Ervas de Provence | Saiba como cultivar em casa e dê um toque francês nas refeições

Um dos temperos mais famosos da culinária francesa é a Erva de Provence. A princípio, a gastronomia da França é referência para inúmeros chefes de cozinha profissionais e, também, para cozinheiros amadores. Com o final da Segunda Guerra Mundial, a americana Julie Child mudou-se para a França, fez o curso de culinária Le Cordon Bleu, entre outros, e ficou famosa como chef. Em seguida, escreveu livros e apresentou programas de televisão para os EUA. Com o sucesso da chefe de cozinha, os americanos começaram a pedir por um tempero que oferecesse às preparações um toque francês.

Então, na década de 70, Child criou as Ervas de Provence, que se resumem em uma mistura de alecrim, tomilho, orégano, manjerona e flores de lavanda. A combinação confere aos pratos um aroma de campo primaveril e a sofisticação da culinária francesa. É possível usar em muitas receitas, como ensopado de vegetais.

A saber, a mistura ainda pode receber outras ervas para agregar sabor aos pratos. Além do elevado nível de sofisticação do tempero, ele, ainda, é benéfico para o organismo, pois, ao mesmo tempo em que ganha em sabor, consegue diminuir a quantidade de sal utilizada no prato.

Essas e outras ervas podem ter cultivo em casa, para garantir a qualidade final do seu tempero. A linha Topseed Garden, da Agristar do Brasil, conta com diversas variedades para plantio, incluindo as sementes que compõem as Ervas de Provence. Elas ocupam pouco espaço e pode-se plantar em maior quantidade.

O cultivo

O cultivo do tempero francês é prático. As ervas têm cultivo a partir de sementes, para garantir a qualidade final da mistura. É indicado o plantio em um solo bem solto, com cerca de 20 cm de profundidade, com um pouco de adubo natural e um punhado de NPK (adubo que contém nitrogênio, fósforo e potássio). Como são plantas pequenas e rápidas, também podem ir em vasos. Depois que brotarem, recomenda-se deixar só as mudas mais fortes nas plantas.

Quando elas estiverem grandes, o jeito mais prático de secá-las é ao ar. Basta juntar de 5 a 10 galhinhos por maço, colocar em um saco de papel com orifícios para ventilação, amarrar com um barbante e pendurar de cabeça para baixo em uma sala quente e bem ventilada. Em cerca de uma semana, elas deverão estar secas.

Devidamente secas e misturadas, as ervas são empregadas em muitas receitas e de diversas formas: como tempero para carne ou peixe, incorporada em líquidos como sopas, ensopados, molhos em geral, e para dar sabor, principalmente quando são misturadas com azeite ou manteiga.

Saiba mais sobre a campanha Pratique Plantoterapia: https://plantoterapia.com.br/

Escreve o que achou!