É Tudo Verdade exibe curta sobre Zuza Homem de Mello, de Jorge Bodanzky

O crítico e historiador musical, Zuza Homem de Mello (1933-2020), faleceu. Em homenagem à sua carreira e ao legado que deixou para a história da cultura nacional, o É Tudo Verdade exibe neste sábado, 10 de outubro, a partir das 11h, em seu canal do YouTube, o curta Zuza Homem de Mello, do cineasta Jorge Bodanzky. Logo após a transmissão tem  entrevista com Bodanzky conduzida por Amir Labaki, diretor-fundador do festival. A saber, uma semana antes de falecer, Zuza assistiu à produção em sua homenagem e deixou uma carta ao diretor, que estava prestes a estrear Utopia, Distopia na 25ª edição do É Tudo Verdade.

A seguir a carta na íntegra:

CARTA DE ZUZA AO DIRETOR JORGE BODANZKY

Meu querido Jorge,

Acredite que somente hoje é que pude ter a alegria de ver aquele documentário feito há quase 5 anos atrás.

Fiquei impressionado como você pode extrair daquele bate papo tão informal o material para esse filme…

Quanta coisa veio à tona de minha vida, de meus tempos, do Jazz e da música brasileira.

Engraçado notar que grande parte do que foi dito acabou ocorrendo nos 5 anos seguintes, entre eles o livro sobre o samba-canção (Copacabana, a trajetória do samba-canção, Editora 34) que não sei se você tem.

E agora a biografia de João Gilberto que estou finalizando para ser lançada no início de 2021.

Tudo se encaixa nesse seu filme em que tive a honra de participar.

Muito obrigado Jorge, Marcia e toda a equipe.

Ganhei meu dia. Obrigado pelo envio.

Pretendo assistir “Utopia, Distopia” o quanto antes e cuja repercussão já se faz sentir.

Que seja assim.

Um abraço deste admirador e amigo,

Zuza

24 setembro 2020

Serviço:

Exibição inédita de Zuza Homem de Mello + entrevista de Jorge Bodanzky a Amir Labaki

Data: 10 de outubro
Horário: 11h
https://www.youtube.com/user/festivaletudoverdade

Sinopse: Zuza Homem de Mello abre as portas de sua casa para compartilhar parte de sua história com a música. Enfim apresentando a sua coleção de vinis e cds. Além disso,  Zuza relembra os primeiros anos vivendo em Nova York. Principalmente quando conheceu nomes expressivos do Jazz. Passando por diferentes gêneros e estilos musicais, ele relembra as histórias de sua trajetória como jornalista musical.

A princípio, Zuza se especializou em história da música popular brasileira (MPB). Aliás, atuou como baixista na noite até meados nos anos 1950, quando passou a se dedicar ao jornalismo. Publicou diversos livros sobre música, entre eles: Música popular brasileira cantada e contada (1976), A Era dos Festivais (2003) e Música com Z (2014). Faleceu em 04 de outubro de 2020, deixando importante legado para a música brasileira.

Ademais, veja mais:

Beat é protesto, O funk pela ótica feminina | Documentário explora o papel feminino na cena do funk paulista

Trap de Cria | Documentário mergulha na cena trap carioca e dá voz às comunidades

Conheça Sevana e seu indie reggae no EP Be Somebody   

Além disso, conheça o Tukum – Bando de Criação:

Escreve o que achou!