Thursday, September 24, 2020

História de um Casamento | CRÍTICA (Netflix)

História de um Casamento (‘Marriage Story’) é sobre tempos modernos e uma realidade comum. O que amo no Charlie (Adam Driver) e o que amo na Nicole (Scarlett Johansson) são textos sensíveis e profundos que surgem na tela, mostrando através de narrações emocionantes e cenas tocantes, o caminhar de um casal e as peculiaridades que permeiam sua relação. Uma abertura belíssima que nos conecta fortemente com os personagens e logo depois nos surpreende. Apesar de ser um drama – dos melhores, por sinal – o longa-metragem ainda consegue entregar diversas situações cômicas e cotidianas que qualquer casal facilmente pode se identificar. O tema é a vida real.

O elenco? O que falar do elenco? Uma gama de grandes atores elevam a qualidade cinematográfica de tal forma que a verossimilhança é quase palpável. Adam Driver e Scarlett Johansson protagonizam o filme de forma que sentimos suas dores e agruras. O elenco de apoio, em especial os advogados feitos por Ray Liotta e Laura Dern, nos faz entender mais sobre escrúpulos e batalha de egos. Todas as atuações estão impecáveis. As indicações ao Oscar são merecidas (Adam Driver, Alan Alda e Laura Dern), sem contar aquelas do Globo de Ouro (Scarlett Johansson e Ray Liotta).

Há uma briga onde os diálogos vão subindo de tom, os personagens sentem o sangue esquentando e liberam sentimentos por tempos guardados. Inclusive, essa é uma das cenas mais impressionantes e poderosas do longa-metragem e que demonstra o esmero na direção, roteiro e argumentação.

Pessoas boas no seu pior

Aliás, direção e roteiro de História de um Casamento são do Noah Baumbach que fornece cenas com símbolos de fechamento e usa os closes nos momentos necessários, sem escorregar em tornar um dramalhão, mas, sim, respeitando os personagens e suas fraquezas humanas. O foco dele é esse, não é inventar ângulos ou movimentos de câmera espalhafatosos. Há uma frase dita por um advogado que ecoa, e reverbera: “Os advogados criminais veem as pessoas más no seu melhor, os advogados de divórcio veem as pessoas boas no seu pior”.

Há situações em que a lágrima poderá insistir em descer do seu rosto. Deixe rolar. Afinal, Noah alcança seus objetivos de mostrar um casal que trabalha com arte, vivenciando fins e começos. Noah não gosta de improvisações e faz questão de que seus diálogos sejam ditos com precisão. É possível que você sinta emoções diferentes, dependendo do seu grau de identificação e seu referencial de relações amorosas.

Veja o trailer:

Ademais, leia mais:
Entenda a Direção de Fotografia com Flávio Ferreira
Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia | Crítica e Poesia
‘Retrato de uma Jovem em Chamas’ | CRÍTICA

Escreve o que achou!