Monday, September 26, 2022

45º Festival Guarnicê de Cinema | Documentário ‘Autodeclarado’ terá sessões especiais

Dirigido por Maurício Costa, o documentário Autodeclarado traz uma questão sempre em pauta no Brasil: a política de cotas raciais para o ingresso no ensino superior no país. Ela começou a funcionar em 2003, nos vestibulares da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e da UNEB (Universidade Estadual da Bahia). O 45º Festival Guarnicê de Cinema receberá sessões especiais do longa. O evento acontece entre 23 e 30 de setembro, em São Luís do Maranhão.

“O Guarnicê é o festival certo para estreia de Autodeclarado. O papel pioneiro da Universidade Federal do Maranhão, a UFMA, na implementação das cotas nas universidades federais, a diversidade e a complexidade das relações raciais no Maranhão, e a tradição do Guarnicê fazem dessa estreia motivo de orgulho para toda a equipe do filme”, comenta o diretor.

Aliás, ouça o podcast abaixo e siga lendo:

O filme discute não apenas a importância dessa política, nas últimas décadas, mas também como é o processo de verificação e suas possíveis falhas. Para isso, conta com Luan Myque Figueira da Silva, Luciene Guimarães de Faria, Cristina Sousa, Bárbara Kruczyski, Janedson Almeida e Glaucielle Dias falando de suas jornadas  pessoais. Dessa forma, Autodeclarado discute os preconceitos e o colorismo racial.

“A divisão interessa mais a quem é contra as cotas raciais do que a quem as defende. Como afirmou um de nossos entrevistados, temos de discutir a inclusão, em vez de discutir a exclusão. Além disso, meu entendimento da experiência racial, no Brasil, mudou, e espero que o filme faça o mesmo para o público”, explica o cineasta.

A saber, o documentário Autodeclarado ainda conta com a participação de 25 entrevistados, entre eles, lideranças históricas no movimento negro no Brasil. Além disso, participam os criadores e redatores da regulamentação das comissões de verificação, reitores de universidades federais e privadas, acadêmicos, youtubers e influenciadores digitais negros, negras, pardos e pardas. Entre eles, Frei Davi (EDUCAFRO), Prof. José Vicente (Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares), Benedito Gonçalves (Ministro do STJ), Spartakus Santiago e Winnie Bueno (ambos influenciadores negros de grande alcance entre o público-alvo do filme), Natalino Salgado (Reitor da UFMA), e Demétrio Magnoli (sociólogo e jornalista).

Ademais, ouça abaixo e depois leia mais sobre podcasts:

Vai pra Cuba | Confira um podcast pela ilha polêmica
Além disso, podcast com Marcelo Monteiro falando de Cosmogonia Africana
Por fim, podcast com Ana Catão fala sobre dança afro

Escreve o que achou!