Saturday, December 3, 2022

Crítica | ‘A Porta ao Lado’ debate monogamia e as vontades individuais

A Porta ao Lado propõe um debate sobre as relações a partir de dois casais. Um, a princípio, monogâmico, e mais “comum”, e o outro, aberto. Pude ver o filme na Mostra Especial Hors Concours, na Estação Net Botafogo, que contou com a presença da diretora Julia Rezende e o elenco Leticia Colin, Bárbara Paz, Dan Ferreira, Túlio Starling e Louise Cardoso.

Esse é o oitavo filme da diretora Julia Rezende. No elenco, o maior destaque é Bárbara Paz, que vive Isis, com grande atuação, mas todos entregam o necessário para seus papeis. São homens e mulheres de idades distintas com suas dúvidas e inseguranças.

Aliás, ouça abaixo a conversa que tivemos com Túlio Starling sobre o filme, e siga lendo:


O longa conta a história de Rafa (Dan Ferreira) e Mari (Leticia Colin) que são casados e vivem um relacionamento tradicional, estável. Eles parecem ter um companheirismo e uma cumplicidade. Entendemos melhor sua jornada com alguns flashbacks pontuais. Mari tem um instinto da fuga, perceptível desde o começo.

Reflexos

Rafa e Mari estão juntos desde os 25 anos, e agora tem 30. Tudo parece bem até a chegada de uma mudança para o apartamento ao lado: o casal Fred (Túlio Starling) e Isis. Eles tem um relacionamento aberto e separam sexo de amor. Mari começa a ficar mais reflexiva sobre suas escolhas ao conhcê-los.

No fim das contas, as interações entre eles provocam rupturas em todos. O tema do aborto também surge em certo momento e o ponto de vista principal do filme é o feminino. O longa procura usar simbologias como a janela do apartamento de Mari e Rafa que quebra assim que o novo casal chega, mostrando o que virá a seguir, e várias outras. A diretora faz uma boa escolha de ângulos, usando bem os reflexos em espelhos e outras superfícies.

Letícia Colin e Bárbara Paz na premiere de A Porta Ao Lado
Letícia Colin e Bárbara Paz na premiere de ‘A Porta Ao Lado’ (foto: Alvaro Tallarico)

Em alguns momentos lembrei do filme Closer – Perto Demais, o qual, porém, é mais profundo. Mas não há comparações a serem feitas. A Porta ao Lado tem seu próprio caminho e fala mais sobre individualidade e vontades particulares, bem como as dificuldades em relações amorosas. Aos poucos, em falas pontuais, conseguimos entender melhor o que moldou a personalidades dos personagens, apesar de haver certa superficialidade em alguns, talvez proposital.

Enfim, a produção é da Morena Filmes, em coprodução com Telecine. A Manequim Filmes assina a distribuição.

Afinal, veja o trailer:

Ademais, veja mais:

Crítica | O clube dos anjos

Mais do que uma biografia, ‘Otto: de trás p/ diante’ fala sobre paixão por Literatura

Crítica | Floresta Vermelho Escuro: Monjas Budistas no Tibet

Escreve o que achou!