Crítica | ‘Os Fabelmans’ é Spielberg autobiográfico

Os Fabelmans é Steven Spielberg inteirinho. Um filme autobiográfico que retrata um pouco da infância americana do século 1920 ao narrar a história de um jovem, Sam Fabelman (Gabriel LaBelle) que começa a se apaixonar pelas câmeras. Em seguida, acaba descobrindo um segredo familiar e o poder da arte.

Michelle Williams, (Manchester à Beira-Mar, Sete Dias com Marilyn), quatro vezes indicada ao Oscar, é um dos grandes destaques, em mais uma daquelas atuações que valem o ingresso. Ainda por cima, Paul Dano (Batman, Sangue Negro) mantém sua eficiência comum ao viver Burt Fabelman, um homem sério, inteligente e contido em seu sofrimento.

Seth Rogen, Gabriel LaBelle, Jeannie Berlin, Julia Butters, Robin Bartlett, Keeley Karsten e Judd Hirsch completam o elenco sem deixar a qualidade cair.

Aliás, confira um featurette do filme, e siga lendo:

Arte e cinema são temas caros ao diretor e temas de grandes diálogos, como na aparição de Tio Boris (Judd Hirsch) que ainda faz um contraponto com esses assuntos, a família e como se conectam – ou não.

A relação de Sam com sua mãe, Mitzi Fabelman (Michelle Williams), e como ela estimula, influencia, e surpreende é uma das linhas centrais da película. Tudo tem uma abordagem bastante sensível. É um dos melhores filmes de drama da carreira de Spielberg com cenas antológicas, como a dança de Mitzi no acampamento. Inclusive, Steven Spielberg chorava e se emocionava diversas vezes durante as filmagens como Seth Rogen disse a alguns repórteres. “Enquanto estávamos filmando, eu ficava tipo, ‘Isso aconteceu na vida real?’ e a resposta era ‘sim’ cem por cento das vezes.”

É cinema da melhor qualidade e para ver na tela grande, de preferência, para poder aproveitar os planos de Spielberg, seus horizontes, os closes, as sombras e luzes. Inclusive, palmas para a cinematografia de Janusz Kaminski.

É possível que um ou outro ache o filme chato?Sim. Porém, para aqueles que gostam amam cinema, e um bom drama, é difícil não perceber as tantas virtudes e apreciar a visão desse diretor tão emblemático em cima de momentos que marcaram sua história.

Os Fabelmans venceu o Globo de Ouro de Melhor Filme de Drama e Melhor Diretor, foi coescrito por Spielberg em parceria com o dramaturgo ganhador do Prêmio Pulitzer, Tony Kushner (Angels in America), indicado ao Oscar pelos roteiros de Lincoln e Munique.

Afinal, o longa estreia em 12 de janeiro de 2023.

Ademais, veja mais:

Avatar – O Caminho da Água | Filme traz reflexões sobre família e o trato com os animais

Crítica | ‘Regra 34’ traz reflexões impactantes sobre liberdade e moralidade

Confira as estreias da Disney em janeiro | ‘Mila no Multiverso’, com Malu Mader, é destaque no streaming

3 Comments

Escreve o que achou!