Sunday, September 25, 2022

Crítica | ‘Sing 2’ traz música e humor em história simples e divertida

“Sing 2” traz clássicos da música americana e novos sucessos do pop para o repertório infantil. Com uma história simples, divertida e levemente problemática, “Sing 2” fala sobre resiliência, força de vontade e trabalho duro para conseguir o seu objetivo.

O problema da normalização

Para começo de conversa, quando foi a última vez que você prestou atenção num filme infantil? Eu não estou falando de assistir com o seu filho, sobrinho ou neto, sem o telefone do lado, mas sim assistir, pensando no que a criança vai tirar dessa obra. A criança não assiste tudo sem julgamento de valor, longe disso. Ela com certeza está absorvendo tudo que é aparece na sua frente, da piada capacitista até a pressão psicológica contra um personagem em depressão profunda; “Sing 2” é muito mais do que só piadas e musiquinhas.

O problema de “Sing 2” é justamente que comportamentos problemáticos são tomados como normais, ou até mesmo necessários. O protagonista coala Buster Moon mente deliberadamente para conseguir produzir a sua peça, isso depois de invadir um prédio e perseguir uma raposa. Depois disso ele invade a propriedade de um leão que está em autoexílio por causa da morte da esposa, sofre uma tentativa de homicídio e é ameaçado várias vezes pelo seu chefe, o Senhor Crystal.

O mais surreal de todo esse drama é que ele surge de forma objetiva, humorística e tão simples que você ri de tudo isso. Parece ser uma aceitação e normalização do politicamente incorreto, mas com bichinhos fofos, piadas infantis e um medley colossal de músicas famosas.

Aliás, veja o trailer e siga lendo:

Animação

Agora, deixando de lado o que poderia ser melhor trabalhado, “Sing 2” é um filme realmente engraçado, com piadas leves e fáceis de entender, uma ótima cantoria e uma animação belíssima. A cena que os animais chegam na Las Vegas fictícia é incrível, um banquete para os olhos que tem quase coisa demais para ser digerida, assim como a Las Vegas de verdade.

Não só os ambientes são belíssimos, como a animação dos personagens é primorosa. Dos pelos ao couro, cada um dos animas é único, belo e quase humano no seu estilo. De longe, o melhor dentre todos os animais é a dona Kiki, a camaleoa assistente do Moon, que com um olho do vidro inerte rouba todas as cenas que participa. O seu modo de andar, tremilicar e piscar é único e hilário.

Dublagem

Como em toda animação, a dublagem é um ponto muito importante, principalmente no Brasil, uma terra fértil de dubladores da melhor qualidade. Infelizmente, como no caso de várias animações mais populares, a dublagem foi feita por atores e cantores famosos, que não tem muita, ou nenhuma, experiencia com dublagem.

Nomes como Paulo Ricardo, Fiuk, Lexa, Wanessa Camargo e Fábio Jr. ficam com os papéis principais. Por conta disso, o único dublador profissional entre as estrelas é o Marcelo Garcia, responsável pelo papel principal do Buster Moon. A falta de nomes mais experientes com dublagem não vai incomodar, mas é importante notar que você provavelmente não vai reconhecer nenhuma das vozes. Um exemplo disso é o do cantor Paulo Ricardo, que fica completamente irreconhecível no papel do leão Clay Calloway, o que leva a questionar se esse casting é realmente necessário.

Música

Com faixas de cantores como Billie Eilish, Coldplay, U2 e Anitta, “Sing 2” não chega a surpreender na escolha. Ainda assim, o longa apresenta um bom mix de clássicos e hits atuais para uma audiência que está apenas começando a descobrir as músicas.

“I Say a Little Prayer”, “Goodbye Yellow Brick Road”, “Bad Guy”, “”I Still Haven’t Found What I’m Looking For” e “Break Free” são só algumas das músicas que tocam ao longo de “Sing 2”. Essa mistura é energética e dançante o que vai agradar tanto os pequenos quanto os pais que vão acompanhar na sessão.

Os dubladores originais em inglês cantam a maioria das músicas, o que é uma bela surpresa. Scarlett Johansson, Taron Egerton, Reese Witherspoon e a cantora Halsey dublaram e cantaram na versão original; o que surpreende bastante, justamente por serem atores famosos que conseguem cantar de forma consistente e agradável.

Conclusão

Apesar de todas as questões mais sociais e problemáticas, “Sing 2” é um filme divertido, que vai alegrar a criançada. Uma animação muito bem-produzida, bem dirigida, com um plot consistente e personagens envolventes, não tem como não recomendar. Finalmente, só não esqueça que as crianças são impressionáveis e que elas vão absorver mais do que você imagina desse filme.

Enfim, “Sing 2” estreia nos cinemas brasileiros dia 6 de janeiro de 2022.

Ademais, veja mais

Matrix Resurrections | Filme une amor e evolução numa nova encarnação

Crítica | ‘A Última Noite’ mostra o último Natal

Festival Halleluya 2021 ilumina Morro da Urca com música e fé

7.7
Sing 2

Engraçadinho e animado, tem mais conteúdo do que aparenta

Escreve o que achou!