Saturday, February 4, 2023

O Tablado e Maria Clara Machado | Conheça o legado de uma grande dramaturga

Está em cartaz com exclusividade no Rio de Janeiro, no cinema Estação Net Botafogo, o documentário “O Tablado e Maria Clara Machado“, de Creuza Gravina, documentarista, jornalista e atriz, tendo, inclusive, passado pelo próprio Teatro Tablado, fundado em 1951 por Maria Clara Machado, uma das maiores dramaturgas do teatro infantil brasileiro. Este filme presta uma belíssima homenagem à ela e ao Tablado.

O filme, que foi exibido pela primeira vez no Festival do Rio em 2007, recebeu uma repaginada com mais trechos e adições visuais em celebração pelo aniversário de 100 anos de Maria Clara Machado, ocorrido em 2021. Trata-se de uma carta de declaração de amor, de reconhecimento e de retribuição ao Tablado e sua importância para a história da dramaturgia brasileira.

Maria Clara Machado, a professora

Através de depoimentos de colaboradores e alunos, o filme vai realizando um apanhado sobre as principais obras de Maria Clara Machado, seus métodos e, principalmente, suas lições, que iam além do mundo do teatro e da dramaturgia. O Tablado, que continua o legado de sua criadora, não é apenas uma escola de teatro, mas um lugar mágico que cria laços entre as pessoas, e dá asas aos sonhos de cada um de seus integrantes.

Apesar de basear-se completamente na estrutura clássica de documentário de entrevistas, o filme consegue sintetizar e apresentar de forma envolvente o que significa envolver-se na criação de uma peça de teatro. Mesmo que o espectador nunca tenha subido em um palco. Por meio de uma edição ágil, lúdica e eficiente, as pontes entre os depoimentos e a trajetória de Maria Clara se torna uma aventura empolgante de aproximadamente 79 minutos.

Maria Clara Machado e a infância

O filme é uma oportunidade de apresentar às novas gerações quem foi Maria Clara Machado. Algo que já ocorreu este ano, com o lançamento do filme “Pluft – O fantasminha“. Primeiro longa-metragem nacional live-action, realizado em tecnologia 3D. O filme é adaptação de uma de suas mais famosas peças “Pluft, o fantasminha”, de 1955.

É interessante perceber, como muitos temas de suas peças pareciam antecipar alguns lançamentos de outras mídias muitos anos depois. Como não pensar na escola de bruxos de Harry Potter, ao ver a escola das bruxas de “A bruxinha que era boa?”. O filme se mostra, então, como extremamente importante para manter vivo o legado e a relevância da obra de Maria Clara Machado.

É bem interessante, notar como muitos atores consagrados atualmente, passaram pelo Tablado, como Marieta Severo, Cláudia Abreu e Andréa Beltrão. Isso para ficar em apenas 3 nomes. Percebe-se como que tantas gerações de dramaturgia foram influenciados por Maria Clara, mostrando como seu legado é totalmente imensurável.

Onde assistir

O filme está em cartaz com exclusividade no cinema Estação Net Botafogo, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Se você ama o teatro e teve sua infância, assim como eu, marcado pelas peças de Maria Clara, não perca, e leve seus filhos para conhecerem sua obra!

Ademais, veja mais em:

Regra 34 | Filme que estreia em janeiro é destaque em festival internacional

Travessia | Espetáculo aborda a diáspora negra (viventeandante.com)

Cem ruínas na esquina da poesia | Livro viaja pela fé

Escreve o que achou!