Tuesday, December 1, 2020

Espetáculo ‘Víspora’ é metalinguagem divertida e crítica ferina

Víspora é um espetáculo que mexe com a zona de conforto do público e do elenco. É teatro falando sobre teatro, metalinguagem de qualidade que tem como um de seus grandes objetivos criticar a atual situação cultural do país e a inércia onde as pessoas se acomodaram. Víspora é um olhar crítico ao momento e ao próprio artista. A busca por como romper com as correntes.

Primeiramente, ao começar, a peça já vai trazendo pistas do que vai acontecer no decorrer da apresentação, a operação de luz de Wallace Furtado é pontual e todo o elenco, Cláudia Barbot, Luiz Furlanetto, Paula Vilela, Philipp Lavra, Rose Abdallah e Samuel Toledo, está bem ensaiado, entregando com eficiência o que precisa. Durante o primeiro ato, inclusive, temos um belíssimo momento de teatro clássico com Paula Vilela declamando o texto tendo uma luz contra vindo.

Rumos

Se o futuro é uma criação contínua, o que está sendo feito agora? É tão mais fácil destruir do que construir. Nelson Rodrigues é citado; Shakespeare também. Aliás, a viagem que o telespectador faz por dentro do palco, as diferentes perspectivas, a mudança nos personagens, enfim, tudo é colocado visando fazer pensar e repensar o papel do artista, do teatro – e da plateia. Posteriormente, no jogo de bingo, há vencedores? Inclusive, a peça chega a usar o poder do tédio em certo momento, para depois apresentar o caos.

Afinal, concebida e dirigida por Paula Vilela, ao lado das diretoras assistentes Juuar e Raíssa Venâncio, a peça conta com texto também de Juuar e Paula. A montagem aborda o clássico russo trazendo para o Brasil atual algumas perguntas sobre o teatro, a cultura e seus caminhos. Deslocadas da propriedade rural russa do fim do século XIX para o cenário brasileiro do século XXI, as personagens agora estão em uma noite de jogos em um bingo. A princípio, a memória do teatro ronda o local e questiona nossos rumos.

Por fim, a peça fica em cartaz hoje e amanhã (16), no bonito Teatro Poeira, em Botafogo. Fechando uma linda temporada provocando a reflexão.

Serviço:

Temporada:

03 de janeiro a 16 de fevereiro de 2020

Horário:

Quinta-feira a sábado – 21h / Domingo – 19h

Local:

Teatro Poeira – Rua São João Batista, 104 – Botafogo

Tel.: (21) 2537-8053

Ingressos:

R$ 60 (inteira)

R$ 30 (meia-entrada)

Classificação Etária: 12 anos

Gênero: Comédia Dramática

Duração: 80 minutos

Todavia, leia mais:

Isto é um Negro | CRÍTICA
Tântrica Santina – Rita Rocha e Alhandra A falam sobre teatro, política e resistência
Gratuito | Resenha com Escritores fala do samba-enredo como literatura

Ficha Técnica:

Concepção e Direção: Paula Vilela

Texto: Juuar e Paula Vilela

Direção Assistente: Juuar e Raíssa Venâncio

Elenco: Cláudia Barbot, Luiz Furlanetto, Paula Vilela, Philipp Lavra, Rose Abdallah, Samuel Toledo

Direção de Movimento e Preparação Corporal: Lavinia Bizzotto

Cenografia: Julia Deccache

Figurino: Ticiana Passos

Trilha Sonora: Gu Siqueira

Iluminação: João Gioia

Adereços: Bidi Bujnowski

Colaboração Artística: Dani Cavanellas

Ensaio Fotográfico: Rafael Biondi

Programação Visual: Paula Vilela

Contrarregragem: Márcio Gomes

Operação de Luz: Wallace Furtado

Operação de Som: Azullllllll

Eletricista: Juca Baracho

Assistente de Produção: Danielle Macário

Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria – Gisele Machado & Bruno Morais

Redes Sociais: LB Digital

Direção de Produção: Liliana Mont Serrat

Realização: Filmes de Bolso

Ademais, leia mais:

Isto é um Negro? Veja a reflexão de Pamella Lessa, do Coletivo Pretas Ruas
Rapper Negra Jaque | “Rap é mão preta de interferência na sociedade”
Dançarina Ana Catão | “Nossa missão é trazer essa história que foi varrida para debaixo do tapete”

Escreve o que achou!