo

Vi o remorso e egoísmo, que pode ultrapassar a morte… será que isso tem influência de ideias sobre reencarnação? Não sei, mas foi algo que me veio na mente.

Avatar – O Caminho da Água retrata a seriedade dos pais, muitas vezes vista como chatice pelos filhos, e na verdade é só desespero e medo disfarçados. Alguns sacrifícios foram feitos pelos pais para permitir a vinda de um futuro melhor, e a adaptação geralmente é difícil para todos. Aliás, o que me surpreendeu foi que por mais que os pais se sintam muito suficientes, tem horas que são os filhos que concluem as missões.

Lágrimas

Além disso, uma das coisas que me fez chorar foi a conexão dos animais com o povo. É realmente lindo reconhecer que um animal pode sim ser tão querido quanto uma pessoa! Conheço pessoas que ficam arrasadas ao perderem seus animais, e tiveram mais tranquilidade em perder pessoas. Ousado, mas aparenta que vivenciar isso deixou de ser frescura ou aberração.

Outro ponto dolorido foram as perdas provocadas pela caça, por mera ganância. A terceira sacudida veio com a entrega de algo que foi emprestado pela Grande Mãe, e, com isso, instiga a pensar sobre a brevidade da vida.

Muitas reflexões… quer descobrir se você as enxerga também? Ou se descobre outras? Assista Avatar – O Caminho da Água nos melhores cinemas da sua região e deixe aqui seu comentário 🙂

Ademais, veja mais:

Crítica | ‘Um Dia Para Sempre’ é comédia romântica tipo ‘Feitiço do Tempo’

Um Pequeno Grande Plano | Crítica

Crítica | ‘Guia Romântico Para Lugares Perdidos’ tem poesia e catarse

15 Comments

Escreve o que achou!